Usos da Linguagem em Fóruns de Ead

Benedito Gomes Bezerra

Resumo


A hipótese deste trabalho é que a pouca participação dos alunos em fóruns educacionais em ambientes virtuais de aprendizagem (AVAs) deve-se parcialmente a exigências de uso formal da linguagem que inibem os estudantes e desvirtuam o funcionamento espontâneo do gênero fórum. Ilustrando a questão, selecionamos exemplos do fórum temático de um curso de Letras a Distância para, numa análise qualitativa, avaliar possíveis implicações das restrições de uso da linguagem sobre a participação e aprendizagem dos alunos.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDERSON, T. 2003. Modes of interaction in distance education: recent developments and research questions. In: Michael G. Moore; William G. Anderson (Ed.). Handbook of distance education. Mahwah, NJ: Lawrence Erlbaum, pp. 129-144.

BAKHTIN, M. M. 1997. Os gêneros do discurso. In: Mikhail M. Bakhtin. Estética da criação verbal. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, pp. 279-26.

BARROS, K. S. M. de; CRESCITELLI, M. F. C. 2008. Prática docente virtual e polidez na interação. In: Sueli Cristina Marquesi; Vanda Maria da Silva Elias; Ana Lúcia Tinoco Cabral (Orgs.). Interações virtuais: perspectivas para o ensino de língua portuguesa a distância. São Carlos: Claraluz, pp. 73-89.

BELLONI, M. L. 2003. Educação a distância. 3. ed. Campinas: Autores Associados.

BROWN, P.; LEVINSON, S. 1987. Politeness: some universals in language usage. Cambridge: Cambridge University Press.

CAMPOS, K. R. 2008. Estratégias de interação em ambiente virtual de aprendizagem. In: Sueli Cristina Marquesi; Vanda Maria da Silva Elias; Ana Lúcia Tinoco Cabral (Orgs.). Interações virtuais: perspectivas para o ensino de língua portuguesa a distância. São Carlos: Claraluz, pp. 93-04.

CUNHA, A. L. 2006. A interação na educação a distância: cuidados com o uso da linguagem em cursos online. Disponível em: Acesso em: 14 set. 2010.

DOTTA, S. 2009. Aprendizagem dialógica em serviços de tutoria pela Internet: estudo de caso de uma tutora em formação em uma disciplina a distância. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade de São Paulo.

GABRIELLI, K. S. 2009. O papel da mediação pedagógica em fóruns educacionais de cursos on‑line de língua estrangeira. In: Ucy Soto; Mônica F. Mayrink; Isadora V. Gregolin (Orgs.). Linguagem, educação e virtualidade: experiências e reflexões. São Paulo: Cultura Acadêmica, pp. 209-224.

GIORDAN, M.; DOTTA, S. 2008. Estudo das interações mediadas por um serviço de tutoria pela Internet. Linguagem & Ensino, Pelotas, 11(1):127- 43.

GOFFMAN, E. “Footing”. 2002. In: B. T. Ribeiro; P. M. Garcez (Orgs.). Sociolinguística interacional. 2 ed. São Paulo: Loyola.

MARCUSCHI, L. A. 2001. Da fala para a escrita: atividades de retextualização. 2. ed. São Paulo: Cortez.

MARCUSCHI, L. A. 2004. Gêneros emergentes no contexto da tecnologia digital. In: L. A. Marcuschi; Antônio Carlos Xavier (Org.). Hipertexto e gêneros digitais: novas formas de construção do sentido. Rio de Janeiro: Lucerna, pp. 13-67.

MARTIN, J.R.; WHITE, P. 2005. The language of evaluation: appraisal in English. London: Palgrave Macmillan.

MATTAR NETO, J. A. 2008. O uso do second life como ambiente virtual de aprendizagem. Anais da 31. Reunião Anual da ANPEd – Caxambu. Disponível em: http://www.anped.org.br/reunioes/31ra/1trabalho/GT16-4711--Res.pdf> Acesso em: 15 nov. 2010.

MOORE, M. M. 1997. Theory of transactional distance. In: KEEGAN, D. (Ed.). Theoretical principles of distance education. New York: Routledge, pp. 22-38.

MOORE, M. M. 1989. Three types of interaction. The American Journal of Distance Education, 3(2).

OLIVEIRA, A. S. Z.; BARBOSA, M. R. S. A. 2010. A atitude no fórum temático: escolhas que aproximam ou distanciam os atores no discurso. Hipertextus Revista Digital, 5:1-9.

PAIVA, V. L. M.; RODRIGUES JR., A. S. 2004. Fóruns on-line: intertextualidade e footing na construção do conhecimento. In: I. L. Machado; R. Melo (Orgs.). Gêneros: reflexões em análise do discurso. Belo Horizonte: Faculdade de Letras da UFMG, pp. 171-189.

PAIVA, V. L. M.; RODRIGUES JR., A. S. 2007. O footing do moderador em fóruns educacionais. In: J. C. Araújo (Org.). Internet e ensino: novos gêneros, outros desafios. Rio de Janeiro: Lucerna, pp. 144-164.

SCAVAZZA, C. 2010. Gêneros discursivos emergentes: o fórum na educação a distância. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada). São Paulo: Universidade de Taubaté.

TOSTES, S. C. 2010. O bom professor no ambiente virtual. Cadernos do CNLF, 14(2):1242-1254.

SOUZA, E. V. 2009. “Desabafo”: análise da interação em fóruns de EaD. Dissertação (Mestrado em Letras) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.

SOUZA, E. V. 2010. As possibilidades de análise dos fóruns de EAD sob a ótica das teorias discursivas e pós-modernas. Pesquisa em Discurso Pedagógico, 1:1-16. Disponível em:

=input0 > Acesso em 30 nov. 2010.

XAVIER, A. C.; SANTOS, C. F. 2005. E-forum na Internet: um gênero digital. In: J. C. Araújo; Bernardete Biasi-Rodrigues (Org.). Interação na internet: novas formas de usar a linguagem. Rio de Janeiro: Lucerna, pp. 30-38.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Investigações - Linguística e Teoria Literária. Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Federal de Pernambuco.

ISSN Edição Digital 2175-294X - ISSN Edições Impressas 0104-1320

www.ufpe.br/pgletras - www.pgletras.com.br 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.