Cartazes de junho de 2013 em Belo Horizonte: funcionamento das formas de enunciação compartilhadas

Renan Belmonte Mazzola

Resumo


Este artigo objetiva analisar os cartazes empunhados nos protestos de junho de 2013, em Belo Horizonte, sob a ótica dos conceitos de “particitação” e “hiperenunciador” tal como constam em Maingueneau (2005). Por isso, este trabalho se filia à análise do discurso de linha francesa e interroga os regimes de enunciação compartilhada que integram os sujeitos enunciadores na cena “manifestação política”. A partir da análise de 12 cartazes que compoem nosso corpus, demonstramos que esses enunciados apresentam elementos linguístico-discursivos que sustentam a identidade de uma coletividade e manifestam um ponto de vista comum, que valida essa cena enunciativa.


Texto completo:

PDF

Referências


BENVENISTE, E. Problemas de linguística geral I. Campinas: Pontes, 2005.

CHARAUDEAU, D. Discurso político. São Paulo: Contexto, 2006.

MAINGUENEAU, D. A noção de hiperenunciador. In: Polifonia, Cuiabá, EdUFMT, n. 10, 2005, p. 75-97.






Revista Investigações - Linguística e Teoria Literária. Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Federal de Pernambuco.

ISSN Edição Digital 2175-294X - ISSN Edições Impressas 0104-1320

www.ufpe.br/pgletras - www.pgletras.com.br 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.