Tempo, modo e modalidade: uma análise das modalidades deôntica e volitiva e as noções de futuridade

André Silva Oliveira

Resumo


Neste artigo, analisamos as categorias tempo, modo e modalidade, especificamente, as modalidades deôntica e volitiva, e a relação de ambas com a noção de futuridade. Para isso, optamos pelos discursos de investidura proferidos, nas eleições de 2016, pelo candidato a primeiro ministro do governo espanhol, Pedro Sánchez. Após a análise dos discursos, constatamos que as modalidades deôntica e volitiva, instauradas no presente do indicativo, diferenciam os atos ilocutórios articulados por meio do futuro simples, respectivamente, em diretivo e optativo, propiciando, segundo Giomi (2010), em uma distinção semântica entre futuro deôntico e futuro volitivo. 

Palavras-chaves: Língua Espanhola. Modalidade. Futuridade.


Texto completo:

PDF

Referências


ÁLVAREZ, A. CHUMACEIRO, I. El discurso de investidura en la reelección de Uribe y de Chávez. Revista Forma y Función, v. 22, nº 2, p. 13-42, 2009. Disponível em: . Acesso em: 09 dez. 2017.

BITTENCOURT, D. L. R. O domínio funcional do futuro do subjuntivo: entre temporalidade e modalidade. 2014. 345f. Tese (Doutorado em Linguística) – Programa de Pós-Graduação em Linguística, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. Disponível em: . Acesso em: 25 mar. 2017.

BYBEE, J. L.; PAGLIUCA, W.; PERKINS, R. D. Back to the Future. In: TRAUGOTT, E. C.; HEINE, B. (Ed.). The Evolution of Grammar: Tense, aspect, and modality in the languages of the world. Chicago: The University Chicago Press, 1994.

FERREIRA, C. P. Tempo e modalidade na aquisição de espanhol, língua materna: um estudo das formas verbais de futuro. 2016. 221f. Tese (Doutorado em Letras Neolatinas) – Programa de Pós-Graduação em Letras Neolatinas, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro. Disponível em: . Acesso em: 18 dez. 2017.

GIOMI, R. Para uma caracterização semântica do futuro sintético românico: descrição e análise dos valores do futuro do indicativo em Português e em Italiano. 2010. 232f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Programa de Pós-Graduação em Linguística Geral e Românica, Universidade de Lisboa, Lisboa. Disponível em: . Acesso em: 18 mar. 2017.

GIVÓN, T. Syntax: An Introduction. Amsterdã/Filadélfia: John Benjamins Publishing Company, 2001.

HENGEVELD, K. Illocution, mood, and modality. In: BOOIJ, G.; LEHMANN, C.; MUGDAN, J. (Ed.). Morphology: a handbook on inflection and word formation. Berlin: Mouton de Gruyter, 2004.

HENGEVELD, K.; MACKENZIE, J. L. Functional Discourse Grammar: a typologically based theory of language structure. Oxford: Oxford Linguistics, 2008.

LOPES, M. F. S. Uma análise funcionalista da modalidade deôntica na coluna Confronto das Ideias do jornal “O Povo”. 2015. 147f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Programa de Pós-Graduação em Linguística, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza. Disponível em: . Acesso em: 25 nov. 2018.

LYONS, J. Semantics. Cambridge: Cambridge University Press, 1977.

OLIVEIRA, A. S. La modalidad deóntica en lengua española: un análisis funcionalista en editoriales. 2015. 136f. Monografia (Graduação em Letras Espanhol) – Departamento de Letras Estrangeiras, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza. Disponível em: . Acesso em: 25 nov. 2018.

¬¬______. Modalidade volitiva em língua espanhola nos discursos do Papa Francisco em viagem apostólica. 2017. 310f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Programa de Pós-Graduação em Linguística. Universidade Federal do Ceará, Fortaleza. 2017. Disponível em: . Acesso em: 14 dez. 2017.

PALMER, F. R. Mood and Modality. Cambridge: Cambridge University Press, 1986.

PESSOA, N. P. Modalidade deôntica e discurso midiático: uma análise baseada na Gramática Discursivo-Funcional. 2011. 224f. Tese (Doutorado em Linguística) – Programa de Pós-Graduação em Linguística, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza. Disponível em: . Acesso em: 25 mar. 2016.

REAL ACADEMIA ESPAÑOLA. Nueva Gramática de la Lengua Española. Madrid: Espasa Libros, 2010.

SANTOS, V. C. Intenção e desejo: os usos de querer com implicaturas de futuridade. 2015. 133f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Programa de Pós-Graduação em Linguística. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. Disponível em: . Acesso em: 29 mar. 2017.

TOPOR, M. Perífrasis verbales del español y rumano un estudio contrastivo. 2011. 722f. Tese (Doutorado em Linguística) – Programa de Pós-Graduação em Linguística. Universidade de Lleida, Leida. Disponível em: Acesso em: 18 mar. 2016.






Revista Investigações - Linguística e Teoria Literária. Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Federal de Pernambuco.

ISSN Edição Digital 2175-294X - ISSN Edições Impressas 0104-1320

www.ufpe.br/pgletras - www.pgletras.com.br 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.