O HABITUS E A FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA: em busca de uma compreensão do habitus professoral

Lucélida de Fátima Maia da COSTA, Francisco Hermes Santos da SILVA

Resumo


RESUMO

Neste ensaio estabelecemos uma discussão sobre a possível constituição de um habitus professoral do professor de matemática, pautando-nos nas ideias de Pierre Bourdieu e na interpretação que outros autores fazem dela com intuito de chamar a atenção ao modo como tradicionalmente vem ocorrendo os processos de formação de professores de matemática. Nossa compreensão sobre a temática alicerça-se nas ideias dos autores utilizados neste texto e nas experiências que construímos como professores formadores em universidades públicas e como pesquisadores imersos na área de educação matemática. Concluímos que o habitus, no confronto das ideias, se mostrou não com um sentido de reafirmação de um caráter de reprodução de sucessos ou fracassos, mas como uma permanente construção humana individual e coletiva que sofre adaptações, evolui e se transforma de acordo a capacidade reflexiva de cada sujeito. Desse modo, a constituição de um habitus professoral do professor de matemática deve contemplar ações que ultrapassem a simples apropriação do conhecimento por meio da memorização sem a devida reflexão sobre o alcance do que estamos ensinando, o tempo, o espaço, a cultura, as expectativas e necessidades dos indivíduos e do lugar onde estamos ensinando matemática. 

 

HABITUS AND MATH TEACHER TRAINNING: searching for an understanding of professional habitus

 

Abstract

In this essay we established a discussion on the possible establishment of a professorial habitus math teacher, guiding us on the ideas of Pierre Bourdieu and the interpretation that other authors do it with intention to draw attention to how traditionally been occurring formation processes of Teachers of Mathematics. Our understanding of the subject is founded on the ideas of authors used in this text and we build experiences as trainers and teachers in public universities as immersed researchers in mathematics education. We conclude that the habitus in the clash of ideas, turned out not with a sense of reassurance of a character playing successes or failures, but as an ongoing individual and collective human construction that is adapted, evolves and changes according to reflective capacity of each subject. Thus, the establishment of a teacherly habitus math teacher should involve actions beyond the mere acquisition of knowledge by memorizing without due reflection on the scope of what we're teaching, time, space, culture, expectations and needs of individuals and the place where we are teaching mathematics.


Palavras-chave


habitus, habitus professoral, formação de professor, ensino de matemática

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.36397/emteia.v5i2.2199

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

ISSN 2177-9309

Contato: revista.emteia@ufpe.br