As Matemáticas na Formação de Normalistas Brasileiros e Franceses em Tempos de Escola Nova – 1920 a 1945

Maria Cristina Araújo de Oliveira, Luciane de Fatima Bertini, Mercedes Carvalho, Martha Raíssa Iane Santana da Silva

Resumo


O artigo apresenta o resultado de um estudo comparativo relativo à oferta de disciplinas que, sob diferentes rubricas, relacionavam-se com a matemática da formação de normalistas brasileiros e franceses. As análises aqui apresentadas referem-se aos anos de 1920 a 1945, período no qual o movimento da Escola Nova se difundiu em nível internacional. A investigação sobre o contexto brasileiro tomou como fontes a legislação relativa aos cursos normais, artigos de revistas pedagógicas e cadernos de normalistas. O contexto francês foi considerado sobretudo a partir do trabalho de pesquisadores desse país. As análises nos levam a concluir que no Brasil a renovação resultante dos preceitos da vaga escolanovista deixou marcas mais significativas na produção de um conhecimento para ensinar, transformando as metodologias específicas para o ensino de matemática. Na França, as principais mudanças viriam nos conhecimentos a ensinar, ou seja, nos conteúdos específicos que integram a disciplina matemática – geometria, aritmética, álgebra.


Palavras-chave


Aritmética. Geometria. Desenho. Prática de Ensino de Matemática. Normalistas.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.36397/emteia.v8i3.23040

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

ISSN 2177-9309

Contato: revista.emteia@ufpe.br