Cenários sobre Educação Financeira Escolar: entrelaçamentos entre a pesquisa, o currículo e a sala de aula de Matemática

Cristiane Azevêdo dos santos Pessoa, Ivail Muniz Júnior, Marco Aurélio Kistemann Jr.

Resumo


Neste artigo apresentamos três cenários que buscam problematizar a Educação Financeira no Brasil e seu papel na promoção de Literacia Financeira no âmbito escolar. Detalham-se ainda aspectos e desafios da Educação Financeira no contexto da Base Nacional Comum Curricular, bem como reflexões sobre a importância do estudo e da abordagem da tomada de decisão, numa perspectiva multidisciplinar, para a concepção, desenho e implementação de uma Educação Financeira Escolar (EFE). Por fim, apresenta-se uma síntese de pesquisas que investigaram as relações entre as atividades de livros didáticos com temática financeira e a prática de professores dos anos iniciais sob a ótica da Educação Matemática Crítica. As concepções dos autores, e os resultados das pesquisas que as fundamentam, apontam para um conjunto de ações para a EFE, incluindo: a necessidade da discussão crítica dos temas, além da mera e exclusiva resolução de exercícios de matemática financeira; a formação do professor e seu papel na mediação e fomento de discussões e questionamentos dos estudantes; a intenção de desenvolver Literacia Financeira nas dimensões temporal e espacial, levando em conta o complexo processo de tomada de decisão humana, visando a um agir ético, crítico e convergente com a sustentabilidade do planeta.

Palavras-chave


Educação Financeira Escolar, Educação Matemática Crítica, Tomada de decisão, Base Nacional Comum Curricular.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.36397/emteia.v9i1.236528

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

ISSN 2177-9309

Contato: revista.emteia@ufpe.br