A FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DE PROFESSORES DE GEOGRAFIA A PARTIR DA REFLEXÃO DOCENTE

Juanice Pereira Santos, Maria Solange Melo de Sousa

Resumo


O artigo é resultado de discussões feitas com docentes do Grupo de Pesquisa, Ensino, Aprendizagem e Formação de Professores (GEAF - UNB) ocorridas nas reuniões de estudo, no ano de 2019. O texto analisa a atuação do professor de Geografia em sala de aula, no que diz respeito à formação inicial e continuada, à deficiência dos saberes e das aprendizagens e o reflexo de tais fragilidades nas experiências vivenciadas no cotidiano escolar. O aporte teórico baseou-se em documentos científicos de ensino de Geografia e Educação, reflexões de diferentes autores: Cunha (2010); Nóvoa (1992; 2004); Pimenta (1999); Shulman (2005); leituras e discussões em grupo; coleta e registro de relatos e entrevistas dos professores membros do GEAF. O objetivo foi analisar as percepções desses docentes em relação às práticas pedagógicas desenvolvidas por eles no cotidiano de sala de aula no ensino de Geografia. Ao final da pesquisa, há considerações quanto às principais fragilidades no processo educativo que interferem na prática pedagógica do professor de Geografia. O texto também apontou a importância da formação inicial e continuada no sentido de qualificar e transformar as ações docentes em sala de aula.


Palavras-chave


Formação; Geografia; Professor

Texto completo:

PDF

Referências


BAUER, Martin W.; GASKELL, George. (org.). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som. 13ª ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2017 (reim.).

BRASIL, Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº 9.394/96, de 20 de dezembro de 1996.

CUNHA, M. I. Lugares de formação: tensões entre a academia e o trabalho docente. In: DALBEN, A.; LEAL, L.; SANTOS, L (Orgs.). Convergências e tensões no campo da formação e do trabalho docente: didática, formação de professores, trabalho docente. Belo Horizonte: Autêntica, 2010. p. 129-149.

DALFOVO, Michael Samir; LANA, Rogério Adilson; SILVEIRA, Amélia. Métodos quantitativos e qualitativos: um resgate teórico. Revista Interdisciplinar Científica Aplicada, Blumenau, v. 2, n. 4, p. 01-13, Sem II, 2008. ISSN 1980-7031

LUZ NETO, Daniel Rodrigues Silva; SILVA, Juanice Pereira Santos. O raciocínio geográfico de alunos com deficiência intelectual em uma escola pública do Gama-DF. Terra Livre, v. 2, n. 53, p. 318348, jul -dez. /2019.

MCBRIDE, Rob (ed.). The In-Service Training of Teachers. Lewes: The Falmer Press, 1989.

NÓVOA, Antonio. Os professores e sua formação. Lisboa: Dom Quixote.1992.

______________ Educação e formação ao longo da vida. CRE Mário Covas/SEE, SP. Entrevista concedida por e-mail em outubro de 2004 ao CRE Mario Covas/SEE-SP. Disponível em: http://www.crmariocovas.sp.gov.br.

PICONEZ, Stela. (coord.) A prática de ensino e o estágio supervisionado. Campinas, Papirus, 1991.

PIMENTA, Selma Garrido. Formação de professores: identidades e saberes da docência. In: PIMENTA, Selma Garrido. (Org.). Saberes pedagógicos e atividade docente. São Paulo: Cortez Editora, 1999.

SCHÕN, Donald A. (1990). Formar professores como profissionais reflexivos. In: NÓVOA, A. (coord.). Os professores e sua formação. Lisboa: Publicações Dom Quixote, p. 77-91.

SILVA, S. A. R. & BARBOSA. J. R. A. Formação Continuada de Professores para a Atualidade: Tecendo relações, trajetórias e desafios entre Universidade e Escola, In: FERREIRA, Gabriella Rossetti (Org.). Formação Docente nas Dimensões Ética, Estética e Política 2. [Recurso eletrônico]. Ponta Grossa, PR. Ed. Atena, 2019. p. 140 – 148.

SHULMAN, Lee S. Conocimiento y enseñanza: fundamentos de la nueva reforma. Profesorado. Revista de Currículum y Formación de Profesorado. v.9, n.2, Granada, España, 2005.




DOI: https://doi.org/10.38187/regeo2020.v3n2id244880

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

INDEXADORES E BASE DE DADOS