Canções libertárias no ensino: a compreensão do sertão nordestino na geografia escolar

Léon Denis Ferreira Xavier, Christian Dennys Monteiro de Oliveira

Resumo


O presente trabalho tem origem em um projeto de licenciatura em Geografia, como foco na perspectiva das artes como leitura das paisagens patrimoniais latino-americanas. Baseando-se em alguns princípios das abordagens libertárias e fenomenológicas da geografia escolar para entender o poder do sujeito nas suas ações cotidianas, apropriou-se de uma ferramenta artística, a canção musical, ainda considerada “alternativa” no ensino básico. O conteúdo trabalhado por meio da intervenção em sala de aula foi o Sertão Nordestino. E as canções foram selecionadas por contraste associativo (tradicional X não usual). Tendo em vista que arte música é portadora de uma geograficidade, buscou-se compreender a paisagem sertaneja como compreensão de um mundo vivido, sem engessamentos formais e acessível ao educando. O resultado da reflexão proposta demonstra possibilidade musical em sala de aula, como estratégia fácil e competente na compreensão de conteúdos geográficos.


Palavras-chave


Arte musical; Ferramentas de ensino; Abordagens libertárias; Paisagem sertaneja

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.51359/2594-9616.2021.248775

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

INDEXADORES E BASE DE DADOS

 

 

 

  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos: a) Autores mantém os direitos autorais e concedem à  revista o direito de primeira publicação, com o trabalho licenciado sob a Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional. b) Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal), já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado. c) Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de uso gratuito, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais.