Filosofia e distopia seriadas: sobre Black Mirror e suas relações entre humanos e técnicas

Patricia Azambuja, Cecília Perri

Resumo


Se pensarmos para além da sua propensão ao entretenimento puro, ou mesmo, das abstrações quase sempre irônicas acerca dos comportamentos sociais, não estaria a série britânica Black Mirror estabelecendo reflexões profundas sobre a nossa mais banal realidade? Norteada por estes questionamentos, através da análise de 4 episódios e de entrevistas concedidas pelo autor, esta pesquisa exploratória, de cunho histórico e descritivo, busca identificar na estrutura narrativa da série relações entre o audiovisual, sua propensão ao pensamento filosófico (logos e pathos), à experimentação do mundo através do conceito-imagem, assim, reflexões distópicas concernentes ao vínculo humano e tecnologia. A confirmação da base filosófica dessa produção audiovisual, que também inclui o cruzamento de referências de autores tais como Zygmunt Bauman e Jean Baudrillard, levanta uma segunda questão: sobre o reforço cognitivo operado pela vivência diegética proporcionada pelo cinema.


Palavras-chave


filosofia; distopia; Netflix; ficção; conceito-imagem

Texto completo:

PDF

Referências


CHARNEY, L.; SCHWARTZ, R. (org.) O cinema e a invenção da vida moderna. São Paulo: Cosac & Naify, 2004.

CRARY, J. Técnicas do observador. Rio de Janeiro: Contraponto, 2012.

Csicsery-Ronay, I. Cyberpunk and Neuromanticism. Mississippi Review, The Cyberpunk Project, 1996. Disponível no link: http://project.cyberpunk.ru/idb/cyberpunk_and_neuromanticism.html. Acesso em: 15 junho. 2018.

GIOVANELLI, C. A dimensão psicológica de ‘Black Mirror’, a série que angustia. Revista Veja São Paulo, 2016. Disponível no link: https://vejasp.abril.com.br/blog/terapia/a-dimensao-psicologica-de-8216-black-mirror-8217-a-serie-que-angustia/. Acesso em: 15 junho. 2018.

HARRISON, A. Black Mirror’ sobre tecnologia, política e o futuro. Entrevista de Charlie Brooker ao portal Vice UK, 2016. Disponível no link: https://www.vice.com/pt_br/article/z4b5px/entrevista-charlie-brooker-criador-black-mirror. Acesso em: 2 junho. 2018.

LIMA, H. Distopia atual é achar que o autoritarismo é normal, diz escritor de ficção científica. Entrevista com Alexey Dodsworth para a Revista Rede Brasil Atual, 2017. Disponível no link: http://www.redebrasilatual.com.br/revistas/133/a-distopia-segundo-o-escritor-alexey-dodsworth. Acesso em: 2 mai0. 2018.

LÖWY, M., SAYRE, R. Revolta e melancolia. Petrópolis: Vozes, 1995

MALLETT, W. (2016). O criador de 'Black Mirror' diz que a atual temporada é toda sobre gamification. Entrevista de Charlie Brooker ao portal Vice US. Disponível no link: https://www.vice.com/pt_br/article/qkd5db/black-mirror-terceira-temporada-gamification. Acesso em: 3 maio. 2018.

PERSON, L. Notes towards a post-cyberpunk manifesto. Slashdot, 1999. Disponível no link: http://slashdot.org/features/99/10/08/2123255.shtml. Acesso em: 15 junho. 2018.

RAMOS, Á. “Acho ótimo que ‘Black Mirror’ provoque terror. É disso que se trata”. Entrevista com Charlie Brooker para El País Br, 2016. Disponível no link: https://brasil.elpais.com/brasil/2016/10/14/cultura/1476445649_428143.html. Acesso em: 4 março. 2018.

RODRIGUES, Sônia. Como escrever séries. São Paulo: Aleph, 2014.    

SIMMEL, G. A metrópole e a vida mental. in: VELHO, O. G. O fenômeno urbano. Rio de Janeiro: Zahar, 1979.

SINGER, B. Modernidade, hiperestímulo e o início do sensacionalismo popular. in: CHARNEY, L. e SCHWARTZ, V. (org.). O cinema e a invenção da vida moderna. São Paulo: Cosac & Naify, 2004.

VIANNA, M. et. al. (org.) O historiador e as novas tecnologias. II Encontro de Pesquisas Históricas – PUCRS, Rio Grande do Sul, 2015. Disponível no link: https://iiephispucrs.files.wordpress.com/2015/11/ii_ephis_livro_final.pdf. Acesso em: 15 junho. 2018.




DOI: https://doi.org/10.34176/icone.v16i1.237077

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Sem derivações 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

A Revista Ícone está sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial CC BY-NC 4.0.

Classificação de Periódicos 2013-2016, CAPES: B4 (Comunicação e Informação)

ISSN 2175-215X

© 1996-2019 Revista Ícone
Programa de Pós-Graduação em Comunicação, UFPE
Av. da Arquitetura, s/n – Cidade Universitária
CEP 50.740-550 Recife (PE), Brasil