“Chega lá e Eudora!”: ativismo e discurso inspiracional na campanha publicitária de uma marca-coaching

Emanuelle Gonçalves Brandão Rodrigues, Danyelle Alves da Paixão, Thainá Evellyn Martiniano Alexandre

Resumo


Busca-se investigar, a partir do estudo de caso da campanha publicitária “Chega Lá e Eudora!”, como o discurso inspiracional típico do mercado de autoajuda tem promovido mudanças na publicidade contemporânea, em especial no mercado de cosméticos, conhecido por reforçar estereótipos e padrões de beleza.  Para tanto, partimos da noção de ethos (Maingueneau, 2008;  Eggs, 2013) para analisar como a marca Eudora constrói sua imagem baseada em formas de ativismo social. Nos debruçamos em um corpus ampliado de peças publicitárias em diversos formatos, tendo como corpus restrito os vídeos divulgados pela marca em seu canal no Youtube, cujo público-alvo são consumidoras e mulheres que buscam aumentar sua renda com a venda de cosméticos. O estudo demonstra como as narrativas de autoajuda se apresentam como formato ideal para a promoção de uma imagem de si das marcas, a exemplo da Eudora, em conformidade com as diferentes formas engajamento e ativismo social.


Palavras-chave


Publicidade; Cultura da inspiração; Ativismo social; Ethos ativista; Discurso de autoajuda.

Texto completo:

PDF

Referências


ARFUCH, Leonor. O espaço biográfico: dilemas da subjetividade contemporânea. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2010.

BOLTANSKI, L.; CHIAPELLO, È. O novo espírito do capitalismo. São Paulo: Martins Fontes, 2009.

CASAQUI, Vander. Abordagem crítica da cultura da inspiração: produção de narrativas e o ideário da sociedade empreendedora. E-compós, Brasília, v.20, n.2, p.01-18, 2017.

DOMINGUES, Izabela; MIRANDA, Ana Paula. Consumo de ativismo. São Paulo: Estação das Letras e Cores, 2018.

EGGS, Ekkehard. Ethos aristotélico, convicção e pragmática moderna. In: AMOSSY, Ruth (org). Imagens de si no discurso: a construção do ethos. 2ª Ed. São Paulo: Contexto, p.29-56, 2013.

EHRENBERG, Alain. O culto da performance: da aventura empreendedora à depressão nervosa. São Paulo: Ideias & Letras, 2010.

FREIRE FILHO, João. O anseio e a obrigação de ser feliz hoje. In: FREIRE FILHO, João (org). Ser feliz hoje: reflexões sobre o imperativo da felicidade. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2010.

FOUCAULT, Michael. História da sexualidade 2: o uso dos prazeres. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1985.

GIDDENS, Anthony. Modernidade e identidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2002.

ILLOUZ, Eva. O amor nos tempos do capitalismo. Rio de Janeiro: Zahar, 2011.

LIPOVETSKY, Gilles; SERROY, Jean. A estetização do mundo: viver a era do capitalismo artista. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

MAINGUENEAU, Dominique. Cenas da enunciação. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

MARÍN-DIAZ, Dora L. Autoajuda, educação e práticas de si: genealogia de uma antropotécnica. Belo Horizonte: Autêntica, 2015.




DOI: https://doi.org/10.34176/icone.v17i2.239051

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Sem derivações 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

A Revista Ícone está sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial CC BY-NC 4.0.

Classificação de Periódicos 2013-2016, CAPES: B4 (Comunicação e Informação)

ISSN 2175-215X

© 1996-2019 Revista Ícone
Programa de Pós-Graduação em Comunicação, UFPE
Av. da Arquitetura, s/n – Cidade Universitária
CEP 50.740-550 Recife (PE), Brasil