Parte 2 - Quase Homem, Quase Mulher: As Repercussões na Rede Social Facebook de Gênero e Sexualidade Trans da Publicidade Veiculada na Televisão Aberta Brasileira

André Iribure

Resumo


Este texto é recorte de pesquisa iniciada em 2009, com corpus de 122 comerciais veiculados em TV Aberta, que abordam a temática LGBTQIA+. A pesquisa estrutura-se entre análise das representações em TV e das repercussões de parte desses comerciais na rede social Facebook. Aborda-se, neste momento, mais especificamente, um recorte sobre o tipo de engajamento dos comerciais que tiveram repercussões nas páginas das marcas e que aludem à temática ou a personagens trans, a letra T da sigla apresentada, num total de cinco comerciais. As peças publicitárias, no geral, tiveram repercussão positiva, gerando engajamento com seu público, apesar de comentários que reagem negativamente, com argumentos de cunho religioso em sua maioria, e outros com críticas afora da temática em questão.

Palavras-chave


LGBTQIA+; Publicidade; Gênero; Sexualidade; Representações

Texto completo:

PDF

Referências


CONNELL, Robert William. Masculinidades. Trad. Irene M. Artigas. México: UNAM/PUEG, 2003. cap. 3,p. 103/129-cap.8-9, p. 249/302.

CONNELL, Robert William. Políticas da Masculinidade. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 20, n. 2, 185-206, jul/dez. 1995

BAUER, Martin W. Análise de Conteúdo Clássica: uma revisão. In: Bauer, Martin; GASKEL, George (editores). Pesquisa Qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Trad. Pedrinho A. Guareschi. Petrópolis: Vozes, 2002, p.189-217.

BUTLER, Judith. Corpos que Pesam: sobre os limites discursivos do “sexo”. IN:LOURO, Guacira Lopes. (Org.) O Corpo Educado: pedagogias da sexualidade. Trad. Tomaz Tadeu da Silva. Belo Horizonte: Autêntica, 1999.

FACCHINI, Regina. Sopa de Letrinhas?: movimento homossexual e produção de identidades coletivas nos anos 1990. Rio de Janeiro: Garamond 2005.

GASTALDO, Édison. Publicidade e Sociedade: uma perspectiva antropológica. Porto Alegre: Sulina, 2013.

HALL, Stuart. Representation. Cultural Representation and Signifying Pratices. London: Sage/Open University, 1997.

KATZ, Jonathan Ned. A Invenção da Heterossexualidade. Rio de Janeiro: Ed. Ediouro Publicações, 1996.

KIMMEL, M. A produção simultânea de masculinidades hegemônicas e subalternas. In: Horizontes Antropológicos, n. 9, ano 4, 1998.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, Sexualidade e Educação: uma perspectiva pós-estruturalista. Rio de Janeiro: Vozes, 1997.

LOURO, Guacira Lopes. Teoria Queer: uma política pós-identitária para a educação. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, V. 9, n. 2, p. 541-553, 2001. Disponível em . Acesso em: 22 nov. 2016.

MOSCOVICI, Serge. Representações sociais: investigações em psicologia social. Trad. de Pedrinho A. Guareschi. Petrópolis: Vozes, 2003.

NICHOLSON, Linda. Interpretando o gênero. Estudos Feministas. Ano 8. 2° semestre 2000. p. 09-41. Disponível na Internet http://www.portalfeminista.org.br, em 10 de janeiro de 2006.

RECUERO, Raquel. Um estudo do Capital Social gerado a partir de Redes Sociais no Orkut e nos Weblogs. Revista Famecos, n. 28, p. 88-106, dez., 2005.

RECUERO, Raquel. Redes Sociais na Internet. 2ª ed. Porto Alegre: Sulina, 2014.

RODRIGUES, André Iribure. As representações das homossexualidades na publicidade e propaganda veiculadas na televisão brasileira: um olhar contemporâneo das últimas três décadas. 2008. Tese de Doutorado – Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Disponível em . Acesso em: 20 out. 2016.

RODRIGUES, A. I.; TOALDO, M. M. Interação e Engajamento entre Marcas e Consumidores/Usuários no Facebook. Trabalho apresentado no GP Publicidade e Propaganda, XV Encontro dos Grupos de Pesquisas em Comunicação, evento componente do XXXVIII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. Rio de Janeiro, RJ - 4 a 7 de setembro de 2015.

TREVISAN, João Silvério. Devassos no paraíso: (a homossexualidade no Brasil, da colônia à atualidade). 6ª ed. Rio de Janeiro: Record, 2004.




DOI: https://doi.org/10.34176/icone.v17i2.241224

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Sem derivações 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

A Revista Ícone está sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial CC BY-NC 4.0.

Classificação de Periódicos 2013-2016, CAPES: B4 (Comunicação e Informação)

ISSN 2175-215X

© 1996-2019 Revista Ícone
Programa de Pós-Graduação em Comunicação, UFPE
Av. da Arquitetura, s/n – Cidade Universitária
CEP 50.740-550 Recife (PE), Brasil