O futuro dos cursos de direitos: entre a incerteza e a perplexidade

Lana Lisiêr de Lima Palmeira, Edna Cristina de Prado, Carla Priscilla Barbosa Santos Cordeiro

Resumo


Este artigo objetiva discutir a estrutura e organização dos cursos jurídicos sobre o prisma das diretrizes curriculares para o curso de Direito, inseridas na Resolução CNE/CES nº 9/2004. A partir de um estudo histórico sobre o nascimento e formação dos cursos jurídicos no Brasil, pretende-se compreender a evolução do currículo jurídico ao longo dos anos. Em seguida, pretende-se analisar as atuais diretrizes vigentes para o ensino jurídico, compreendendo suas ideias centrais e seus objetivos. Por fim, pretende-se analisar a proposta para as novas diretrizes curriculares para o curso de Direito, verificando-se de que forma as mudanças pretendidas poderão afetar a qualidade do ensino jurídico. Ensino jurídico. diretrizes curriculares. Resolução CNE/CES nº 9/2004.

Ensino jurídico. diretrizes curriculares. Resolução CNE/CES nº 9/2004.

Abstract

The future of law courses: between uncertainty and perplexity

This article aims to discuss the structure and organization of legal courses on the prism of the curricular guidelines for the Law course, inserted in CNE / CES nº 9/2004 resolution. From a historical study on the birth and formation of legal courses in Brazil, it is intended to understand the evolution of the legal curriculum over the years. Next, we intend to analyze the current guidelines for legal education, understanding its central ideas and objectives. Finally, we intend to analyze the proposal for the new curricular guidelines for the course of Law, and verify how the changes that are intended may affect the quality of legal education.

Legal education. curricular guidelines. CNE / CES Resolution 9/2004



Texto completo:

PDF

Referências


ADEODATO, J. M. L.. Bases para uma metodologia da pesquisa em Direito. Revista CEJ. Brasília, DF, v. 7, n. 1, p. 143-150, 1999.

BAETA, Herman Assis. História da Ordem dos Advogados do Brasil. Brasília: OABEd, 2003, Vol. 1.

BASTOS, A. W. Os cursos jurídicos e as Elites Políticas Brasileiras: ensaio sobre a criação dos cursos jurídicos. Brasília: Câmara dos Deputados,1978.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. LDB – Lei nº9394/96, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da Educação Nacional. Brasília: MEC, 1996.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura.Decretonº 5.773/2006, de 09 de maio de 2006.Dispões sobre o exercício das funções de regulação, supervisão e avaliação de instituições de educação superior e cursos superiores de graduação e sequenciais no sistema federal de ensino. Brasília: MEC, 2006.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Resolução nº 09/2004, de 29 de setembro de 2004. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de graduação em direito e dá outras providências. Brasília: MEC, 2004.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Resolução nº 02/2007, de 18 de junho de 2007. Dispõe sobre a carga horária mínima e procedimentos relativos à integralização e duração dos cursos de graduação, bacharelados, na modalidade presencial. Brasília: MEC, 2007.

FAGUNDES, Paulo Roney Ávila. OAB ensino jurídico: o futuro da universidade e os cursos de direito – novos caminhos para a formação profissional. Brasil: OAB, 2006.

FEITOSA NETO, Inácio José. O ensino jurídico brasileiro: uma análise dos discursos do MEC e da OAB. Recife: Ed. do autor, 2007.

FRIGOTTO, Gaudêncio. Educação e a crise do capitalismo real. São Paulo: Cortez, 2003. LÔBO, Paulo Luiz Neto. OAB ensino jurídico: parâmetros para elevação da qualidade e avaliação. Brasília: OAB, 1996.

MÉSZÁROS, István. A educação para além do capital. São Paulo: Boitempo, 2008.

MOREIRA, Antônio Flávio Barbosa; SILVA, Tomaz Tadeu. Currículo, Cultura e Sociedade. São Paulo: Cortez, 1999.

MURARO, C. C. A formação do professor de direito. Revista Âmbito Jurídico. Rio Grande, RS, v. 13, n. 73, fev. 2010.

NASCIMENTO, Tarcizo Roberto do. O marco regulatório da educação jurídica brasileira e a redefinição do papel do interventor. Brasília: Tipográfica. 2016.

PALMEIRA, Lana Lisiêr de Lima. O ensino jurídico em Alagoas: razões e sentidos de sua constante valorização.Maceió: EDUFAL. 2011.

PRADO, Edna Cristina do; DIÓGENES, Elione Maria Nogueira (Orgs). Avaliação de políticas públicas: interface entre educação & gestão escolar. Maceió: Edufal.2011.

RODRIGUES, Horácio Wanderlei. Pensando o ensino do direito no século XXI. Florianópolis: Fundação Boiteux, 2002.

VENÂNCIO FILHO, A. Das Arcadas Ao Bacharelismo. 2.ed. São Paulo: Perspectiva, 1982


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.