A interface química e arte no desenvolvimento de competências da BNCC

Luiz Alberto da SILVA JUNIOR, Emmanoelle de França Solano Franquilino da SILVA, Fábio Henrique Galdino dos SANTOS, Ingrid Walesca Valeriano GONÇALVES, Luís Fernando Andrade da SILVA

Resumo


RESUMO

Nesse artigo procedemos a análise de uma Mostra de Ciências realizada em uma escola pública da cidade do Recife que utilizou o tema Ciência e Arte. A partir dessa interface e considerando as múltiplas potencialidades de feiras de conhecimento, buscamos identificar a partir dos trabalhos expostos, da percepção dos estudantes e da avaliação dos professores de ciências da natureza e do corpo gestor da escola quais competências propostas pela Base Nacional Comum Curricular foram atingidas com a Mostra. Diante da análise, identificamos trabalhos que desenvolveram diversas competências e alguns que não foram capazes de explorar toda sua potencialidade. Como avaliação geral da Mostra, tanto docentes quanto gestores avaliaram positivamente. Dessa forma, foi possível construir conhecimentos e competências além da inteligência lógicomatemática a partir da interface entre Ciência e Arte. 

Ciência e arte. Competências. Base Nacional Comum Curricular.

 

The Chemistry and Art Interface in BNCC Skills Development

ABSTRACT

In this article we proceeded to the analysis of a Science Fair in a public school of Recife that used the theme Science and Art. From this interface and considering the multiple potentials of science fairs, we search to identify from the works exposed, the students' perception and the evaluation of the teachers of the natural sciences and the school management which competences proposed by the National Common Curriculum Base were reached with the Fair. With the analysis, we identified works that developed several competences and some that were not able to exploit their full potential. As a general evaluation of the Fair, both teachers and managers evaluated positively. Thus, it was possible to build knowledge and skills beyond logical-mathematical intelligence from the interface between Science and Art. 

Science and Art. Competences. National Common Curriculum Base.


Tra la Chimica e l'Arte nel il sviluppo delle competenze de la Base del Curriculum Nazionale Brasiliano

RIASSUNTO

In questo articolo abbiamo proceduto all'analisi di una mostra di Scienza trascorsa in una scuola pubblica nella città di Recife, Brasile, che ha utilizzato il tema Science e Arte. Tra le molteplici potenzialità delle fiere della conoscenza, cerchiamo di identificare dall quello esposto, la percezione degli studenti e la valutazione degli insegnanti di scienze naturali e della gestione della scuola quali le competenze proposte dalla Base di Curriculum Nazionale Brasiliano erano state ragiunte. Da le l'analisi, abbiamo identificato lavori che hanno sviluppato diverse competenze e alcune che non sono stati in grado di sfruttare tutto il loro potenziale. Come valutazione generale della mostra, sia gli insegnanti che i dirigenti la hanno valutato positivamente. Quindi, è stato possibile costruire conoscenze e abilità oltre l'intelligenza logico-matematica dall'interfaccia tra Scienza e Arte. 

Scienza e Arte Abilità. Curriculum Nazionale Brasiliano. 

 

La interfaz química y artística en el desarrollo de habilidades BNCC 

RESUMEN

En este artículo se procedió al análisis de una Feria de Ciencias en una escuela pública de Recife que utilizó el tema Ciencia y Arte. Desde esta interfaz y teniendo en cuenta los múltiples potenciales de las ferias de ciencias, buscamos identificar a partir de los trabajos expuestos, la percepción de los estudiantes y la evaluación de los profesores de ciencias naturales y la gestión escolar, las competencias propuestas por la National Common Curriculum Base. con la feria Con el análisis, identificamos trabajos que desarrollaron varias competencias y algunos que no pudieron explotar todo su potencial. Como una evaluación general de la Feria, tanto los maestros como los gerentes evaluaron positivamente. Por lo tanto, fue posible desarrollar conocimientos y habilidades más allá de la inteligencia lógicomatemática desde la interfaz entre Ciencia y Arte. 

Ciencia y arte. Competencias Base Nacional Curricular Común.



Texto completo:

PDF

Referências


BARCELOS, N. N. S.; JACOBUCCI, G. N.; JACOBUCCI, D. F. C. Quando o cotidiano pede espaço na escola, o projeto da feira de ciências "vida em sociedade" se concretiza. Ciência & Educação, v. 16, n. 1, 2010.

BERBEL, N. A. N. As metodologias ativas e a promoção da autonomia de estudantes. SEMINA: Ciências Sociais e Humanas, v. 32, n. 1, p. 25–40, 2011.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular: Ensino Médio. Brasília: MEC/Secretaria de Educação Básica, 2018.

FARIAS, L. N. Feiras de ciências como oportunidades de (re)construção do conhecimento pela pesquisa. [Dissertação de Mestrado]. Belém: Programa de PósGraduação em Educação em Ciências e Matemática da Universidade Federal do Pará, 2006.

FLÔR, C. C. Possibilidades de um caso simulado CTS na discussão da poluição ambiental. Ciência & Ensino, v. 1, 2007.

GARDNER, H. Frames of mind: the theory of multiple intelligences. New York: Basic Books, 2011.

HARTMANN, A. M.; ZIMMERMANN, E. Feiras de ciências: a interdisciplinaridade e a contextualização em produções de estudantes de ensino médio. Atas do VII Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, Florianópolis, 2009.

LEÃO, M. C. B. Tecnologias na Educação: Uma abordagem crítica para uma atuação prática. Recife: Editora UFRPE, 2011.

LOPES, R. M. et al. Aprendizagem baseada em problemas: uma experiência no ensino de química toxicológica. Revista Química Nova, v. 34, n. 7, 2011.

MONTEIRO, C. E. A concepção de Inteligências Múltiplas. In: MONTEIRO, C. E.; DE CHIARO, S. Fundamentos Psicológicos do Ensino e da Aprendizagem. Recife: Editora Universitária da UFPE, 2012.

NASCIMENTO, F.; FERNANDES, H. L.; MENDONÇA, V. M. O ensino de ciências no Brasil: história, formação de professores e desafios atuais. Revista HISTEDBR, n. 39, 2010.

ROSA, P. R. S. Algumas questões relativas a feiras de ciências: para que servem e como devem ser organizadas. Revista Caderno Catarinense de Ensino de Física, v. 12, n. 3, 1995.

SILVA, P. B. et al. A pedagogia de projetos no ensino de química, o caminho das águas na região metropolitana do Recife: dos mananciais ao reaproveitamento dos esgotos. Revista Química Nova na Escola, n. 29, 2008.

STAKE, R. E. Pesquisa Qualitativa, estudando como as coisas funcionam. Porto Alegre: Penso, 2011.




DOI: https://doi.org/10.33052/inter.v5i9.243600

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Luiz Alberto Junior SILVA

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.