A Ouvir é que a Gente se Entende

Mónica FARIA

Resumo


RESUMO

“A ouvir é que a gente se entende” é um ensaio que escrevi no início da minha pesquisa de doutoramento em 2012, estimulada pelo VIII encontro do Fórum Internacional Paulo Freire. Tudo começou em 2003 numa viagem que aproximou o Porto, Portugal e Salgueiro (Pernambuco), Brasil. Hoje, olhando para trás, percebo de que foi um momento de viragem, uma tomada de consciência sobre o que havíamos partilhado até então e sobre todas as oferendas que recebi da comunidade quilombola de Conceição das Crioulas durante a viagem a Salgueiro. Na bagagem transportava comigo não só os ensinamentos de Paulo Freire e a pedagogia crioula, que conheci na comunidade; mas também, um medo miudinho da responsabilidade que procurava assumir: queria ir viver na comunidade para estar lá, sentir o ritmo do dia a dia, ser pessoa capaz de assimilar o mundo que me rodeia procurando reinventar-me todos os dias nesta partícula que é global. 

Paulo Freire. Pedagogia crioula. Ouvir.

 

Listening is how we understand each other 

ABSTRACT

“By listening we understand” is an essay that I wrote at the beginning of my PhD research in 2012, catalysed by the VIII meeting of the Paulo Freire International Forum. It all started in 2003 on a trip that connected Porto in Portugal to Salgueiro in (Pernambuco), Brazil. Looking back today, I realize that this essay was a turning point, an awareness of what we had shared so far and all the offerings I received from the quilombola community of Conceição das Crioulas during the trip to Salgueiro. In my luggage I carried with me, not only Paulo Freire's teachings and creole pedagogy, which I learnt within the community but also a fear of the responsibility I sought to assume. I wanted to live in the community of Salgueiro to be there present, to feel the rhythm of its everyday life, and to be able to assimilate the world around me by attempting to reinvent myself daily in this tiny particle that is global.

Paulo Freire. Crioula Pedagogy. Listening.

 

Ad’ascoltare le persone si capiscono 

RIASSUNTO

"Ad’ascoltare le persone si capiscono" é stato un picolo articolo che ho scrito mentre facevo le indagini l doutoramento nel 2012, dopo che o conosciutto , Paulo Freire in un evento scientífico. Nel 2003 fece un commento che avvicinava a Porto, Portogallo e Salgueiro (cittá di Pernambuco), Brasile. Hoje, guardando indietro, baluardo di quello che fu un momento di coscienza che avevamo collaborato a tutte le regali ricevuti dalla comunità Quilombola di Conceição de le Crioulas in un viaggio a Salgueiro. Nel bagaglio portava con mé gli ensegnamenti de Paulo Freire e la pedagogia crioula, che conubi ne la comunità. O sentito la responsabilità da assumere: volevo vivere, sentire i ritmo de le giornate, volevo esse una persona capace di sentire il mondo in torno a me, cercando de reinventarmi tutti i giorni. 

Paolo Freire. Pedagogia Crioula. Il Ascoltare.

 

Escuchar: es como nos entendemos

RESUMEN

"Al escuchar entendemos" es un ensayo que escribí al comienzo de mi investigación de doctorado en 2012, catalizado por la VIII reunión del Foro Internacional Paulo Freire. Todo comenzó en 2003 en un viaje que conectaba Oporto en Portugal con Salgueiro en (Pernambuco), Brasil. Mirando hacia atrás hoy, me doy cuenta de que este ensayo fue un punto de inflexión, una conciencia de lo que habíamos compartido hasta ahora y todas las ofertas que recibí de la comunidad quilombola de Conceição das Crioulas durante el viaje a Salgueiro. En mi equipaje llevé conmigo, no solo las enseñanzas y la pedagogía criolla de Paulo Freire, que aprendí dentro de la comunidad, sino también el temor a la responsabilidad que quería asumir. Quería vivir en la comunidad de Salgueiro para estar presente, sentir el ritmo de su vida cotidiana y asimilar el mundo que me rodea intentando reinventarme diariamente en esta pequeña partícula que es global. 

Paulo Freire. Pedagogía Crioula. Escuchando.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.33052/inter.v5i9.243603

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Mónica Faria

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.