Educação como Fundamento da Vida: Algumas Reflexões sobre Educação das Relações Étnico-raciais desde o nosso Contexto Afrodiaspórico

Vívian Parreira da SILVA, Aida Victoria Garcia MONTRONE

Resumo


RESUMO

O objetivo deste artigo é dialogar experiências para ampliarmos nossas compreensões em educação, tendo como enfoque ações e reflexões fundamentadas no antirracismo e na decolonialidade. Ao buscarmos novas pedagogias, epistemologias e caminhos de construir conhecimentos, nos deparamos com os limites e amarras que a colonialidade nos coloca. Ainda temos a naturalização do pensamento eurocêntrico, o que provoca uma blindagem na capacidade de compreendermos e reconhecermos a nossa diversidade cultural enquanto potências educativas. A partir de algumas reflexões tecidas em diálogo com autoras e autores, pudemos colaborar com mais fios, cores e caminhos na construção de pedagogias anti-racistas. Mais uma vez reforçamos a necessidade de vivenciarmos processos educativos que nos permitam ser e existir respeitando, reconhecendo e valorizando a diversidade de saberes assentados nas giras, nos cantos, nas rodas e nas brincadeiras que nos fortalecem para continuarmos a caminhada.

Educação das relações étnico-raciais. Decolonialidade. Racismo.

 

ABSTRACT

The purpose of this article is to put experiences to dialogue and expand our understanding on education, focusing on actions and reflections based on antiracism and decoloniality. When looking for new pedagogies, epistemologies and ways of building knowledge, we are faced with the limits and bonds that coloniality places on us. We still have the naturalization of Eurocentric thinking, which provokes a shield in the ability to understand and recognize our cultural diversity as educational powers. From some reflections made in dialogue with authors, we were able to collaborate with more threads, colors and paths in the construction of anti-racist pedagogies. Once again we reinforce the need to experience educational processes that allow us to be and exist respecting, recognizing and valuing the diversity of knowledge based on the giras, in the corners, on the circles and in the plays that strengthen us to continue the journey.

Education of ethnic-racial relations. Decoloniality. Racism.

 

RESUMEN

El propósito de este artículo es discutir experiencias para ampliar nuestra comprensión de la educación, centrándonos en acciones y reflexiones basadas en el antirracismo y la descolonialidad. Al buscar nuevas pedagogías, epistemologías y formas de construir conocimiento, nos enfrentamos a los límites y lazos que nos impone la colonialidad. Aún tenemos la naturalización del pensamiento eurocéntrico, que provoca un escudo en la capacidad de comprender y reconocer nuestra diversidad cultural como poderes educativos. A partir de algunas reflexiones realizadas en diálogo con los autores, pudimos colaborar con más hilos, colores y caminos en la construcción de pedagogías antirracistas. Una vez más, reforzamos la necesidad de vivir procesos educativos que nos permitan ser y existir respetando, reconociendo y valorando la diversidad de conocimientos a partir de los giros, curvas, ruedas y juegos que nos fortalecen para continuar el camino.

Educación de las relaciones étnico-raciales. Descolonialidad. Racismo.

 

SOMMARIO

lo scopo di questo articolo è discutere le esperienze per espandere la nostra comprensione dell'educazione, concentrandosi su azioni e riflessioni basate sull'antirazzismo e sulla decolonialità. Quando si cercano nuove pedagogie, epistemologie e modi per costruire la conoscenza, ci troviamo di fronte ai limiti e ai legami che la colonialità ci pone. Abbiamo ancora la naturalizzazione del pensiero eurocentrico, che provoca uno scudo nella capacità di comprendere e riconoscere la nostra diversità culturale come poteri educativi. Da alcune riflessioni fatte in dialogo con gli autori, abbiamo potuto collaborare con più fili, colori e percorsi nella costruzione di pedagogie antirazziste. Ancora una volta, rafforziamo la necessità di sperimentare processi educativi che ci permettano di essere ed esistere rispettando, riconoscendo e valorizzando la diversità del sapere basata su colpi di scena, angoli, ruote e giochi che ci rafforzano per continuare il viaggio.

Educazione alle relazioni etnico-razziali. Decolonialità. Razzismo.


Texto completo:

PDF

Referências


ABRAMOWICZ, Anete, BARBOSA Lúcia Maria Barbosa, SILVÉRIO Valter Roberto (orgs) Educação como prática da diferença. Campinas – SP. Armazém do Ipê 2006.

BÂ, Amadou Hampanté. A tradição viva. In. História geral da África, I: Metodologia e pré-história da África / editado por Joseph Ki-Zerbo. – 2.ed. rev. – Brasília: UNESCO, 2010, p. 167-212.

BRASIL. Leis e Decretos. Lei nº 10.639, de 09 de janeiro de 2003. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/l10.639.htm. Acesso em: 30 jun. 2019.

CASTIANO, José P. Referenciais da filosofia africana: em busca da intersubjetivação. Maputo: Editora Ndjira, 2010.

DUSSEL, Enrique. Cultura Imperial, Cultura Ilustrada e Libertação da Cultura Popular. In: DUSSEL, Enrique (Org.). Para uma ética da libertação latino-americana, t. III: erótica e pedagógica. São Paulo - Piracicaba: Loyola-UNIMEP, 1982.

FANON, Frantz. Pele negra, máscaras brancas. Salvador: EDUFBA, 2008.

FIORI, Ernani Maria. Conscientização e educação. Educação e Realidade. Porto Alegre: UFRGS, v.11, n.1, p. 3-10, jan./jun., 1986.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da esperança. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2008.

FREIRE, Paulo. Política e Educação. São Paulo: Vila das Letras, 2007.

GOMES, Nilma Lino. O Movimento Negro Educador: saberes construídos na luta por emancipação. Petrópolis - RJ: Vozes, 2017.

HALL, Stuart. Da Diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: Editora UFMG; Brasília: Representações da UNESCO no Brasil. 2003.

HENRIQUE, Ricardo; CAVALLEIRO, Eliane. Prefácio à 2° edição (2005). In: MUNANGA, Kabengele. (Org.). Superando o racismo na escola. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, 2005. p. 11-13. Disponível em: http://www.apeoesp.org.br/sistema/ck/files/9_Munanga_K_org_Superando%20o%20racismo%20na%20escola.pdf. Acesso em: 12 out. 2019.

LUZ, Marco Aurélio. Agadá: Dinâmica da Civilização Africano-Brasileira. Salvador: EDUFBA, 2013.

MATURANA, Humberto; VERDEN-ZÖLLER, Gerda. Amar e Brincar fundamentos esquecidos do humano. São Paulo: Palas Athena, 2004.

MUNANGA, Kabengele Rediscutindo a Mestiçagem no Brasil identidade nacional versus identidade negra. 3 edição. Belo Horizonte Autêntica, 2008.

OLIVEIRA, Eduardo David. Filosofia da Ancestralidade: corpo e mito na filosofia da educação brasileira. Curitiba: Editora Gráfica Popular, 2007.

OLIVEIRA, Eduardo. Cosmovisão africana no Brasil: elementos para uma filosofia afrodescendente. Curitiba: Editora Gráfica Popular, 2006.

OLIVEIRA, Maria Waldenez de. et al. Processos educativos em práticas sociais: reflexões teóricas e metodológicas sobre pesquisa educacional em espaços sociais. In: OLIVEIRA, Maria Waldenez de; SOUSA, Fabiana Rodrigues de (Orgs.). Processos educativos em práticas sociais: pesquisas em educação. São Carlos: EdUFSCar, 2014, p. 29-46.

OYĚWÙMÍ, Oyèrónkẹ́. Visualizando o Corpo: Teorias Ocidentais e Sujeitos Africanos. Visualizing the Body: Western Theories and African Subjects in: OYĚWÙMÍ, Oyèrónkẹ́. The invention of women: making an African sense of western gender discourses. Minneapolis: 261University of Minnesota Press, 1997, p. 1-30. Tradução para uso didático de wanderson flor do nascimento.

PETIT, Sandra Haydée. Pretagogia: Pertencimento, Corpo-Dança Afroancestral e Tradição Oral – Contribuições do Legado Africano para a Implementação da Lei nº 10.639/2003. Fortaleza: EdUECE, 2015.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidade do Poder e classificação social. In: SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula Gutierrez (Orgs.). São Paulo: Cortez, 2010.

RIBEIRO, Djamila. O Que é Lugar de Fala? Belo Horizonte - MG: Letramento, 2017.

RUFINO, Luiz. Exu e a pedagogia das encruzilhadas. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação - Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), 2017.

RUFINO, Luiz. Pedagogia das Encruzilhadas. Rio de Janeiro: Mórula, 2019.

SANTOS, Antônio Bispo. Colonização, Quilombos. Modos e Significados. Brasília: Instituto de Inclusão no Ensino Superior e na Pesquisa, 2015.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Para além do pensamento abissal: das linhas globais a uma ecologia de saberes. In: SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula (org.). Epistemologias do sul. São Paulo: Cortez, 2010, p.31-83.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Para além do pensamento abissal: das linhas globais a uma ecologia de saberes. Novos Estudos 79 Novembro 2007. p 71-94.

SENGHOR, Leopold Sedar. Um Caminho do Socialismo. Rio de Janeiro: Record distribuidora, 1965.

SIMAS, Luiz Antônio; RUFINO, Luiz. Fogo no mato, a Ciência Encantada das Macumbas. Rio de Janeiro: Móruloa, 2018.

SIMAS, Luiz Antônio; RUFINO, Luiz. Flecha no Tempo. Rio de Janeiro: Mórula, 2019.

SILVA, Petronilha Beatriz Gonçalves; BERNADES, Nara Marua Guazzelli. Roda de conversas: Excelência acadêmica é a diversidade. Educação. Porto Alegre, n.01, p.53-92. jan./abr. 2007.

SILVA, Petronilha Beatriz Gonçalves. Aprender, ensinar e relações étnico-raciais. Educação. Porto Alegre, v. 63, n. 03. p. 489-506. Set/dez. 2007.

SILVA, Petronilha Beatriz Gonçalves e. O trabalho Educação das Relações Étnico-Raciais nas instituições escolares. Educar em Revista, Curitiba, v.34, n.69, p.123-150, maio/jun. 2018.

SILVA, Petronilha Beatriz Gonçalves. Aprendizagem e ensino das Africanidades Brasileiras. In: MUNANGA, K. (Org.). Superando o racismo na escola. Brasília: Ministério da Educação/Secretaria de Educação Fundamental, 2001.

SILVA, Petronilha Beatriz. Gonçalves; OLIVEIRA, Maria. Waldenez. Iniciação de educadores sociais à pesquisa científica. São Carlos: NEAB/UFSCar, 2000. (mimeografada).

SILVA, Vívian Parreira. Do chocalho ao Bastão: Processos Educativos do Terno de Congado Marinheiro de São Benedito – Uberlândia-MG. São Carlos, 2011. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR), 2011.

TEDLA, Eleni. Sankofa, african thought and education. New York: Peter Lang, 1995.

TRINDADE, Azoilda Loretto da. Valores Civilizatórios Afro-Brasileiros na Educação infantil. Valores afro-brasileiros na educação, 2008. Disponível em: http://www.diversidadeducainfantil.org.br/PDF/Valores%20civilizat%C3%B3rios%20afrobrasileiros%20na%20educa%C3%A7%C3%A3o%20infantil%20-%20Azoilda%20Trindade.pdf. Acesso em: 21 jul. 2020.




DOI: https://doi.org/10.33052/inter.v6i12.248987

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Vívian Parreira da SILVA, Aida Victoria Garcia MONTRONE

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.