Paulo Freire na trilha da criatividade libertadora

Agostinho da Silva Rosas

Resumo


O artigo decorre das discussões realizadas a partir da tese ‘educação popular com Paulo Freire pressupõe criatividade libertadora’. Como recorte teórico, centrou-se na leitura de Educação como prática da liberdade e Pedagogia do oprimido delimitando argumentos ao contexto e significado de criatividade e ação criativa. Dois objetivos foram elaborados desenhando o movimento metódico mediado pela dialética freireana.
Um pretendeu demonstrar que criatividade é conotação fundante ao pensamento freireano e, na continuidade, outro objetivo delimitou a maneira de pensar-agir com criatividade e ação criativa em educação libertadora. Deduz-se que o pensamento freireano descrito se constitui em espaço teórico à criatividade e ação criativa, limitado pela singularidade da educação libertadora.

Texto completo:

PDF

Referências


ARROYO, M.. Paulo Freire e o projeto popular para o Brasil. In Paulo Freire. Vida e

obra. Organizado por Ana Inês Souza [et.al.]. São Paulo: Expressão Popular, pp. 267-278, 2001.

BRANDÃO, C. R.. Paulo Freire, o menino que lia o mundo: uma história de

pessoas, de letras e palavras. São Paulo: Editora UNESP, Série Paulo Freire, 2005.

FREIRE, P. R. N.. Educação e atualidade brasileira. Tese de concurso para a

cadeira de História e Filosofia da Educação. Escola de Belas Artes de Pernambuco.

Recife-PE, 1959.

_______. Educação Como Prática da Liberdade. São Paulo: Paz e Terra, 1967.

_______. Cartas à Guiné-Bissau: registros de uma experiência em processo. 4

Edição. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1978.

_______. Pedagogia do Oprimido. 17 edição. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

_______. Pedagogia da esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido.

Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

_______. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa.

Coleção Leitura; 15a edição. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

_______. Ação cultural para a liberdade: e outros escritos. 9a edição, Coleção O

Mundo, Hoje, vol. 10. São Paulo: Paz e Terra, 2001.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Revista INTERRITÓRIOS