Dispersão de Espécie Exótica no Parque Nacional da Lagoa do Peixe e Seu Entorno (Dispersion of Exotic Vegetation Into and Around the Lagoa do Peixe National Park)

Luana Portz, Rogério Portantiollo Manzolli, Dejanira Luderitz Saldanha, Iran Carlos Stalliviere Correa

Resumo


O Parque Nacional da Lagoa do Peixe está localizado no litoral sul do estado do Rio Grande do Sul. Dentre os conflitos existentes dentro da área do parque e no seu entorno, o aumento e a dispersão da vegetação exótica, vem gerando inúmeras discussões. Neste contexto o objetivo do presente trabalho foi identificar a distribuição espacial, ao longo do tempo, das áreas de plantações de Pinus sp. Para tanto foram utilizadas imagens multiespectrais de sensoriamento remoto (TM-Landsat 5), com datas entre 1986 e 2009, sendo realizada a classificação manual por meio da vetorização, verificação de campo e análise quantitativa e qualitativa dos resultados obtidos. O problema principal da dispersão natural de Pinus sp. é encontrado na margem da lagoa principal, margeada por banhados e por pinus, cuja dispersão espontânea está competindo com o crescimento da vegetação natural e alterando o cenário típico da região. De 1986, data de criação do parque, até hoje a área de pinus, no entorno desta lagoa, cresceu de 61 para 252 ha. Este aumento da área de ocorrência de Pinus sp, em mais de 4 vezes, torna necessária a sua extração, a fim de preservar as espécies nativas da região, bem como a diversidade biológica a ela associada. A expansão da silvicultura é preocupante, pois assumiu uma grande proporção em área, não se encontrando ações que indiquem uma desaceleração deste processo. Além de diminuir o valor estético da paisagem natural esta invasão poderá comprometer o potencial turístico e principalmente de preservação ambiental ao qual o título de Parque Nacional exige.

Palavras chaves: Pinus sp., Landsat, impactos.

 

Dispersion of Exotic Vegetation Into and Around the Lagoa do Peixe National Park 

 

ABSTRACT

Lagoa do Peixe National Park presents a great variety of fragile ecosystems. Among the conflicts present into and around the Park is the increase and dispersion of exotic vegetation, that is generating several discussions. In this context, the objective of this paper was identifying the spatial distribution, over time, of the Pinus sp. plantations in this area. For both researches, it was used multispectral images (Landsat), with dates between 1986 and 2009, and performed the manual classification, field verification and analysis of quantitative and qualitative results. The main problem related to the natural dispersal of Pinus sp. is found on the shore of the park’s main lagoon. This area is bordered by marshes and Pinus sp. whose spontaneous dispersion is competing with the natural vegetation and altering the typical scenery of this region. Since the creation of the park (1986) until today, the area of pinus, around the lagoon, has grown from 61 to 252 ha. This increase, more than four times, makes it necessary its extraction in order to preserve the native species and the biodiversity associated. The expansion of forestry in the Lagoa do Peixe National Park is worrisome because it has been taking a great extent of the area, and there are no actions that indicate a slowdown of this process.

Keyword: Pinus sp., Landsat, impact.


Palavras-chave


Pinus sp.; Landsat; impactos.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v4i1.232694



      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License