Comportamento da Precipitação Pluviométrica nas Porções Alta e Média da Bacia Hidrográfica do Rio Canoas/SC: Análise Temporal de 1986-2016 (Rainfall distribution in the upper and middle portions of the Canoas Watershade / SC: 1986-2016 Temporal analysis)

Andrea Cristina Conceição Lemos, Dejanira Luderitz Saldanha, Álvaro Luiz Mafra

Resumo


Este estudo identificou os principais sistemas atmosféricos que influenciam nas precipitações pluviométricas no alto e médio trecho da bacia hidrográfica do rio Canoas durante os anos de 1986-2016. Foram manipulados dados anuais e mensais de 15 estações pluviométricas localizadas em quatorze municípios da região central do estado de Santa Catarina (Brasil). Os dados de médias pluviométricas foram obtidos das séries de dados históricos e espacializadas através do método de interpolação IDW. Por ser uma região de transição atmosférica sofre influência de diversos fatores ambientais. Na área de estudo foi possível observar a influência de três sistemas atmosféricos principais na precipitação: o sistema de monção, o qual eleva os valores da precipitação no leste da área de estudo principalmente nos municípios de Urubici e Bom Retiro; os Complexos Convectivos de Mesoescala (CCMs), que elevam os padrões de precipitação no centro-oeste principalmente nos meses de primavera; e por fim as frentes vindas do sul, as quais influenciam no total das precipitações nos meses de inverno. A espacialização desses padrões e compreensão das dinâmicas presentes na área são importantes para o monitoramento e identificação de anomalias no comportamento pluviométrico da região, auxiliando tanto na agricultura como no planejamento/aproveitamento territorial. 

 

 

A B S T R A C T

This study identified the main atmospheric systems that influence rainfall in the upper and middle portions of the Canoas river watershed during the years 1986-2016. Annual and monthly data were analyzed from 15 pluviometric stations located in fourteen municipalities in the central region of Santa Catarina state (Brazil). The average rainfall data were obtained from the historical data series and spatialized using the IDW interpolation method. Being a region of atmospheric transition, it is influenced by several environmental factors. In the study area, it was possible to observe the influence of three main atmospheric systems on the precipitation: the monsoon system, which increases precipitation values in the east side of the study area, mainly in the municipalities of Urubici and Bom Retiro; the Mesoscale Convective Complexes (CCMs), which raises rainfall patterns in the midwest region, especially in the spring months; and finally the southern fronts, which influences the total precipitation in the winter months. The spatialization of these patterns and understanding of the dynamics present in the area are important for the monitoring and identification of anomalies in the pluviometric distribution in the region, helping both in agriculture and in the planning / territorial utilization.

Keywords: watershed - Canoas River – precipitation - rainfall distribution.


Palavras-chave


Bacia hidrográfica; Rio Canoas; Precipitação; Comportamento pluviométrico.

Texto completo:

PDF

Referências


Amorim. R. C. F.; Ribeiro, A.; Leite, C. C.; Leal, B. G.; Silva, J. B.G. 2008. Avaliação do desempenho de dois métodos de espacialização da precipitação pluvial para o Estado de Alagoas. Acta Scientiarum Technology 30, 87-91.

BIgarella, J. J. et al. 2007. Estrutura e origem das paisagens tropicais e subtropicais, 2 ed. UFSC. Florianópolis.

Browing, K.A. 1986. Conceptual models of precipitation systems. Meteorological Magazine 114. Disponível: https://journals.ametsoc.org/doi/pdf/10.1175/15200434%281986%29001%3C0023%3ACMOPS%3E2.0.CO%3B2, 293-319. Acesso: 15 out. 2017.

Caruso, C.; Quarta, F. 1998. Interpolation methods comparison. Comp. Math. Appl., Amsterdam 35. Disponível: https://doi.org/10.1016/S0898-1221(98)00101-1. Acesso: 10 out. 2017

Ely, D. F. 2006. Teoria E Método Da Climatologia Geográfica Brasileira: Uma Abordagem Sobre Seus Discursos E Práticas. Tese (Doutorado). Presidente Prudente, UNESP.

Fernandes, K.A. 1996. Cavados invertidos na região central da América do Sul. Tese (Doutorado). São José dos Campos, INPE.

Grimm, A. M. 2009. Clima no Sul do Brasil, in. Cavalcanti, I.F de A; Ferreira, N.J; Silva, M.G.A.J da; Dias, M.A.F da S. Tempo e Clima no Brasil. Editora Oficina de Texto, São Paulo, pp.258-276.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2010. Atlas do Censo Demográfico 2010. Disponível: https://censo2010.ibge.gov.br/apps/atlas/. Acesso: 08 jul. 2017.

Kousky, V.E.; Cavalcanti, I.F. 1984. Eventos Oscilação Sul - El Niño: características, evolução e anomalias de precipitação. Ciência e Cultura 36(11), 1888-1889.

Kousky, V.E.; Ropelewsiki, C.H. 1989. Extremes in the Southern Oscillation and their relationship to precipitation anomalies whith emphasis on the South America region. Revista Brasileira de Meteorologia 4, 351-363.

Maddox, R.A. 1980. Mesoscale Convective Complexes. Bul Amer Meteorol Soc 61. Disponível: https://doi.org/10.1175/1520-0477(1980)061<1374:MCC>2.0.CO;2. Acesso 08 jul. 2017.

Maddox, R.A. 1983. Large-scale meteorological conditions associated with midlatitude, mesoscale convective complexes. Mon Weather Rev 111. Disponível: https://doi.org/10.1175/1520-0493(1983)111<1475:LSMCAW>2.0.CO;2. Acesso 08 jul. 2017.

Maier, E. L. B.; Costi, J.; Barreira, S.; Simões, J. C. 2016. Precipitações na América do Sul: médias climáticas e padrões da variabilidade no período entre 1979 e 2008. Revista Brasileira de Geografia Física v.9, n.01. Disponível; https://periodicos.ufpe.br/revistas/rbgfe/article/view/233674. Acesso: 04 jun.2017.

Marcuzzo, F.F.N.; Andrade, L.R.; Melo, D.C.R. 2011. Métodos de interpolação matemática no mapeamento de chuvas no estado do Mato Grosso. Revista Brasileira de Geografia Física, v.4. Disponível: https://periodicos.ufpe.br/revistas/rbgfe/article/view/232714. Acesso: 04 jun. 2017.

Monteiro, C. A. de F.. 1971. Análise ritmica em climatologia: problemas da atualidade climática em São Paulo e achegas para um programa de trabalho. Climatologia 1. Disponível: http://bdpi.usp.br/item/001349819. Acesso: 07 mai. 2017.

Monteiro, C. A. F. 1976. Teoria e clima urbano. Séries Teses e Monografias 25. Instituto de Geografia da USP, São Paulo.

Vera, C.; Baez, J.; Douglas, M.; Emmanuel, C. B; Marengo, J.; Meitin, J.; Nicolini M.; Nogues-Paegle, J.; Paegle, J.; Penalba, O.; Salio, P.; Saulo, C.; Silva Dias, M. A.; Silva Dias, P.; Zipser, E. 2006. The South American Low-Level Jet Experiment. American Meteorological Society 87. Disponível: https://journals.ametsoc.org/doi/pdf/10.1175/BAMS-87-1-63. Acesso: 04 jun.2017.

Oliveira, A. S. 1986. Interações entre sistemas na América do Sul e convecção na Amazônia. Dissertação (Mestrado). São José dos Campos, INPE.

Pandolfo, C.; Braga, H. J.; Silva, JR, V. P. da; Massignam, A. M., Pereira, E. S.; Thomé, V. M. R.; Valci, F.V. 2002. Atlas climatológico digital do Estado de Santa Catarina. Florianópolis: Epagri. CD-Rom.

Rossato, M. S. 2011. Os climas do Rio Grande do Sul: variabilidade, tendências e tipologia. Tese (Doutorado). Porto Alegre, UFRGS.

Ropelewsiki, C.R.; Halpert, S. 1987. Global and regional scale precipitation patterns associated with the El Niño/Southern Oscillation. Mon. Weather Rev 115, 1606-1626.

Sant”Anna Neto, J. L. 1998. Clima e organização do espaço, in: Boletim de Geografia n.16. Disponivel: http://www.periodicos.uem.br/ojs/index.php/BolGeogr/article/view/12158. Acesso 7 jul.2017. http://dx.doi.org/10.4025/bolgeogr.v16i1.12158

Scolar, J.; Figueiredo, J.C. 1990. Análise das condições inóticas associadas à formação de Complexos Convectivos de Mesoescala, in: VI CONGRESSO BRASILEIRO DE METEOROLOGIA, CBMET, Anais 2, 457 – 461.

Velasco, I.; Fritsch, J.M. 1987. Mesoscale Convective Complexes in the Americas. Journal of Geophycal Research 92. Disponível: https://agupubs.onlinelibrary.wiley.com/toc/21562202d/1987/92/D8. Acesso: 10 out.2017.

Zipser, E.J.; Cecil, D. J.; Liu, C.; Nesbitt, S.W.; Yorty, D.P. 2006. Where are the most intense thunderstorms on Earth? Americal Meteorological Society 87. Disponível: https://journals.ametsoc.org/doi/abs/10.1175/BAMS-87-8-1057. Acesso: 04 jun.2017. https://doi.org/10.1175/BAMS-87-8-1057




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v11.4.p1264-1274

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License