Que há nas margens dos rios? Reflexões a partir da paisagem do rio Capibaribe – Pernambuco em cidades (What is on the banks of the rivers? Reflections from the Capibaribe River landscape - Pernambuco in cities)

João Paulo Gomes de Vasconcelos Aragão, Edvânia Torres Aguiar Gomes

Resumo


As margens de rios são componentes do substrato natural das bacias hidrográficas e representam as transformações e o estado de desenvolvimento de um sistema natural, por vezes, imbricado a um sistema social de um dado povo e suas complexas e relevantes formas de ocupação e uso dos solos no tempo espaço. A definição de margens de rios a partir de parâmetros numéricos e/ou de aspectos naturais demonstra-se limitada para representar a complexidade das relações estabelecidas sobre estas áreas, bem como insuficiente para fomentar processos de conservação ou recuperação das margens de rios. O objetivo deste trabalho foi discutir margens de rios a partir dos processos de ocupação e uso dos solos ilustrados em recortes de paisagens de cidades banhadas pelo rio Capibaribe, estado de Pernambuco. Para isso, foram levantadas fotografias e imagens de satélite das margens do rio Capibaribe em cidades e identificadas formas de ocupação e uso, refletindo, cada realidade verificada, segundo uma visão sistêmica das relações Sociedade – Natureza. A paisagem foi utilizada como categoria que fomenta um ponto de partida aos estudos sobre meio ambiente e o espaço com seus elementos constituintes. Acredita-se que as “margens de rios” são áreas componentes do processo de reprodução espacial, sendo marcadas pela coexistência e integração de processos naturais e sociais. Isto significa que sua delimitação em planos de gestão, recuperação e/ou conservação deve pautar-se nas associações deste ambiente com outras subunidades de planejamento desde a pequena cidade, a rede de cidades, a mesorregião e/ou a bacia hidrográfica.

 

 

 

A B S T R A C T

Riverbanks are components of the natural substrate of river basins and represent the transformations and developmental state of a natural system, sometimes interwoven with a social system of a given people and their complex and relevant forms of occupation and land use in time space. The definition of riverbanks from numerical parameters and / or natural aspects is limited to represent the complexity of the relationships established in these areas, as well as insufficient to foster conservation processes or recovery of riverbanks. The objective of this work was to discuss river banks from the processes of occupation and use of the soils illustrated in the landscapes of cities covered by the Capibaribe river, state of Pernambuco. To this end, photographs and satellite images of the banks of the Capibaribe river were taken in cities and identified forms of occupation and use, reflecting each verified reality, according to a systemic view of Nature - Society relations. The landscape was used as a category that fosters a starting point for studies on the environment and space with its constituent elements. It is believed that the ";river banks"; are areas that are part of the process of spatial reproduction, and are marked by the coexistence and integration of natural and social processes. This means that its delimitation in management, recovery and / or conservation plans should be based on the associations of this environment with other planning subunits from the small town, the network of cities, the mesoregion and / or the catchment area.

Key words: River banks; landscape; Capibaribe river.

 

 


Palavras-chave


Margens de rios; paisagem; rio Capibaribe.

Texto completo:

PDF (Português)


DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v9.6.p1784-1803



      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License