Cartografia das Inundações na Planície Aluvial do Rio Ivaí (Cartography of Floods in Ivaí River Alluvial Plain)

Nelson Douhi, Manoel Luiz dos Santos

Resumo


Resumo

Este estudo corresponde a representação cartográfica das áreas inundáveis da planície aluvial do rio Ivaí, que compreende os últimos 150km do baixo curso do rio Ivaí até a sua confluência com o rio Paraná. As informações se baseiam em levantamentos cartográficos, imagens de satélite, SRTM, levantamentos de campo e entrevistas aos moradores das áreas alagáveis. A metodologia adotada para a cartografia das áreas inundáveis foi proposta por Lambert (1990) e posteriormente detalhada e sistematizada por Lambert at al. (1999) e é conhecida como “Método Hidrogeomorfológico”. As informações foram agrupadas em um banco de dados no software Spring, tendo como produto final a carta das áreas inundáveis. Os resultados demonstram uma planície de inundação pouco ativa, de respostas rápidas e com forte controle das precipitações de grande intensidade, sem um padrão de cheias e vazantes. As áreas inundáveis ocupam menos de 40% da planície aluvial, mesmo nos eventos de cheia de maior magnitude. A recorrência mínima para as inundações é de 1,31 anos, porém as áreas atingidas representam apenas 1% da planície aluvial. Há poucos ambientes de integração rio-planície, reflexo das poucas áreas ativas durante as inundações e pelo forte impacto das atividades econômicas, principalmente a rizicultura e a pecuária. As informações decorrentes deste estudo representam maiores possibilidades ao planejamento e gerenciamento da planície de inundação, visando a redução dos impactos ambientais e dos riscos associados às inundações, além de um maior entendimento da dinâmica e das características dos ambientes de inundação.





 

A B S T R A C T

 

This study corresponds to cartographic representation of flood hazard delineation of the alluvial plain in Ivai River considering the last 150 km of its lower course until the confluence with Paraná River. The information is based on cartographic survey, satellite images, SRTM, field research and interviews with residents in flood-prone areas. The methodology it is known as “Hydrogeomorphologic  Method”. The information was grouped in a database on SPRING software, having as a result the Map of Flood-prone Areas. The results show a Floodplain not very active, with fast answers and high control of great intensity rainfall precipitation without a pattern of flood and ebb. The flood hazard areas occupy less than 40% of the alluvial plain, even in flood events of greater magnitude. The minimal recorrence of floods is 1,31 years, however the hit areas represent only 1% of alluvial plain. There are few environments of river-plain integration, reflex of few active areas in the flood periods, and due to strong impact of economic activities, mainly the rice growing and livestock. The information obtained from this study represents greater possibilities on planning and management of floodplain, aiming the reducing of environment impacts, and the riscks associated to flood, besides better understanding of the dynamics and characteristics of flood areas.

 

Key-words: Fluvial dynamics; Cartography; Floods; Ivaí River.



Palavras-chave


Dinâmica Fluvial; Cartografia; Inundações; Rio Ivaí.

Texto completo:

PDF

Referências


Ballais, J. L., Chave, S., Dupont, N., Masson, É., Penven, M. J., 2011. La méthode hydrogéomorphologique de détermination des zones inondables. Physio-Géo - collection Ouvrages. Disponível em: < http://www.physio-geo.fr/infos/ballaislourd.pdf>. Acesso: 20 jan. 2010.

BRASIL, 2012. Lei nº 12.651, de 25 de maio. Dispõe sobre a proteção da vegetação nativa. Publicado no Diário Oficial da União, de 28 de maio de 2012. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2012/Lei/L12651.htm>. Acesso: 05 jun. 2013.

BRASIL, 2002. Resolução nº 303, de 20 de março. Conselho Nacional do Meio Ambiente. Dispõe sobre parâmetros, definições e limites de Áreas de Preservação Permanente. Publicado no Diário Oficial da União, de 13 de maio de 2002. Disponível em: < http://www.siam.mg.gov.br/sla/download.pdf?idNorma=274>. Acesso: 23 jul. 2013.

Castro, A. L. C., 2003. Manual de Desastres: desastres naturais. Volume 1. Ministério do Planejamento e Orçamento, Brasília.

Charlton, R., 2008. Fundamentals of Fluvial Geomorphology. Routledge, London.

Comunello, E., 2001. Dinâmica de inundação de áreas sazonalmente alagáveis na planície aluvial do alto rio Paraná. Dissertação (Mestrado em Ecologia de Ambientes Aquáticos Continentais). Maringá, Universidade Estadual de Maringá.

DIAGNÓSTICO DO APROVEITAMENTO DO BAIXO CURSO DO RIO IVAÍ PARA TRANSPORTE E GERACÃO DE ENERGIA.1984.THEMAG/PROENSI. V. 1. São Paulo.

DIAGNÓSTICO DO APROVEITAMENTO DO BAIXO CURSO DO RIO IVAÍ PARA TRANSPORTE E GERACÃO DE ENERGIA. 1984. THEMAG/PROENSI. V. 2. São Paulo.

Douhi, N., 2013. Regime e sistemas de controle das cheias do baixo Ivaí e cartografia das áreas inundáveis. Tese (Doutorado em Geografia). Maringá, Universidade Estadual de Maringá.

Garry G., 1985. Photo-interprétation et cartographie des zones inondables. Édit. STU, Paris.

Hudson, P. F., Colditz, R. R., 2003. Flood Delineation in a Large and Complex Alluvial Valley, Lower Pánuco Basin, Mexico. Journal of Hydrology, 280, 229 – 245. Disponível em: . Acesso: 12 maio 2013.

Lambert, R., 1990. Pour une approche géographique du temps de retour des averses et de crue. In: Colloque de Vernet, l’Aiguat del 40, les inondations catastrophiques, Univ. de Perpignan, Narbonne.

Lambert, R., Gholami, M., Prunet, C., 1999. Métodologie pour une Cartographie Informative des Zones Inondables en Midi-Pyrenées. Université Toulouse II / DIREN Midi-Pyrenées, Toulouse.

Leli, I. T., 2010. Variação espacial e temporal da carga suspensa do rio Ivaí. Dissertação (Mestrado em Geografia). Maringá, Universidade Estadual de Maringá.

Masson, M., 1983. Essai de cartographie des champs d'inondation par photointerprétation. Rapport. CÉTÉ Méditerranée-STU, Aix-en-Provence.

Meurer, M., 2004. Regime de cheias e cartografia de áreas inundáveis no alto rio Paraná, na região de Porto rico – Pr. Dissertação (Mestrado em Geografia). Maringá, Universidade Estadual de Maringá.

Morais, E. S., 2010. Evolução da planície de inundação e confluência do rio Ivaí e rio Paraná na região do Pontal do Tigre, Icaraíma - PR: uma abordagem geomorfológica. Dissertação (Mestrado em Geografia). Maringá, Universidade Estadual de Maringá.

Neiff, J.J., Iriondo, M. H., Carignan, R., 1994. Large Tropical South American Wetlands: An Overview. In: Link, G. L., Naiman, R. J. The Ecology and Management of Aquatic-Terrestrial Ecotones: proceedings book. Seattle, University Washington, 156-165.

Rocha, P. C., 2002. Dinâmica dos Canais no Sistema Rio-Planície Fluvial do Alto Rio Paraná, nas proximidades de Porto Rico – PR. Tese (Doutorado em Ecologia de Ambientes Aquáticos Continentais). Maringá, Universidade Estadual de Maringá.

Santos, M. L., 2005. Unidades Geomorfológicas e depósitos sedimentares associados no sistema fluvial do rio Paraná no seu curso superior. Revista Brasileira de Geomorfologia 1, 85-96.

Santos M. L., Stevaux, J. C., Souza Filho, E., Gasparetto N. V. L., 2008. Geologia e Geomorfologia da Planície Aluvial do Rio Ivaí. Revista Brasileira de Geomorfologia. Uberlândia 9, 23-34.

SRTM, 2000. Shuttle Radar Topography Mission. Global Land Cover Facility. Disponível em: . Acesso: 05 jan. 2011.

Terezan, E. L., 2005. Delimitação do leito maior do baixo rio Ivaí e estabelecimento de sua sazonalidade. Dissertação (Mestrado em Geografia). Maringá, Universidade Estadual de Maringá.

Villela, S. M., Mattos, A., 1975. Hidrologia aplicada. McGraw-Hill do Brasil, São Paulo.




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v10.6.p223-236

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License