Análise do Índice Padronizado de Precipitação para o Estado de São Paulo (Analysis of the Standardized Precipitation Index for the State of São Paulo)

Beatriz Siqueira, Jonas Teixeira Nery

Resumo


O Índice Padronizado de Precipitação (IPP), em inglês, Standardized Precipitation Index (SPI) vem sendo muito utilizado para estudos sobre implicações agrícolas, meteorológicas, hidrológicas e socioeconômicas do fenômeno seca. Esse índice foi desenvolvido por Mckee et al. (1993), com o objetivo de quantificar déficits de precipitação e como eles atuam sobre determinados segmentos, em diversas escalas de tempo. Essas diferentes escalas de tempo, associadas aos déficits de precipitação, ganham um caráter de extrema importância para a caracterização dos diferentes tipos de seca. Desse modo, a finalidade deste trabalho é calcular e analisar os valores do IPP para todo o estado de São Paulo, em um período de 6, 9 e 12 meses, de modo a quantificar os maiores e menores índices de seca registrados em anos específicos, compreendidos em um período de 40 anos (1970 – 2010). Os valores encontrados sofrem alterações de acordo com as escalas de tempo utilizadas para a análise e ficam entre 1,9 quando muito úmido e -0,5 quando muito seco, entre esses extremos temos ainda valores de IPP considerados “normais”, que não ultrapassam 0,9.

Palavras-chave: variabilidade, déficit de precipitação, riscos, índice.



 

A B S T R A C T

 

The Standardized Precipitação Index (SPI) comes very being used for studies on agricultural, meteorological, hydrological and socioeconômicas implications of the dry phenomenon with the aim to quantify déficits of precipitation and as they act on certain segments, in diverse scales of time. These different scales of time, associates to déficits of precipitation, gain a character of extreme importance for the characterization of the different types of drought. In this manner, the purpose of this work is all to calculate and to analyse the values of the SPI for the state of São Paulo, in a period of 6, 9 and 12 months, in order to quantify the greaters and minors indices of drought registered in specific years, understood in a period of 40 years (1970 – 2010). The found values suffer modifications in accordance with the scales from used time for the analysis and stay between 1,9 when very humid and -0,5 when very dry one, between these extremities have values of SPI still considered “normal”, that they do not exceed 0,9. 

 

Keywords: variability, precipitation deficit, risks, index.



Palavras-chave


variabilidade, déficit de precipitação, riscos, índice.

Texto completo:

PDF

Referências


ANA. Agência Nacional de Águas, 2016. Disponível: www.ana.gov.br. Acesso: 17 dez. 2016.

Blain, G. C., Brunini, O., 2007. Análise comparativa dos índices de seca de Palmer, Palmer adaptado e índice padronizado de precipitação no estado de São Paulo. Revista Brasileira de Meteorologia 22, 105-111.

Dufek, A. S., Ambrizzi, T., 2008. Precipitation variability in São Paulo State, Brazil. Theoretical and Applied Climatology 93, 167-178.

Edwards, C. D. C., McKee, T. B., Doesken, N. J., Kleist, J., 1997. Historical analysis of drought in the United States. 7th conference on climate variations, 77th AMS annual meeting 27.

G1. O portal de notícias da Globo, 2016. Chuvas afetam mais de 20 cidades no interior e da grande São Paulo. São Paulo. 13 dez. 2016.

Guttman, G. B., 1998. Comparing the Palmer Drought Index and the Standardized Precipitation Index. Journal of the American Water Resources 16, 113-121.

Guttman, G. B., 1999. Accepting the Standardized Precipitation Index: A calculation algorithm. Journal of the American Water Resources 35, 311- 322.

Hayes, M. J., Syoboda, M. D., Wilhite, D. A., Vanyarkho, O. V.,1999. Monitoring the 1996 drought using the standardized precipitation index. Bulletin of the American Meteorological Society 80, 429-438.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2016. Disponível: http://www.ibge.gov.br/. Acesso: 03 dez. 2016.

JORNAL DA RECONSTRUÇÃO, 2010. Como tudo aconteceu. São Luiz do Paraitinga ,1ª quinzena de março de 2010. Disponível: http://www.saoluizdoparaitinga.sp.gov.br/site/wp-content/uploads/2012/02/jr_n1.pdf. Acesso: 03 dez. 2016.

Keyantash, J., Dracup, J.A., 2002. The quantification of drought: an evaluation of drought indices. Bull. Am. Meteorology 83, 1167-1180.

Macedo, M. J. H., Guedes, R. V. S., Souza, F. A. S., Dantas, F. R. C., 2010. Análise do índice padronizado de precipitação para o estado da Paraíba. Ambi-Agua 5, 204-214 (doi: 104136/ambi-agua.130).

Mckee, T. B., Doesken, N. J., Kleist, J., 1993. The relationship of drought frequency and duration to the time scales. American Meteorological Soceity, 179-184.

Mckee, T. B., Doesken, N. J., Kleist, J., 1995. Drought monitoring with multiple times scales. Conference on applied climatology, Boston. American Meteorological Soceity, 233-236.

Nery, J. T., Martins, M. L. O. F., 1998. Variabilidade Interanual: Oscilação Sul- EL NIÑO. Apontamentos 75, 62 p.

Nunes, L. H., Vicente, A. K., Candido, D. H., 2009. Clima da Região Sudeste no Brasil, in: Tempo e Clima no Brasil. Oficina de Textos, São Paulo, 243-258.

Sansigolo, C. A., 2004. Análise comparativa do desempenho dos Índices de Seca de Palmer (PDSI) e da Precipitação Normalizada (SPI) em Piracicaba, SP (1917-2001). Revista Brasileira de Climatologia 19, 237-242.

Santos, G.R., de Oliveira, M. S., Louzada, J. M., Santos, A. M. R. T., 2011. Krigagem simples versus krigagem universal: qual o preditor mais preciso? Energia na Agricultura 26, 49-55.

Seiler, R. A., Hayes, M., Bressan, L., 2002. Using the standardized precipitation index for flood risk monitoring. International Journal of Climatology 22, 1365-1376.

Sönmez, F. K., Kömüscü, A. U., Erkan, A., Turgu, E., 2005. An analysis of spatial and temporal dimension of drought vulnerability in Turkey using the standardized precipitation index. Natural Hazards 35, 243-264.

Vianello, R. L., Alves, A. R., 2000. Meteorologia básica e aplicações. Viçosa: UFV, 310-313.

Wilhite, D. A., Glantz, M.H., 1987. Understanding the drought phenomenon: the role definations. Westview, 11-14.




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v10.6.p1775-1783

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License