Avaliação da Sustentabilidade dos Agroecossistemas Familiares que Produzem Coco-da-Baía em Monocultivo e Policultivo no Perímetro Irrigado das Várzeas de Sousa-PB (Sustainability Evaluation of Family Farmers Producing Coco-da-Baía in Monoculture and Mixed Intercropping in the Irrigated Perimeter of the Sousa Floodplains-PB)

Isabelle Alencar, Pedro Azevêdo, Gesinaldo Cândido

Resumo


Avaliações de sustentabilidade na agricultura fornecem informações essenciais sobre a viabilidade dos sistemas, contribuindo para a busca do desenvolvimento sustentável. No forte apelo de conversão dos sistemas de produção agrícola à sustentabilidade, o policultivo tem sido visto como um manejo que visa a agricultura sustentável. No Perímetro Irrigado das Várzeas de Sousa (PIVAS), o coqueiro-anão é cultivado em monocultivo e em policultivo com a bananeira, diante dessa situação, esse estudo objetivou avaliar o estado da sustentabilidade dos agroecossistemas familiares que produzem coco-da-baía nessas duas formas de manejo. Os agroecossistemas estudados pertenciam aos setores 6 e 7 do PIVAS, o estudo de campo ocorreu entre os anos de 2015 e 2016 através da aplicação do sistema de avaliação de sustentabilidade MESMIS. O Índice de Sustentabilidade Geral total do monocultivo foi 2,13, o do policultivo foi 2,14, ambos indicaram que os agroecossistemas estão um pouco acima da situação regular de sustentabilidade. O Teste U de Wilcoxon-Mann-Whitney indicou que não houve diferenças significativas entre os dois métodos de cultivos a um p < 0,05. Isso significa que o valor calculado foi maior ao valor crítico de distribuição (U: 50), e o desvio foi não-significativo entre o Zcalc (-0,284) em relação ao Z0,05(1,96), concluindo, portanto, que não se deve rejeitar a hipótese nula (ausência de diferenças).

 

 

A B S T R A C T

Sustainability evaluations in agriculture provide essential information of systems viability, contributing to the sustainable development. In the conversion of agricultural production systems to sustainability, mixed intercropping has been seen as a management that aims at sustainable agriculture. In the Irrigated Perimeter of the Sousa Floodplains, the dwarf coconut is cultivated in monoculture and in mixed intercropping with the banana trees. In the face of this situation, this study aimed to evaluate the sustainability of the family farms that produce coconut trees in these two forms of management. The agroecosystems studied belonged to sectors 6 and 7 of PIVAS, the field study occurred between the years of 2015 and 2016 through the application of the MESMIS sustainability assessment system. The Overall Sustainability Index of the monoculture was 2.13, of the mixed intercropping was 2.14, indicating that the agroecosystems are in regular sustainability situation. The Wilcoxon-Mann-Whitney U Test indicated no significant differences between the two forms of management at p <0.05. This means that the calculated value was greater than the critical distribution value (U: 50), and the deviation was non-significant between Zcalc (-0.284) and Z0,05  (1.96), concluding, therefore, that one should not reject the null hypothesis (absence of differences).

Key words: Sustainability assessment, family farm, irrigated perimeter.


Palavras-chave


Avaliação de sustentabilidade; agricultura familiar; irrigação

Texto completo:

PDF

Referências


Albé, M.Q., 2002. Alguns indicadores de sustentabilidade para os pequenos e médios produtores rurais do município de Jaquirana. Revista Liberato 3, 1-14.

Aguiar Netto, A.O., Machado, R., Vargas, M.A.M., 2006. Sustentabilidade do perímetro irrigado Jabiberi. Revista Ra’e Ga 12, 153-159.

Almeida, O.A., 2010. Qualidade da água de irrigação. Embrapa Mandioca e fruticultura, Cruz das Almas.

Altieri, M.A., 2004. Agroecologia: a dinâmica produtiva da agricultura sustentável. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

Barth, M., Renner, J.S., Nunes, M.F., Sanfelice, G.R., 2016. Características do trabalho na agricultura familiar e sua influência na emigração dos jovens. Iluminuras 17, 256-276.

Bezerra, G.J., Schlindwein, M.M., 2017. Agricultura familiar como geração de renda e desenvolvimento local: uma análise para Dourados, MS, Brasil. Interações 18, 3-15.

Bezerra, R., 2017. Em meio a seca, DNOCS tenta se reerguer e manter funções. Disponível em: http://diariodonordeste.verdesmares.com.br/cadernos/cidade/em-meio-a-seca-dnocs-tenta-se-reerguer-e-manter-funcoes-1.1806744. Acesso: 29 ago. 2017.

Bossel, H., 1999. Indicators for sustainable development: theory, method, applications, a report to the Baloton Group. IISD, Winnipeg.

BRASIL, 1964. Lei nº 4.504 de 30 de novembro.

BRASIL, 2005. Resolução nº357 de 17 de março de 2005.

BRASIL, 2012. Implantação do Perímetro de Irrigação Várzeas de Sousa. Disponível em: . Acesso: 20 jul. 2014.

Callegari-Jacques, S.M. 2004. Bioestatística – princípios e aplicações. Artmed, São Paulo.

Camargo, R.A.L., Oliveira, J.T.A., 2010. Relações de trabalho na agricultura familiar. O estudo de caso de um bairro rural no município de Ouro Fino-MG. In: 48º Congresso da Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural, Campo Grande, Anais.

Carvalho, R.M.C.M.O., 2009. Avaliação dos perímetros de irrigação na perspectiva da sustentabilidade da agricultura familiar no semiárido pernambucano. Tese (Doutorado), Recife, UFPE.

Casalinho, H.D., 2010. Avaliação de sustentabilidade de agroecossistemas. Tópicos

para reflexões. Disponível em: . Acesso: 24 ago. 2014.

Castricini, A., Coelho, E.F., Rodrigues, M.G.V., Coutinho, R.C., 2012. Caracterização pós-colheita de frutos de bananeira 'BRS Platina' de primeiro ciclo, sob regulação do déficit de irrigação. Revista Brasileira de Fruticultura 34, 2012.

Corrêa, M.M.C., Ker, J.C., Mendonça, E.S., Ruiz, H.A., Bastos, R.S., 2003. Atributos Físicos, químicos e mineralógicos de solos da região das Várzeas de Sousa (PB). Revista Brasileira de Ciências do Solo 27, 311-324.

Costa, A.A.V.M.R., 2010. Agricultura sustentável III: indicadores. Revista de Ciências Agrárias 33, 90-105.

DNOCS, 2017. DNOCS inicia recuperação e modernização de Curema/Mãe d´Água. Disponível em: < http://www2.dnocs.gov.br/gab-cs/3668-dnocs-inicia-recuperacao-e-modernizacao-do-curema-mae-agua>. Acesso: 29 ago. 2017.

Gil, A.C., 2002. Como elaborar projetos de pesquisa. Atlas, São Paulo.

Gliessman, S. R., 1985. Multiple cropping systems: A basis for developing an alternative agriculture, in: Innovative biological technologies for lesser developed countries—workshop proceedings. Washington, 69–83.

Gondim, R.S., Castro, M.A.H., Teixeira, A.S., Evangelista, S.R.M., 2011. Impactos das mudanças climáticas na demanda de irrigação da bananeira na Bacia do Jaguaribe. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental 15, 594-600.

Herculano, S.C., 2000. Qualidade de vida e seus indicadores, in: Herculano, S.C., Qualidade de vida e riscos ambientais. Eduff, Niterói, pp.1-30.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2012. Indicadores de desenvolvimento sustentável. IBGE, Rio de Janeiro.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2013. Estatística da produção agrícola setembro de 2013. IBGE, Rio de Janeiro.

Jales, J.V., Portela, S.V.S., Mera, R.D.M., Alencar Júnior, J.S., MAYORGA, M.I.O., 2010. Análise da sustentabilidade do perímetro irrigado Baixo Acaraú, no Estado do Ceará. In: 48º Congresso da Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural, Campo Grande, Anais.

Lunardi, J., Rabaiolli, J.A., 2013. Valorização e preservação dos recursos hídricos na busca pelo desenvolvimento rural sustentável. Okara: Geografia em debate 7, 44-62.

Maior, M.M.S., Cândido, G.A., Nóbrega, M.M., Figueiredo, M.T.M., 2012. Estudo Comparativo entre Métodos de Avaliação da Sustentabilidade para Unidades Produtivas Agroecológicas. In: VI Encontro Nacional da Anppas, Belém, Anais.

Malvezzi, R., 2007. Semiárido uma visão holística, Confea, Brasília.

Masera, O., Astier, M., López-Ridaura, S., 2000. El marco de Evaluación MESMIS, GIRA-Mundi-Prensa, Ciudad de México.

Menino, I.B., 2013. Indicadores físicos, químicos e biológicos de vertissolos no Projeto de Irrigação Várzeas de Sousa e suas implicações econômicas, sociais e ambientais na região. Tese (Doutorado). Campina Grande, UFCG.

Moura, L,G.V., Almeida, J., Miguel, L.A., 2004. Avaliação de sustentabilidade em agroecossistemas: um pouco de pragmatismo. Redes 9, 133 – 155.

Moura, R., 2017. País tem um quarto das cidades em emergência causada por seca ou chuva. 2017. Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2017/08/1913593-pais-tem-23-das-cidades-em-situacao-de-emergencia-por-inundacoes-e-secas.shtml. Acesso: 29 ago. 2017.

TCE. Tribunal de Contas do Estado, 2013. Relatório de Auditoria Operacional nas Várzeas de Sousa. João Pessoa.

Pontes, A.G.V., 2013. Os perímetros irrigados como estratégia geopolítica para o desenvolvimento do semiárido e suas implicações à saúde, ao trabalho e ao ambiente. Ciências e saúde coletiva 18, 3213-3222.

SENAR. Serviço Nacional de Aprendizagem Rural, 2011. Associações rurais: práticas associativas, características e formalização. Brasília.

Silva, I.N., Fontes, L.O., Tavella, L.B., Oliveira, J.B., Oliveira, A.C., 2011. Qualidade de água na irrigação. ACSA - Agropecuária Científica no Semi-Árido 7, 1-15.

Souza, P.M., Fornazier, A., Ponciano, N.J., Ney, M.G., 2011. Agricultura familiar versus agricultura não-familiar: uma análise das diferenças nos financiamentos concedidos no período de 1999 a 2009. Revista Econômica do Nordeste 42, 105-124.

Souza, G.F., Souza, R.K., Carneiro, R.N., 2013. A agricultura familiar e a pluriatividade no perímetro irrigado de Pau dos Ferros-RN. GEO Temas 3, 125-136.

Thiry-Cherques, H.R., 2009. Saturação em pesquisa qualitativa: estimativa empírica de dimensionamento. PMKT 3, 20-27.

Verona, L. A. F., 2008. Avaliação de sustentabilidade em agroecossistemas de base familiar e em transição agroecológica na região sul do Rio Grande do Sul. Tese (Doutorado). Pelotas, UFPel.

Vezzani, F.M., Mielniczuk, J., 2009. Uma visão sobre qualidade do solo. Revista Brasileira de Ciências do Solo 33, 743-755.




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v11.3.p886-903

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License