Dinâmica do uso e cobertura da terra no município de Miranda-MS, Pantanal Sul (Analysis of the Natural Vulnerability of the Banabuiú River Basin, with Support of Geotechnology)

Vanessa Aline Wagner Leite, Lidiane Perbelin Rodrigues, Emerson Figueiredo Leite

Resumo


O município de Miranda ocupa uma extensão territorial de 5.478,82km localizados entre os paralelos 20° 29’ e 19° 39’ Sul, e meridianos 57° 01’ e 56° 11’ Oeste. Este munícipio foi escolhido como objeto de estudo desta pesquisa por contemplar áreas dos domínios Cerrado e Pantanal, além de remanescentes da Mata Atlântica, estando situado no contexto da bacia do Alto Paraguai. O objetivo deste trabalho foi analisar a dinâmica de uso e cobertura da terra do município Miranda-MS nos anos de 2006, 2011 e 2017 usando o software Spring/Inpe. Durante a pesquisa foram utilizadas imagens dos satélites Landsat 5-TM e 8-OLI, cena 226/74, que foram processadas no Spring 4.3.3. Para atenuar as diferenças existentes entre as imagens de diferentes sensores imageadores foi realizada a correção atmosférica das imagens e para ressaltar os remanescentes florestais do Pantanal, Cerrado e mata Atlântica foi aplicado o Normalized Difference Vegetation Índex (NDVI). Para classificação das imagens foi utilizado o Método híbrido de Moreira (2012) e o classificador empregado foi o Isoseg. As classes adotadas no mapeamento foram adaptadas do IBGE (2013): Cicatriz de Queimada, Remanescentes Florestais, Campo/Pasto, Corpos D’água, Área Urbana – Miranda, Agricultura Irrigada. Os resultados obtidos permitiram aferir a grande influência hidroclimática e do relevo nas mudanças no uso e cobertura da terra observadas, uma vez que anos de seca são favoráveis ao avanço da antropização de áreas naturais e sua consequente fragmentação.

 

 

 

A B S T R A C T

The watershed of the Banabuiú River presents a high degree of environmental degradation, caused by poor land use, low social and economic development and excel of the plan and inefficient management of its resources. As a result, the present work aimed to define the support of geotechnologies, a natural fragility and vulnerability of the basin of the Banabuiú river, through the natural susceptibility of the lands to erosive processes in order to contribute to the sustainable development of the basin. The methods used in the research development will follow the adaptation of the methodologies proposed by Crepani (1996 and 2001), who propose an evaluation of the lands according to an integrated analysis of the environment. For that, maps of geology, geomorphology, pedology, vegetation and climate were elaborated. The overlapping of rights in GIS paper generated the basin's natural vulnerability map. It was observed that 34.638% of the basin area is characterized as the average or vulnerable and in 63.38% as moderately stable. It is also possible to observe the high values of the reserve of the perennial rivers and in the margins of the main reservoirs, which represent risks to the river basin.

Keywords: susceptibility, water resources, planning and management.


Palavras-chave


Uso e Cobertura da Terra; Sensoriamento Remoto; Cerrado; Pantanal.

Texto completo:

PDF

Referências


Ab'Saber, A. N., 2006. Brasil: paisagens de exceção : o litoral e o Pantanal Mato-Grossense : patrimônios básicos, 2. ed. Atelie Editorial, Cotia, SP.

Almeida, R. V. J. de, Araújo, M. D. de O. G. de, Silva, A. C., Senna, J. A. de., 2015. Comparação dos Métodos de Correção Atmosférica: ”6S” e “DOS” processadas em dados do sensor TM/Landsat5 e correspondentes a região de ocorrência da turfeira. Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto [online] 17. Disponível: https://goo.gl/nvhKq2 Acesso: 20 out. 2017.

Alves, G. L., Centeno, C. V., Mianutti, J., Brito, S. H. A. 2012. Relações Sociais e pesquisa ambiental no Pantanal Sul-Mato-Grossense: quando o pesquisador precisa ser cidadão, in: Alves, G. L., Mercante, M. A., Favero, S., (Orgs.), Pantanal Sul-Mato-Grossense: ameaças e propostas. Autores Associados, São Paulo, SP, pp. 05-28.

ANA. Agência Nacional das Águas, 2004. Implementação de Práticas de Gerenciamento Integrado de Bacia Hidrográfica para o Pantanal e Bacia do Alto Paraguai, in: Programa de Ações Estratégicas para o Gerenciamento Integrado do Pantanal e Bacia do Alto Paraguai: Relatório Final. Agência Nacional de Águas – ANA, Fundo Mundial para o Meio Ambiente – GEF, Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente – PNUMA e Organização dos Estados Americanos – OEA. TDA Desenho & Arte Ltda., Brasília. Disponível: https://goo.gl/SYE2tu Acesso: 27 Nov. 2017.

Antunes, M. A. H., Freire, R. M. B., Botelho, A. da S.,Toniolli, L. H., 2003. Correções atmosféricas de imagens de satélites utilizando o modelo 6S, in: Congresso Brasileiro de Cartografia [online], 21. Disponível: https://goo.gl/GXtHGK Acesso: 08 nov. 2017.

Assine, M. L., Merino, E. R., Pupim, F. N., Warren, L. V., Guerreiro, R. L., Mcglue, M. M. 2016. Geology and Geomorphology of the Pantanal Basin, in: Bergier, I., Assine, M. L. (Orgs.), Dynamics of the Pantanal Wetland in South America [online]. Springer, Suiça, pp. 23-50. Disponível: https://goo.gl/Wf7aW4 Acesso: 24 Abr. 2017.

Bazzo, J. C., Freitas, D. A. F. de, Silva, M. L. N., Cardoso, E. L., Santos, S. A., 2012. Aspectos geofísicos e ambientais do Pantanal da Nhecolândia. Revista e Geografia (UFPE) [online] 29, n.1. Disponível: https://goo.gl/rzRbYJ Acesso: 24 Abr. 2017.

Bernardes, J. A., 2010. As estratégias do capital no complexo da soja, in: Castro, I. E. de, Gomes, P. C. da C., Correa, R. L. (Orgs.), Brasil: questões atuais da reorganização do território. Bertrand Brasil, Rio de Janeiro, pp. 325-366.

Câmara, G., Medeiros, J. S., 1998a. Princípios Básicos de Geoprocessamento, in: Assad, E. D., Sano, E. I. (Orgs.), Sistemas de Informações Geográficas: Aplicações na Agricultura. 2 ed. revista e ampliada, Embrapa, pp. 03-10.

Câmara, G, Medeiros, J. S., 1998b. Operações de análise geográfica, in: Assad, E. D., Sano, E. I. (Orgs.), Sistemas de Informações Geográficas: Aplicações na Agricultura. 2 ed. revista e ampliada, Embrapa, pp. 67-91.

Câmara, G., Monteiro, A. M., Fucks, S.D., Carvalho, M. S., 2004. Análise Espacial e Geoprocessamento, in: Druck, S., Carvalho, M.S., Câmara, G., Monteiro, A.V.M. (Eds.), Análise Espacial de Dados Geográficos, EMBRAPA, Brasília. Disponível: https://goo.gl/T58iHM Acesso: 24 Abr. 2017.

Câmara, G., Souza, R. C. M., Freitas, U. M., Paiva, J. A, 1993. Spring: Concepção, Evolução, Perspectivas, in: VII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, Curitiba, PR. Disponível: https://goo.gl/HXxjWR Acesso: 24 Abr. 2017.

Câmara, G., Souza, R. C. M., Freitas, U. M., Garrido, J., 1996. Spring: Integrating remote sensing and GIS by object-oriented data modelling. Computers&graphics [online] 20, n. 3. Disponível: https://goo.gl/YUuC8n Acesso: 24 Abr. 2017.

Carvalho Junior, W.de., Chagas, C. da S., Bhering, S. B., Silva, E. F. da, Amaral, F. C. S. do., Pereira N. R., Gonçalves, A. O., Zaroni, M. J., Áglio, M. L. D., Amorim, A. M., Lopes, C. H. L., Earp, C. G. de S., Pinheiro, T. D., Fernandes, T. G., Rodrigues, R. S., 2009. Zoneamento Agroecológico do município de Miranda-MS. Embrapa Solos. Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento. Disponível: https://goo.gl/D7He4i Acesso: 29 Nov. 2017.

CPRM . Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais, 2006. Mapa Geológico do Estado de Mato Grosso do Sul. Disponível: http://geosgb.cprm.gov.br/ Acesso: 28 Nov. 2017.

Crispim, S. M. A. Abreu, U. G. P. de. Pellegrin, L. A., 2013. Área desmatada no município de Miranda, MS no período de 1994 a 2007, in: 6° Simpósio Sobre Recursos Naturais e Socioeconômicos do Pantanal. Desafios e soluções para o Pantanal. Embrapa Pantanal, Corumbá, MS. Disponível: https://goo.gl/RkTUWX Acesso: 28 Nov. 2017.

Da Silva, S. R. R., Chaves, I.de B., Alves, J. J. A., 2010. Sensoriamento remoto e geoprocessamento aplicados ao zoneamento geoambiental: Bacia Hidrográfica do Açude Camará-PB. Mercator [online] 09, n. 20. Disponível: https://goo.gl/5PBzTs Acesso: 24 Abr. 2017.

Ferrari, D. L., Silva, J., Abdon, M. de M., 2009. Avaliação do uso de NDVI em imagens CBERS-2B/CCD na caracterização de pastagens degradadas no município de Camapuã, MS, in: 2° Simpósio de Geotecnologias no Pantanal [online]. Embrapa Informática Agropecuária. Disponível: https://goo.gl/j6XrA4 Acesso: 24 Abr. 2017.

Ferraz, R. G. B., 2006. Antropização da Bacia Hidrográfica do Rio Miranda: Alterações Climáticas, Recursos Naturais e Desenvolvimento. Dissertação (Mestrado). Campo Grande, UCDB. Disponível: https://goo.gl/acnK2D Acesso: 24 Abr. 2017.

Fitz, P. R., 2008. Geoprocessamento sem complicação. Oficina de Textos, São Paulo.

FLORENZANO, T. G. 2011. Iniciação em sensoriamento remoto. 3 ed. Oficina de Textos, São Paulo, SP.

Francisco, P. R. M., Pereira, F. C., Brandão, Z. N., 2015. Mapeamento da Aptidão Edáfica para Fruticultura Segundo o Zoneamento Agropecuário do Estado da Paraíba. Revista Brasileira de Geografia Física [online] 08, n. 02. Disponivel: https://goo.gl/fsHv6w Acesso: 08 Nov. 2017.

Galdino, S., Silva, J.dos S.V. da., 2006. Análise da inundação de agosto de 1998 à jusante da cidade de Miranda, MS, no Pantanal, in: 1° Simpósio de Geotecnologias no Pantanal [online]. Campo Grande, MS. Disponível: https://goo.gl/gsCKnY Acesso: 28 Nov. 2017.

Gonçalves, A. O., Pereira, N. R., Costa, L. L. da., 2006. Caracterização climática e aptidão das culturas anuais e perenes no zoneamento pedoclimático do estado do Mato Grosso do Sul - 1ª fase. Embrapa Solos. Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento. Disponível: https://goo.gl/f1UjxL Acesso: 29 Nov. 2017.

Harris, M., Tomas, W., Mourão, G., Silva, C. da, Guimarães, E., Sonoda, F., Fachim, E., 2005. Desafios para proteger o Pantanal brasileiro: ameaças e iniciativas em conservação. Megadiversidade [online] 01, n.1. Disponível: https://goo.gl/ufPQTx Acesso: 24 Abr. 2017.

Hogan, D. J., Marandola JR, E., Ojima, R., 2010. População e ambiente: desafios à sustentabilidade. Blücher, São Paulo.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2017. Cadastro Central de Empresas 2014. IBGE, Rio de Janeiro. Disponível: Acesso: 24 Abr. 2017.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2010. Censo Demográfico 2010. Disponível: https://goo.gl/F7N2Li Acesso: 28 Nov. 2017

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2013. Manual técnico de uso da terra. 3ed. IBGE, Rio de Janeiro, RJ. Disponível: https://goo.gl/cU7n96 Acesso: 01 Nov. 2017

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística , 2017a. Produção Agrícola Municipal 2016. IBGE, Rio de Janeiro, RJ. Disponível:https://goo.gl/YQ9fa2 Acesso: 28 Nov. 2017

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2017b. Produção da Pecuária Municipal 2016. IBGE, Rio de Janeiro, RJ. Disponível:https://goo.gl/BiSvRq Acesso: 28 Nov. 2017.

Infoclima. Boletim de informações climáticas, CPTEC/INPE. Nº. 08. Ano 13. 2006. Disponível: https://goo.gl/74SZNU Acesso: 01 Nov. 2017

Inpe. Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, 2017. Objetivos do projeto SPRING. Sistema de Processamento de Informações Geográficas. Disponível: https://goo.gl/RXIHX. Acesso: 01 Nov. 2017.

Landau, E. C., Guimarães, D. P., 2011.Análise Comparativa entre os modelos digitais de elevação ASTER, SRTM e TOPODATA. Anais XV Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto - SBSR, Curitiba, PR, Brasil. Disponível: https://goo.gl/766wLP Acesso: 24 Abr. 2017.

Leite, E. F., Rosa, R., 2012. Mapeamento Geomorfológico: A Carta de Energia do Relevo da Bacia Hidrográfica do Rio Formiga-TO. Revista Brasileira de Geografia Física [online] 05, n. 2. Disponível: https://goo.gl/SzXr1f. Acesso: 01 Nov. 2017.

Leite, V. A. W. Leite, E. F., 2016. Suscetibilidade à erosão laminar no município de Miranda/MS. 6° Simpósio de Geotecnologias no Pantanal, Cuiabá, MT. Disponível: https://goo.gl/TCyAEu. Acesso: 03 Fev. 2017.

Loureiro, C. V., 2011. A vulnerabilidade como indicador de qualidade ambiental em área do baixo curso dos rioMaranguapinho e Ceará/CE: Subsidio para o planejamento ambiental. Dissertação (Mestrado) Fortaleza, Universidade Federal do Ceará. Disponível: https://goo.gl/koJXK1 Acesso: 24 Abr. 2017.

MATO GROSSO DO SUL, Governo do Estado do., 2011. Caderno Geoambiental das Regiões de Planejamento do MS. Secretaria de Estado de Meio Ambiente, do Planejamento, da Ciência e Tecnologia – SEMAC. Campo Grande, MS. Disponível: https://goo.gl/YBhNif Acesso: Acesso: 27 Nov. 2017.

MATO GROSSO DO SUL. Governo do Estado do., 1990. Atlas Multirreferencial do Estado de Mato Grosso do Sul. Secretaria de Planejamento e Coordenação Geral, Campo Grande, MS.

Melo, O.A. G.de, Santos, M. L. dos., 2010. Análise comparativa da Vulnerabilidade Ambiental Potencial ou Emergente da bacia hidrográfica do rio Baiano, Assis Chateaubriand/PR. Boletim Geografico [online] 28, n. 2. Disponível: http://goo.gl/eddWpF Acesso: 19 nov. 2015

Mendes, F. de S., Caridade, G. N. C., Pereira, G., Moraes, E. C., Arai, E., Rudorff, B. F. T., Mello, M. P. de., 2009. Análise do desmatamento no município de Miranda, MS no período de 1999 a 2009 utilizando classificação de imagens do modelo linear de mistura espectral. 2° Simpósio de Geotecnologias no Pantanal, Corumbá-MS. Disponível: https://goo.gl/C2Rdea Acessado em: 22 nov. 2017.

Moreira, M. A., 2012. Fundamentos do Sensoriamento remoto e metodologias de aplicação. 4 ed., Editora UFV, Viçosa, MG.

Novo, E. M. L. de M., 2010. Sensoriamento Remoto: Princípios e Aplicações. 4. ed. Blucher, São Paulo, SP.

PCBAP. Plano de Conservação da Bacia do Alto Paraguai, 1997. Plano de Conservação da Bacia do Alto Paraguai (Pantanal):Análise integrada e prognóstico da Bacia do Alto Paraguai. PNMA, Brasília, DF.

Ponzoni, F. J. Shimabukuro, Y.E., 2007. Sensoriamento Remoto no Estudo da Vegetação. Arêntese, São José dos Campos, SP.

Resende, R. J.T. P. de. Alves, H. M. R., Alves, M. R., 2000. Utilização do SPRING para avaliação do uso da terra em agroecossistemas cafeeiros da região de Lavras-MG. Simpósio de Pesquisa dos Cafés do Brasil. Disponível: https://goo.gl/WKi12c Acesso: 24 Abr. 2017.

Rocha, C. H. B., 2000. Geoprocessamento: tecnologia transdisciplinar. Editora do Autor, Juiz de Fora, MG.

Rodrigues, L. P. Leite, E. F., 2017. Dinâmica do uso e cobertura da terra na bacia hidrográfica do rio Aquidauana, MS, in: Peres Filho, A., Amorim, R. R. (Orgs.). Os desafios da Geografia Física na fronteira do conhecimento. [online] 01. Instituto de Geociências - UNICAMP, Campinas, SP. Disponível: https://goo.gl/kZf6Ns Acesso: 24 Abr. 2017.

Rosa, R., 2005. Geotecnologias na geografia aplicada. Revista do Departamento de Geografia [online] 16. Disponível: https://goo.gl/D5QUMm Acesso: 24 Abr. 2017.

Rosa, R., Brito, J. L. S., 1996. Introdução ao geoprocessamento: sistema de informação geográfica. EDUFU, Uberlandia, MG.

Sakamoto, A. Y., Bacani, V. M., Gradella, F. S. Desmatamento e alterações ambientais no Pantanal da Nhecolândia, MS, Brasil. Geonorte [online] 03, n.4. Edição Especial. Disponível: https://goo.gl/bpU9de Acesso: 24 Abr. 2017.

Santos, M., 1996. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. Hucitec, São Paulo, SP.

Silva, J.dos S. V. da. Abdon, M. de M., Moraes, J. A. de., 2010. Desmatamento na bacia do Alto Paraguai no Brasil. 3° Simpósio de Geotecnologias no Pantanal, Cáceres, MT. Disponível: https://goo.gl/cDFcqY Acesso: 24 Abr. 2017.

Silva, J. X.da., Veiga, T. C. Geoprocessamento Aplicado à Identificação de áreas potenciais para atividades turísticas: o caso do município de Macaé-RJ, in: Silva, J. X. da., Zaidan, R. T. Geoprocessamento & análise ambiental: aplicações. 2. ed. Bertrand Brasil, Rio de Janeiro, RJ.

Soares, A. F. 2001. Sistema de informações geográficas - SIG/SPRING para modelagem e espacialização de dados de fertilidade do solo. Embrapa Informática Agropecuária. Comunicado Técnico. Disponível: https://goo.gl/pf9oiG Acesso: 24 Abr. 2017.

SOARES, A. F., 2001a. Utilização de Interpoladores na Geração de Grades do Spring para Elaboração de Modelos Numéricos de Terreno Utilizando Dados de Fertilidade do Solo. Embrapa Informática Agropecuária. Comunicado Técnico. Disponível: https://goo.gl/DFWPUy Acesso: 24 Abr. 2017.

USGS. United States Geological Survey., 2017c. Landsat5 History. Disponível: https://goo.gl/DFWPUy Acesso: 29 nov.

USGS. United States Geological Survey, 2017b. Landsat8. Disponível: https://goo.gl/odnBhz Acesso: 29 nov.

USGS. United States Geological Survey, 2017d. Technical Details. Disponível: https://goo.gl/MEyXza Acesso: 29 nov.

USGS. United States Geological Survey, 2017a. What are the band designations for the Landsat satellites? Disponível: https://goo.gl/fGCVCM Acesso: 29 nov.

Valeriano, M. de M., 2008. Dados topográficos, in: Florenzano, T. G. (Org.), Geomorfologia: conceitos e tecnologias atuais. Oficina de Textos, São Paulo, SP, pp. 72-104.

Valeriano, M. de M., 2008a. TOPODATA: Guia para utilização de dados geomorfológicos locais. Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, INPE, São José dos Campos, SP. Disponível: https://goo.gl/G8Mosc Acesso: 24 Abr. 2017.

Verona, J. A., Galina, M. H., Troppmair, H., 2003. Geografia e Questões Ambientais. Revista de Geografia da UFC [online] 04, n. 2. Disponível: https://goo.gl/gVT8fi Acesso: 19 nov. 2015.

WWF-Brasil, 2015. Bacia do Alto Paraguai Cobertura Vegetal: Monitoramento das alterações da cobertura vegetal e uso do solo na Bacia do Alto Paraguai Porção Brasileira: Período de Análise: 2012 a 2014. Brasília, DF. Disponível: https://goo.gl/7sVrqw Acesso: 24 nov. 2017.

WWF-Brasil, 2013. Bacia do Alto Paraguai Cobertura Vegetal: Monitoramento das alterações da cobertura vegetal e uso do solo na Bacia do Alto Paraguai Porção Brasileira: Período de Análise: 2010 a 2012. Brasília, DF. Disponível: https://goo.gl/qFMXJ5 Acesso: 24 nov. 2017.

WWF-Brasil, 2009. Bacia do Alto Paraguai Cobertura Vegetal: Monitoramento das alterações da cobertura vegetal e uso do solo na Bacia do Alto Paraguai Porção Brasileira: Período de Análise: 2002 a 2008. Brasília, DF. Disponível: https://goo.gl/7QUGxi Acesso: 24 nov. 2017.




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v11.4.p1458-1477

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License