Reconstituição Paleoambiental da Área Arqueológica de Serra Negra, Face Leste do Espinhaço Meridional (Minas Gerais), através da Análise de Fitólitos (Paleoenvironmental Reconstruction of the Archaeological Area of Serra Negra, East Face of the Southern Espinhaço (Minas Gerais), through Phytolith Analysis)

Karina Ferreira Chueng, Heloisa Helena Gomes Coe, Marcelo Fagundes, Alessandra Mendes Carvalho Vasconcelos, Sarah Domingues Fricks Ricardo

Resumo


A Serra do Espinhaço Meridional (SdEM) tem sido intensamente pesquisada por arqueólogos, produzindo um conhecimento significativo sobre a história indígena regional. Entretanto, também é necessário conhecer as condições paleoclimáticas e o contexto ambiental em que essas ocupações ocorreram. Este trabalho pretende contribuir com pesquisas já desenvolvidas pelo Laboratório de Arqueologia e Estudo da Paisagem da UFVJM na Área Arqueológica de Serra Negra, na face leste da SdEM, entre as bacias dos rios Jequitinhonha e Doce. O objetivo deste trabalho é a reconstituição paleoambiental desta região utilizando como indicadores os fitólitos, partículas de sílica que se depositam no interior das células das plantas e que permitem inferir a vegetação de onde se originaram. Em Felício dos Santos, foram coletados sedimentos do Sítio Arqueológico Cabeças 4, que foi ocupado em uma faixa cronológica entre 7225 anos AP e 480 anos cal AP. Além disso, coletou-se uma amostra em cada horizonte de um perfil de Organossolo próximo ao Sítio Arqueológico. Nas amostras do Sítio Arqueológico Cabeças 4 predominam fitólitos de gramíneas e palmeiras. Estes resultados foram corroborados com os do perfil de solo, que se apresentam preservados e distribuídos de forma homogênea. As análises de fitólitos se mostraram promissoras para inferências de variações climáticas e um maior conhecimento do ambiente em que se processou a ocupação arqueológica regional.   

 

A B S T R A C T

The Southern Espinhaço Mountain Range (SdEM) has been intensively studied by archaeologists, producing significant knowledge on the regional indigenous history. However, it is also necessary to know the paleoclimatic conditions and environmental context in which such occupations occurred. This work intends to contribute to research developed by the Archeology and Landscape Studies Laboratory of UFVJM in the Archaeological Area of Serra Negra, located on the eastern side of the SdEM, between the Jequitinhonha and Doce river basins. The objective of this work is paleoenvironmental reconstruction of this region using phytoliths, silica particles deposited inside plant cells, enabling inference of the vegetation from which they originated. Sediments were collected from the Cabeças 4 Archaeological Site, in Felício dos Santos, which was occupied during a chronological period between 7225 and 480 years cal BP. In addition, a sample was collected from each horizon of an organosol profile near the Archaeological Site. Phytoliths from grasses and palm trees predominate in the samples from the Cabeças 4 Archaeological Site. These results were corroborated with the types found in the soil profile, which are preserved and homogeneously distributed in the profile. Therefore, the phytolith analyses were promising for inferences of climatic variations and for improving knowledge on the environment in which the regional archaeological occupation occurred.

Keywords: archaeological site; organosol; climatic variations.


Palavras-chave


Sítio Arqueológico; Organossolo; Fitólitos; Variações climáticas

Texto completo:

PDF

Referências


Alexandre, A., Meunier, J. D., Mariotti, A., Soubies, F., 1999. Late Holocene Phytolith and Carbon-Isotope Record from a Latosol at Salitre, South-Central Brazil. Quaternary Research 51: 187-194.

Augustin, C. H. R. R., Coe, H. H. G., Chueng, K. F., Gomes, J. G., 2014. Analysis of geomorphic dynamics in ancient quartzite landscape using phytolith and carbon isotopes, Espinhaço Mountain Range, Minas Gerais, Brazil. Géomorphologie 4: 355-376.

Barboni, D., Bonnefille, R., Alexandre, A., Meunier, J. D., 1999. Phytoliths as paleoenvironmental indicators, West Side Middle Awash Valley, Ethiopia. Palaeogeography, Palaeoclimatology, Palaeoecology 152: 87-100.

Barros, L. F. P., Coe, H. H. G., Seixas, A. P., Magalhães, A. P., Macario, K. D., 2016. Paleobiogeoclimatic scenarios of the Late Quaternary inferred from fluvial deposits of the Quadrilátero Ferrífero (Southeastern Brazil). Journal of South American Earth Sciences 67: 71-88.

Bremond, L., Alexandre, A., Hély, C., Guiot, J., 2005. A phytolith index as a proxy of tree cover density in tropical areas: calibration with Leaf Area Index along a forest-savanna transect in southeastern Cameroon. Global and Planetary Change 45(4): 277-293.

Chueng, K., F., 2012. Inferência da Cobertura Vegetal e das Condições Climáticas no Espinhaço Meridional, MG, durante o Quaternário, através dos Indicadores Fitólitos e Isótopos de Carbono. Monografia, Dep. Geografia, UERJ/FFP, 118 p.

Chueng, K. F., 2016. Reconstituição paleoclimática da geodinâmica quaternária na Serra do Espinhaço Meridional, Minas Gerais, através dos indicadores fitólitos e isótopos de carbono. Dissertação (Mestrado em Dinâmica da Terra e dos Oceanos) - Universidade Federal Fluminense, 181p.

Coe, H. H. G., Osterrieth, M. L., 2014. Synthesis of Some Phytolith Studies in South America (Brazil and Argentina). New York: Nova Science Publishers, v.1, 280 p.

Coe, H. H. G., Alexandre, A., Carvalho, C. N., Santos, G. M., Silva, A. S., Sousa, L. O. F., Lepsch, I. F., 2012. Changes in Holocene tree cover density in Cabo Frio (Rio de Janeiro, Brazil): Evidence from soil phytolith assemblages. Quaternary International 2: 1-10.

Coe, H. H. G.; Souza, R. C. C. L.; Duarte, M. R.; Ricardo, S. D. F.; Machado, D. O. B. F.; Macario, K. C. D.; Silva, E. P., 2017. Characterisation of phytoliths from the stratigraphic layers of the Sambaqui da Tarioba (Rio das Ostras, RJ, Brazil). FLORA 236-237: 1-8.

Grave, P., Kealhofer, L. 1999: Assesing bioturbation in archaeological sediments using soil morphology and phytolith analysis. Journal of Archaeological Science 26: 1239-1248.

Fagundes, M., 2013. O Projeto Arqueológico Alto Jequitinhonha (PAAJ) e a Área Arqueológica de Serra Negra, Alto Araçuaí, Minas Gerais. Revista Espinhaço 2(2): 68-95.

Fagundes, M., 2016. O Projeto Arqueológico Alto Jequitinhonha - Sítios arqueológicos, Cultura material e Cronologias para compreensão das Ocupações Indígenas Holocênicas no Alto Vale do Rio Araçuaí, Minas Gerais -Brasil. Vozes dos Vales 10: 01-25.

Fagundes, M. Baggio Filho, H., Silva, A. C., Greco, W. S., D’ávila, M. A., Galvão, L. G., 2017. O Sítio Arqueológico Sampaio, Alto Vale do Araçuaí, Felício Dos Santos, Minas Gerais: Paisagem, Cronologia e Repertório Cultural para Compreensão das Ocupações Humanas Antigas do Espinhaço Meridional. Revista Espinhaço 01(11): 65-76.

Ishida, S., Parker, A. G., Kennet, D., Hodson, M. J., 2003. Phytolith analysis from the archaeological site of Kush, Ras al-Khaimah, United Arab Emirates. Quaternary Research 59 59, 310-321.

Isnardis, A., 2013. Pedras na Areia. As Indústrias Líticas e o Contexto Horticultor do Holoceno Superior na Região de Diamantina, Minas Gerais. Revista Espinhaço 2(2): 54-67.

Knegt, M. P., 2015. Indicadores da paisagem para a ocorrência de sítios arqueológicos na Área Arqueológica de Serra Negra, Face Leste do Espinhaço. Dissertação de Mestrado, Belo Horizonte, Universidade Federal de Minas Gerais, 92p.

Madella, M., Alexandre, A., Ball, T., 2005.Internacional Code for Phytolith Nomenclature 1.0. Annals of Botany 96: 253-260.

Mercader, J., Runge, F., Vrydaghs, L., Doutrelepont, H., Corneille E., Ewango, N., Juan-Tresseras, J., 2000. Phytoliths from Archaeological Sites in the Tropical Forest of Ituri, Democratic Republic of Congo. Quaternary Research 54: 102-112.

Pearsall, D. M. 1978. Phytolith analysis of archaeological soils: evidence for maize cultivation in formative Ecuador. Science 199: 177-178.

Piperno, D. R., 1988. Phytolith Analysis: An Archaeological And Geological Perspective. Academic Press Inc., California.

Piperno, D., Andres, T. C., Stothert, K. E., 2000. Phytolith in Cucurbita and other Neotropical Cucurbitaceae and their occurrence in Early Archaeological sites from the lowland american tropics. Journal of Archaeological Science 27: 193-208.

Prous, A., 1991. Histórico das pesquisas no Abrigo de Santana do Riacho e nos arredores Serra do cipó. Arquivos do Museu de História Natural 12: 61-66.

Prous, A., 1992. Arqueologia Brasileira. Brasília: Editora da UNB, 1992.

Rocha, A. P., 2014. Reconstituição Paleobiogeoclimática da Depressão de Gouveia, Minas Gerais, durante o Pleistoceno Superior/ Holoceno, através da análise de fitólitos extraídos de Sedimentos de uma Voçoroca. Trabalho de Conclusão de Curso (Monografia): UERJ – FFP, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Faculdade de Formação de Professores, Rio de Janeiro, 91 p.

Seixas, A. P., 2015. Reconstituição Paleobiogeoclimática de Registros Sedimentares Fluviais no Quadrilátero Ferrífero, Minas Gerais, através de análises fitolíticas e de isótopos de carbono. Trabalho de Conclusão de Curso (Monografia): UERJ – FFP, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Faculdade de Formação de Professores, Rio de Janeiro, 103 p.

Silva, L. A., 2017. Cadeia operatória do conjunto artefatual lítico do Holoceno médio: abrigo Cabeças 4, Felício dos Santos, Alto Vale do Araçuaí, MG. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de Pelotas, PPG-Antropologia, Pelotas-RS, 100p.

Souza, M. A. T. A., Grossi-Sad, J. H., 1997. Geologia Da Folha Rio Vermelho. In: Grossisad, J. H.; Lobato, L. M.; Pedrosa-Soares, A. C., Soares-Filho, B. S. (coordenadores e editores). Projeto espinhaço em cd-rom (textos, mapas e anexos). Belo Horizonte, COMIG - Companhia Mineradora de Minas Gerais, 1667-1806.

Sullivan, K. A., Kealhofer, L. 2004. Identifying activity areas in archaeological soils from a colonial Virginia house lot using phytolith analysis and soil chemistry. Journal of Archaeological Science 31(12): 1659-1673.




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v11.07.p2260-2275

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License