Condições Climáticas e Meteorológicas Associadas aos Desastres Naturais em São Luiz do Paraitinga – SP: análise dos verões de 1982 a 2014

Isabela Taici Lopes Gonçalves Horta, Gustavo Zen de Figueiredo Neves

Resumo


O estudo aqui apresentado teve como objetivo descrever as condições climáticas e meteorológicas que favoreceram a ocorrência de desastres e os respectivos danos causados pelos impactos no município de São Luiz do Paraitinga – SP, na ocorrência de nove eventos desastrosos deflagrados por chuvas. Localizado no Vale do Paraíba, o município tem um clima que se caracteriza por elevada pluviosidade, geneticamente relacionado ao litoral norte do estado de São Paulo. Sua geomorfologia é determinada pela ação das chuvas abundantes e pela alta amplitude térmica. O resultado das características climáticas e geomorfológicas é o constante extravazamento do rio Paraitinga, causando inundações constantes no município. Para análise da problemática foi realizada uma consulta ao Banco de Desastres do IPMet – Centro de Meteorologia de Bauru que possibilitou as informações detalhadas sobre os desastres ocorridos., foi utilizado os Boletins Climanálise e os dados de pluviometria do banco de dados Hidroweb. A partir da estatística descritiva foi possível verificar que os eventos desastrosos foram deflagrados por chuvas que estavam, na maioria das vezes, acima da média ou média referente à escala temporal analisada (verões de 1982 a 2014), destaca-se que esses valores altos de precipitação são considerados recorrentes para o período analisado. Quanto aos sistemas atmosféricos, tem-se que as chuvas fortes foram formadas no domínio da ZCAS em atuação conjunta com os VCANs e a Alta da Bolívia, comportamento já observado na literatura há tempo. Os apontamentos realizados no presente estudo podem embasar políticas de prevenção a desastres naturais do tipo inundação.


Palavras-chave


Climatologia, Precipitação, Inundação, Desastres Naturais, Seguridade Social.

Referências


ANA. Agência Nacional De Águas., 2009. Inventário das estações pluviométricas. 2.ed. Brasília: ANA; SGH.

ATLAS brasileiro de desastres naturais: 1991 a 2012., 2013. 2.ed. rev. ampl. UFSC/CEPED,Florianópolis.

Boin, M.N.,Zavattini, J.A., 2013. Climatologia geográfica – teoria e prática de pesquisa.Alínea,Campinas.

CLIMANÁLISE., 1986. Boletim de Monitoramento e Análise Climática. Cachoeira Paulista, SP, Brasil, INPE/CPTEC. Publicação Mensal. ISSN 0103-0019 CDU-555.5

Corsi, A.C.; Azevedo, P.B.M.; Gramani, M.F., 2012. Valoração de danos decorrente da inundação em São Luiz do Paraitinga. Revista de Gestão Ambiental e Sustentabilidade [enlinea], v.1, n.2. Disponível:http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=471647097006. Acesso: 15 mai. 2017.

EM-DAT.The InternationalDisasterDatabase.Centre for ResearchontheEpidemiology of Disasters.Disponível:https://www.emdat.be/. Acesso:8mar. 2017.

EIRD (Estratégia Internacional de Redução de Desastres)., 2004. Organização das Nações Unidas.Glosario de La Estrategia. Disponível: http://www.eird.org/esp/terminologiaesp.htm.Acesso: 27 nov. 2018.

HIDROWEB: sistemas de informações hidrológicas. Séries históricas. Disponível:

HORTA, I.T.L.G., 2017. Análise de impactos pluviais em São Luiz do Paraitinga - SP/Brasil. 2017. Dissertação (Mestrado). São Carlos, USP.

IBGE. Instituto Brasileiro De Geografia E Estatística., 2010. Malha dos setores censitários. Disponível: ftp://geoftp.ibge.gov.br/recortes_para_fins_estatisticos/malha_de_setores_censitarios/censo_2010/base_de_faces_de_logradouros. Acesso: 14 set. 2016.

Kron W, Steuer M, Löw P, Wirtz A., 2012.How to dealproperlywith a natural catastrophedatabase – analysis of floodlosses. Nat. Hazards Earth Syst. Sci. 12: 535–550.

Marcelino, E.V., 2008. Desastres naturais e geotecnologias: conceitos básicos. INPE,São José dos Campos.

MONTEIRO, C.A.F. Clima e excepcionalismo - conjecturas sobre o desempenho da atmosfera como fenômeno geográfico. Florianópolis: Ed.UFSC, 1991.

Moura, C.A., Jimenez-Rueda, J.R., Martins Coelho, J.O., 2006. O Processo pedogenético no domínio tropical atlântico - o exemplo do Vale do Paraíba do Sul/SP. In: SIMPÓSIO NACIONAL DE GEOMORFOLOGIA / REGIONAL CONFERENCE ON GEOMORPHOLOGY, 4., Goiânia. Anais... Meghalaya: InternationalAssociation of Geomorphologists.

Narváez L., Lavell A., Ortega G.P., 2009. La gestióndelriesgo de desastres: un enfoque basadoenprocesos. San Isidro: Secretaría General de laComunidad Andina.

OPAS. Organização Pan-Americana da Saúde. Ministério da Saúde., 2015. Desastres Naturais e Saúde no Brasil. Brasília, DF: OPAS, Ministério da Saúde. 56p.

Pellegrina, G.J., 2011. Proposta de um procedimento metodológico para o estudo de problemas geoambientais com base em banco dedados de eventos atmosféricos severos. 2011. Dissertação (Mestrado). Bauru, UNESP.

Quadro, M.F.L.,Pezzi, L.P., Rosa, E.B.O., 2006.Climanálise e o monitoramento da ZCAS nos últimos 30 anos. Revista Climanálise, ano 3, n.1.Disponível:http://climanalise.cptec.inpe.br/~rclimanl/revista/pdf/30anos/quadroetal.pdf. Acesso:6 jun. 2017.

WMO. World MeteorologicalOrganization. Meteoterm. Disponível:http://wmo.multitranstms.com/MultiTransWeb/Web.mvc.Acesso:05 ago. 2016.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Revista Brasileira de Geografia Física - eISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License