Variação Microclimática de Sítios Urbanos com Diferentes Níveis de Cobertura Vegetal Como Subsídio à Formação de Ilha de Calor

Pedro Hugo Oliveira Moreira, Alan Cavalcanti da Cunha, João de Athaydes Silva Júnior, Antonio Carlos Lola da Costa

Resumo


O objetivo da investigação é analisar variações espaciais e sazonais de elementos meteorológicos que evidenciam a formação e ocorrência do fenômeno da Ilha de Calor Urbana (ICU) na cidade de Macapá. A metodologia de estudo avaliou a evolução histórica da cobertura de vegetação e da malha urbana utilizando-se técnicas de geoprocessamento e de classificação supervisionada de Máxima Verossimilhança (MAXVER). Com este objetivo foram analisadas séries de dados contínuos coletados durante dez dias consecutivos nos períodos chuvoso (Abril/2018), Seco (Novembro/2018) e Transição (Junho/2019). Os elementos meteorológicos quantificados foram a umidade relativa do ar (UR) e a temperatura média do ar (T). Cinco estações semi-automáticas foram estrategicamente distribuídas ao longo de dois eixos de máximo prolongamento da zona urbana de Macapá, nos sentidos Nordeste-Sudoeste e Oeste-Leste. Os resultados indicaram significativa variação sazonal da Temperatura e da Umidade Relativa (p<0,05). Espacialmente, os resultados também foram significativos (p<0,05), sugerindo influência espaço-sazonal dos padrões de variabilidade de T e UR sobre ICU correlacionados com as taxas de uso e ocupação do solo. Assim, ICU mostrou-se significativamente dependente tanto do índice de vegetação (R2=0,47, p<0,05) quanto do índice de urbanização (R2=0,62, p<0,05). Conclui-se que a sazonalidade diária observada sugere existência do fenômeno da ilha de calor urbana, especialmente nas zonas central e sul da cidade, cujos índices inclusive têm sido confirmados por estudos similares. Os dados de sazonalidade dos elementos meteorológicos analisados, sua relação com o uso do solo, podem trazer elementos importantes para o debate sobre a formação da ICU nas cidades amazônicas.


Palavras-chave


Elemento meteorológico, vegetação, urbanização, ilha de calor urbana, Macapá.

Referências


Alves, E.D.L.; Lopes, A. 2017. The urban heat island effect and the role of vegetation to address the negative impacts of local climate changes in a small Brazilian city. Atmosphere [online] 8. Disponível: http://dx.doi. org/10.3390/atmos8020018. Acesso: 25/08/2020.

Amorim, M. C. C. T., DUBREUIL, V., 2017. Intensity of Urban Heat Islands in tropical and temperate climates. Climate [online] 5. Disponível: http://dx.doi. org/10.3390/cli5040041. Acesso: 13/08/2020.

Arya, S. P., 2001. Introduction to Micrometeorology, 2ª ed. Academic Press, Cambridge.

Barbosa, P. H. D.; Costa, A. C. L.; Cunha, A. C.; Silva Junior, J. A.; 2015. Variabilidade de elementos meteorológicos e de conforto térmico em diferentes ambientes na Amazônia brasileira. Revista Brasileira de Climatologia [online] 17. Disponivel: http://dx.doi.org/10.5380/abclima.v17i0.43048. Acesso:14/08/2020.

Corrêa, P. B.; Cândido, L.A; Souza, R. A. F.; Andreoli, R. V.; Kayano, M. T., 2016. Estudo do fenômeno da ilha de calor na cidade de Manaus-AM: Um estudo a partir de dados de sensoriamento remoto, modelagem e estações automáticas. Revista Brasileira de Meteorologia 31, 167-176. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/0102-78631220150012.

Costa, A. C. L, Rodrigues, H. J. B., Silva Junior, J. D. A., Nunes, L. R. C., Moraes, B. C., Costa, A. C., Cunha, A. C., Meir, P.; Malhi, Y., 2018. Variabilidade Horária, Diária e Sazonal da Frequência e Intensidade de Precipitação em uma Floresta Tropical Chuvosa na Amazônia Brasileira. Revista Brasileira de Geografia Física 11, 1290-1302.

Costa, A. C. L.; Silva Junior, J. A.; Cunha, A. C.; Feitosa, J. R. P.; Portela, B. T. T.; Silva, G. G. C.; Costa, R. F., 2013. Índices de conforto térmico e suas variações sazonais em cidades de diferentes dimensões na Região Amazônica. Revista Brasileira de Geografia Física 6, 478-487. Doi: http://dx.doi.org/10.26848/rbgf.v6.3.p478-487

Crawley, M. J., 2007. The R Book. 2ª Ed. Imperial College London at Silwood Park. John Wiley & Sons Ltd, London.

INMET. Instituto Nacional De Meteorologia, 2018. Normais Climatológicas do Brasil 1981–2010. Brasília.

Kuhn, P. A. F.; Cunha, A. C.; Pereira, M. J.; Saraiva J. M. B., 2010. Previsão Numérica Operacional no Estado do Amapá Utilizando o BRAMS. In: Cunha, A. C.; Souza; E. B. De; Cunha, H. F. A. (Orgs.). Tempo, Clima e Recursos Hídricos: Resultados do Projeto REMETAP no Estado do Amapá, Editora do Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas (IEPA), Macapá, pp. 61-82.

Leal Filho, W.; Icaza, L. E.; Emanche, V. O.; Al-Amin, A. Q., 2017. An Evidence-Based review of impacts, strategies and tools to mitigate urban heat island. International Journal of environment research public health [online] 14(12). Disponível: http://dx.doi.org/10.3390/ijerph14121600. Acesso: 10/01/2019.

Leite, M. E., Silva, L. A. P., Leite, M. R.; Fonseca, G. S., 2018. Geotecnologias aplicadas a estimativa da temperatura de superfície em diferentes usos e ocupações do solo na Área de Proteção Ambiental do Rio Pandeiros – Minas Gerais. Caderno de Geografia 28, 490-509. Doi: http://10.5752/p.2318-2962.2018v28n53p490.

Nóbrega, R. S.; Santos, P. F. C.; Moreira, E. B. M., 2016. Morfologia urbana e ilhas de calor na cidade do Recife-PE: Distribuição Espacial e intensidade. Revista de Geografia (Recife) 33, 319-333.

Oke, T. R., 1987. Boundary Layer Climates. 2ª ed. Routledge: London.

Porangaba, G. F. O; Teixeira, D.C.F.; Amorim, M. C. C. T., 2017.

Procedimentos metodológicos para análise das ilhas de calor em cidades de pequeno e médio porte. Revista Brasileira de Climatologia [online] 21. Disponível: http://dx.doi.org/105380/abclima.v21i0.48832. Acesso: 12/08/2020.

R Development Core Team, 2016. R: A language and environment for statistical computing. R Foundation for Statistical Computing, Vienna.

Roth, M., 2007. Review of urban climate research in (sub) tropical regions. International Journal of Climatology 27, 1859–1873. Doi: http://dx.doi. org/10.1002/joc.1591

Sanches, F. O.; Fernandes, E.; Ferreira, R.V.; Firmino, G. V.; Alves, M. O., 2018. Contribuição ao estudo do clima urbano em Uberaba (MG), Revista Brasileira de Climatologia [online] 33. Disponível: http://dx.doi.org/10.5380/abclima.v1i0.60447. Acesso: 12/08/2020.

Santiago, D. B.; Gomes, H. B., 2016. Estudo de ilhas de calor no município de Maceió/AL usando dados orbitais do Landsat 5. Revista Brasileira de Geografia Física 9, 793-803.

Santos, K. P. C.; Cunha, A. C.; Souza, E. B.; Costa, A. C. L. 2012. Índices de Tendências Climáticas Associadas à “ilha de calor” em Macapá-AP. Revista Brasileira de Ciências Ambientais 23, 1-16.

Silva, A. P. N., 2016. Ilha de calor urbana: diagnóstico e impactos no microclima da região metropolitana de Macapá- AP. Tese (Doutorado). Campina Grande, UFCG.

Silva Junior, J. A., 2012. Avaliação de parâmetros micrometeorológicos, do conforto e da percepção térmica na área urbana da cidade de Belém-PA. Tese (Doutorado). Belém, UFPA.

Silva Junior, J. A.; Costa, A. C. L.; Pezzuti, J. C. B.; Costa, R. F.; Souza, E. B., 2012a. Relações entre as percepções térmicas e índices de conforto térmico dos habitantes de uma cidade tropical na Amazônia Oriental. Brazilian Geographical Journal 3, 395-407.

Silva Junior, J. De A.; Costa, A. C. L.; Pezzuti, J. C. B.; Costa, R. F.; Galbraith, D., 2012b. Análise da Distribuição Espacial do Conforto Térmico na Cidade de Belém, PA no Período Menos Chuvoso. Revista Brasileira de Geografia Física 2, 218-232.

Silva Junior, J. A.; Costa, A. C. L.; Pezzuti, J. C. B.; Costa, R. F.; Rodrigues, H. J. B., 2013a. Sazonalidade de elementos meteorológicos da área urbana e periférica na cidade de Belém, PA. Brazilian Geographical Journal 4, 650-662.

Silveira, I. M. M; Carvalho, R. G., 2016. Microclima e conforto térmico na área da Mata da Bica, no munícípio de Portalegre-RN. Revista Brasileira de Geografia Física 9, 062-078.

Souza, D. O.; Alvalá, R. C. S., 2014. Observational evidence of the urban heat island of Manaus city, Brazil. Meteorological Applications [online] 21. Disponivel: http://dx.doi. org/10.1002/met.1340. Acesso: 07/09/2019.

Terra De Oliveira, M.; Ganem, K. A.; Batista, G. M. De M., 2017. Análise sazonal da relação entre sequestro de carbono e ilhas de calor urbanas nas metrópoles de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Brasília. Revista Brasileira de Cartografia 69, 807-825.

Torres, A. M, El-Robrini, M., Costa, W.J.P., 2018. Panorama da erosão costeira – Amapá, in: Muehe, D. (org.), Panorama da Erosão Costeira no Brasil. Ministério do Meio Ambiente (MMA), Brasília, pp. 19-63.

WMO. World Meteorological Organization, 2012. Guide to meteorological instruments and methods of observation. Geneva.

Zhang, X.; Steeneveld. G.; Zhou, D.; Duan, C.; Holtslag, A. A. M., 2019. A diagnostic equation for the maximum urban heat island effect of a typical Chinese city: A case study for Xi'na. Building and environment 158, 39-50. Doi: http://dx.doi.org/10.1016/j.buildenv.2019.05.004.

Zhou, B.; Rybski, D.; Kropp, J. P., 2017. The Role of city size and urban form in the surface urban heat island. Scientific Reports [online], 7. Disponivel: http://dx.doi. org/10.1038/s41598-017-04242-2. Acesso: 23/01/2019.

Zhu, R., Wong, M. S.; Guilbert, E., Chan, P. W., 2017. Understanding heat patterns produced by vehicular flows in urban areas. Scientific Reports [online] 7. Disponível: http://dx.doi. org/10.1038/s41598-017-15869-6. Acesso: 23/01/2019.




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v13.07.p%25p

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License