Justificativas de sedição: deslegitimação do poder régio no manifesto preciso

Renata Bezerra de Freitas Barbosa

Resumo


O presente artigo tem como objetivo analisar os argumentos contidos no manifesto Preciso, que foram utilizados pelos revoltos da Insurreição Pernambucana de 1817 para questionar a legitimidade da Coroa Portuguesa sobre a capitania de Pernambuco. Em seu texto, é possível identificar que os argumentos utilizados no documento estavam embasados, em parte, no paradigma corporativista de poder e de sociedade, ainda que o paradigma individualista guiasse toda a reflexão social desde a segunda metade do século anterior. Isso permite apontar permanências e perceber a experiência da passagem de um paradigma a outro pelo povo de Pernambuco.


Palavras-chave


Sedição; Poder; Absolutismo; Pernambuco

Texto completo:

PDF

Referências


AQUINO, Tomás de. Suma teológica. São Paulo: Loyola, 2009.

ARISTÓTELES. Política. Lisboa: Ed. Vega, 1998.

BLUTEAU, Raphael. Vocabulario portuguez & latino: aulico, anatomico, architectonico ... Coimbra: Collegio das Artes da Companhia de Jesu, 1712 – 1728.

BOBBIO, Norberto, Matteucci, Nicola & PASQUINO, Gianfranco (Orgs.). Dicionário de Política. Brasília: UNB, 1983.

CARDOSO, Sergio. A matriz romana. In: BIGNOTTO, Newton (Org.). Matrizes do republicanismo. Ed. UFMG, 2013.

FERNÁNDEZ ALBALADEJO, Pablo. Fragmentos de Monarquía; Trabajos de historia política. Madrid: Alianza Editorial, 1992.

FÚRIO CERIOL, Fadrique. El concejo y consejeros del príncipe. Madrid: En la imprenta de Andres de Sotos. 1779.

LEITE, Glacyra L. A insurreição pernambucana de 1817. São Paulo: Ed. Brasiliense, 1984.

MAGALHÃES, Joaquim Romero. As estruturas políticas de unificação. In: MATTOSO, José de (Dir.). História de Portugal. v.3. Lisboa: Editorial Estampa, s.d.

MARAVALL, José Antonio. Teoria Española del Estado en el siglo XVII. Madrid: Centro de Estudios Constitucionales, 1997.

MARIANA, Juan de. Del Rey y de la Instituición de la Dignidad Real. Buenos Aires: Ed. Paternon, 1945.

MELLO, Evaldo Cabral de. A outra independência: o federalismo pernambucano de 1817 a 1824. São Paulo: Editora 34, 2004.

SILVA, Antonio de Moraes. Diccionario da lingua portugueza - recompilado dos vocabularios impressos ate agora... Lisboa: Typographia Lacerdina, 1813.

SUBTIL, José Manuel. A administração central da Coroa. In: MATTOSO, José de (Dir.). História de Portugal. v.3. Lisboa: Editorial Estampa, s.d.

TAVARES, Francisco Muniz. História da Revolução de Pernambuco em 1817. Recife: Typ. Industrial, 1884.

VITORIA, Francisco de. Relectiones sobre os índios e sobre o Poder Civil. Brasília: Ed.UNB, 2016.

XAVIER, Angela Barreto e HESPANHA, António Manuel. A representação da sociedade e do Poder. In: MATTOSO, José de (Dir.). História de Portugal. v.4. Lisboa: Editorial Estampa, 1998.




DOI: https://doi.org/10.22264/clio.issn2525-5649.2019.37.2.05

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores:

                    

                                   

 

eISSN: 2525-5649  Av. da Arquitetura, s/n CFCH-10°Andar, CDU - Recife-PE - CEP: 50740-550 Fone:+55(81)2126-8292  editorclio@gmail.com

                                                                                                                                                                         desde 20. Set. 2018  Contador de visitas