EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM PLANTAS MEDICINAIS E SAGRADAS: UMA EXPERIÊNCIA DE RURALIDADE METROPOLITANA

Adalgisa Dorotea Sales

Resumo


RESUMO

Este artigo sistematiza um processo de reflexão filosófica e científica de educação ambiental num contexto de expansão urbana em área de bioma Mata Atlântica, que se sobrepuja a culturas e modos de vida que estabelecem relações diretas com a natureza, aqui compreendida como ruralidades. Para tanto, parte-se de uma experiência de educação ambiental em escola no bairro Cajazeiras em Salvador-BA e norteia-se conceitualmente as reflexões pela perspectiva da ética ambiental para dialogar com pessoas e organizações não-governamentais ligados ao universo religioso e de políticas de conservação do ecossistema local. Algumas plantas reconhecidas como sagradas estão sendo dizimadas, seja pela ação desordenada da retirada de folhas e raízes, pelo desmatamento de áreas de Mata Atlântica para novos empreendimentos imobiliários, ou ainda redução de áreas verdes para abertura de estradas, a fim de contribuir com a mobilidade urbana. Discute-se a necessidade de uso e cultivo das plantas que ainda sobrevivem no local, para que a conservação ambiental seja efetiva na área urbana estudada.

Palavras-chave: Ética ambiental. Conservação. Mata Atlântica. Religiosidade.


Palavras-chave


Ética ambiental. Conservação. Mata Atlântica. Religiosidade.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Adalgisa Dorotea Sales

 

 

 

 

Indexadores e Bases bibliográficas:

                    

      

 

 

 

Programa de Pós Graduação em História - PGH UFRPE

Universidade Federal Rural de Pernambuco

Rua Dom Manuel de Medeiros, s/nº

Dois Irmão, Recife, PE, CEP: 52171-010

Prédio Professor Ariano Suassuna (1º Andar) 

ISSN: 2525-6092

 

 

 

Licença Creative Commons

A Revista Rural & Urbano está licenciado com uma Licença Creative Commons