NEGRO/A, EU?: REPRESENTAÇÕES SOCIAIS, CORRENTES, GRITOS E O REFÚGIO DA COR

Carlos Adriano da Silva Oliveira, Dyane Brito Reis Santos

Resumo


A produção tem o objetivo de refletir acerca de categorias encontradas na pesquisa intitulada Negro (a), eu? Um estudo sobre as representações sociais da identidade étnico-racial entre alunos e alunas de 5º ano do ciclo de uma escola pública em Amargosa-BA, apresentada na Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (2010). O aporte metodológico utilizado configurou-se por uma pesquisa qualitativa e estudo de caso do tipo etnográfico, desenvolvido por observação direta, aplicação de questionários e realização de grupos focais. Ponderamos que a identidade negra é depreciada no espaço escolar através de conteúdos pouco sensíveis à pluralidade cultural provocando a existência de correntes imaginárias. As representações sociais construídas dos/as alunos/as sobre o seu pertencimento surgem como gritos referentes à cor e cabelo. A busca do refugio na cor morena conforma a problemática e implicações do ser negro. Dentro dessa conjuntura, elucidamos caminhos e possibilidades para o estudo.

 

 


Palavras-chave


Educação, Relações Étnico-Raciais, Representações Sociais

Texto completo:

PDF


 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.


                                         INDEXADORES

       
 
 
  
 
   
 
 
                                          BUSCADORES 
                                  


                                                      
                                           
                                              MÉTRICAS 
 
GOOGLE ACADÊMICO: https://scholar.google.com.br/citations?hl=pt-BR&user=BbrMvUMAAAAJ