EDUCAÇÃO EM SEXUALIDADES E A GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA NA EDUCAÇÃO ESCOLAR

Lucas André Teixeira, Laura Cristina de Souza, Giovana Maria Paiva Bastagini

Resumo


A pesquisa tem como objeto de estudo a educação em sexualidades, defendendo a necessidade de inserir conteúdos dessa temática no currículo da educação básica. Com um recorte sobre a gravidez na adolescência no ensino médio, a pesquisa ocorreu em uma escola pública estadual do Município de Araraquara (SP), estabelecendo como sujeitos: estudantes pais ou mães regularmente matriculadas. A constituição dos dados se deu com questionário para identificar e caracterizar os conhecimentos que possuem sobre a gravidez e a sexualidade na adolescência. A tabulação e análise dos dados identificou 6 sujeitos, os quais trouxeram informações sobre como esse tema foi abordado durante seu processo formativo na educação básica. O principal resultado da pesquisa aponta para uma ausência em relação ao tema da gravidez da adolescência, sugerindo a importância desse conteúdo curricular ser inserido no currículo escolar, uma vez que a sua ausência compromete a socialização de conhecimentos científicos como forma de promover uma educação em sexualidades emancipatória.

Palavras-chave


Educação em Sexualidades; Ensino de Sociologia; Currículo; Educação Escolar.

Texto completo:

PDF

Referências


BONA JUNIOR, A. O corpo na educação emancipatória da sexualidade: uma análise das iniciativas do governo do Paraná (2003-2010). Tese (Doutorado). Campinas, SP: 2013. Disponível em: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/253916. Acesso em: 20 fev. 2020.

BRASIL, Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Projetos Educacionais Especiais. Diretrizes para uma política Educacional em Sexualidade. Série Educação Preventiva Integral. Brasília (DF): Ministério da Educação e Desporto, 1994.

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros curriculares nacionais: orientação sexual. Brasília: Secretaria da Educação Fundamental, 2000.

BRASIL. Parâmetros curriculares nacionais: pluralidade cultural, orientação sexual. Brasília: MEC/Secretaria de Educação Fundamental, 1997.

CISNE, M. Feminismo e marxismo: apontamentos teórico-políticos para o enfrentamento das desigualdades sociais. Serv. Soc. Soc., São Paulo, n. 132, p. 211-230, maio/ago. 2018. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S0101-66282018000200211&lng=pt&nrm=is>. Acesso em: 10 set 2019.

DINIS, N.; ASINELLI-LUZ, A. Educação sexual na perspectiva histórico-cultural. Educar, Curitiba, n. 30, p. 77-87, Editora UFPR, 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-40602007000200006&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 02 ago 2019.

FIGUEIREDO, V. A. A. Gênero, patriarcado, educação e os parâmetros curriculares nacionais. Caderno Espaço Feminino, Uberlândia, v. 21, n. 1, Jan./Jul., 2009. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/neguem/article/view/3687. Acesso em: 12 dez 2019.

JARDIM, D.P., BRÊTAS, J.R.S. Orientação sexual na escola: a concepção dos professores de Jandira – SP. Rev Bras Enferm, Número 59, mar-abr; (Volume 2): pp. 157-62, 2006. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672006000200007. Acesso em 06 nov. 2019.

JUNQUEIRA, R. D. A ideologia de gênero existe, mas não é aquilo que você pensa que é. In: CÁSSIO, F. (Org.). Educação contra a Barbárie: por escolas democráticas e pela liberdade de ensinar.São Paulo: Boitempo, 2019.

MINAYO, M. C. S. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 24 ed. Petrópolis: Vozes, 2000.

NUNES, C. A. Desvendando a sexualidade. 3.ed. Campinas: Papirus, 1997.

NUNES, C. Educar para a emancipação. Florianópolis, SC: Sophos, 2003.

PFEIFFER, L.; SALVAGNI, E. P. Abuso sexual na infância e adolescência. Jornal de Pediatria -.

J. Pediatr. (Rio J.). Vol. 81, Nº5 (supl), 2005. Disponível em:

RIBEIRO, P. R. M. Os momentos históricos da educação sexual no Brasil. In: RIBEIRO, P. R. M. (Org.). Sexualidade e educação: aproximações necessárias. SÃO PAULO: ARTE & CIÊNCIA, 2004.

SANTOS, E. S.; CONCEIÇÃO, I. M.; MOURA, P. A. Gravidez e abandono escolar de adolescentes negras: qual o papel da escola nesse contexto? In: 10 ENFOPE, Aracaju, SE. Anais... UNIT, 2017. Disponível em: https://eventos.set.edu.br/index.php/enfope/article/view/5268. Acesso em: 01 mar. 2020.

SAVIANI, D. História das idéias pedagógicas no Brasil. Campinas: Autores Associados, 2007. 473p.

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-critica: primeiras aproximações. 9. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2005.

SILVA, L. M. M.; SANTOS, S. P. Sexualidade e formação docente: representações de futuro professores/as de Ciências e Biologia. In: ENPEC, 8., Campinas, SP. Anais... São Paulo: Abrapec, 2011. Disponível em: http://www.nutes.ufrj.br/abrapec/viiienpec/resumos/R0835-1.pdf. Acesso em: 05 jan. 2020.

SILVA, M. M. Pedagogia histórico-crítica e sexualidade na educação escolar: considerações a partir da análise do tema “Orientação sexual” nos parâmetros curriculares nacionais. Germinal: Marxismo e Educação em Debate, Salvador, v. 7, n. 1, p. 78-88, jun. 2015. Disponível em: https://portalseer.ufba.br/index.php/revistagerminal/article/view/9684. Acesso em: 11 nov. 2019.

TOZONI-REIS, M.F.C. Metodologia de Pesquisa Científica. 2.ed. Curitiba: IESDE Brasil S. A., 2007.




 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.


                                         INDEXADORES

       
 
 
  
 
   
 
 
                                          BUSCADORES 
                                  


                                                      
                                           
                                              MÉTRICAS 
 
GOOGLE ACADÊMICO: https://scholar.google.com.br/citations?hl=pt-BR&user=BbrMvUMAAAAJ