A Semana da Consciência Negra em uma Escola Periférica: Narrativas de um Trabalho Coletivo

Elaine da Silveira Ribeiro FERRARESE, Tamires da Silva OLIVEIRA

Resumo


RESUMO

O objetivo do trabalho é inscrever os enfrentamentos para implementação de um projeto interdisciplinar em escola pública periférica, sobre a cultura afro-brasileira. Justifica-se a partir de evidências cotidianas e estatísticas onde os sujeitos negros são “invisibilizados” nas narrativas que compõem a identidade nacional brasileira. Pelas narrativas das professoras envolvidas no projeto, buscou-se problematizar, contextualizar e refletir a partir de bibliografia majoritariamente negra, as crises e dramas do cotidiano escolar específicos ao recorte racial. Considera-se que professoras e professores necessitam fazer voz para que a prática de enaltecer a pluralidade de existências e a luta do povo negro no Brasil ocorra não apenas em datas específicas, mas ao longo de todo o ano letivo.

Consciência negra. Racismo. Escola. Narrativas. Projeto interdisciplinar.

 

ABSTRACT

The work objective is to register the confrontations for the implementation of an interdisciplinary project in a peripheral public school, about Afro-Brazilian culture. It is justified based on daily evidence and statistics where black people are “invisible” in the narratives that make up the Brazilian national identity. Through the narratives of the teachers involved in the project, we sought to problematize, contextualize, and reflect from a mostly black bibliography, such as crises and dramas of the school routine specifics to the racial profile. It is considered that qualified teachers need to make a voice so that the practice of extolling the plurality of existences and the struggle of the black people in Brazil occurs not only on specific dates, but throughout the school year.

Black awareness. Racism. School. Narratives. Interdisciplinary project.

 

RESUMEN

El objetivo del trabajo es registrar los enfrentamientos para la implementación de un proyecto interdisciplinario en una escuela pública periférica, sobre la cultura afrobrasileña. Se justifica con base en evidencias y estadísticas diarias donde los sujetos negros son “invisibilizados” en las narrativas que conforman la identidad nacional brasileña. A través de las narrativas de las docentes involucradas en el proyecto, se buscó problematizar, contextualizar y reflexionar desde una bibliografía mayoritariamente negra, las crisis y dramas de la rutina escolar propios del contorno racial. Se considera que las profesoras y los profesores necesitan hacer una voz para que la práctica de ensalzar la pluralidad de existencias y la lucha del pueblo negro en Brasil ocurra no solo en fechas específicas, sino durante todo el año escolar.

Conciencia negra. Racismo. Escuela. Narrativas. proyecto interdisciplinario.

 

SOMMARIO

L'obiettivo del lavoro è registrare i confronti per l'attuazione di un progetto interdisciplinare in una scuola pubblica periferica, sulla cultura afro-brasiliana. È giustificato sulla base di prove e statistiche quotidiane in cui i soggetti neri sono "invisibili" nelle narrazioni che compongono l'identità nazionale brasiliana. Attraverso le narrazioni dei docenti coinvolti nel progetto si è cercato di problematizzare, contestualizzare e riflettere da una bibliografia prevalentemente nera, le crisi e i drammi della routine scolastica tipica del profilo razziale. Si ritiene che gli insegnanti e le insegnanti debbano farsi una voce in modo che la pratica di esaltare la pluralità delle esistenze e la lotta dei neri in Brasile avvenga non solo in date specifiche, ma durante l'intero anno scolastico.

Coscienza nera. Razzismo. Scuola. Narrazioni. progetto interdisciplinare.

 


Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Silvio Luiz de. Racismo Estrutural. São Paulo: Sueli Carneiro; Editora Jandaíra, 2020.

BA HAMPATÊ, Amadoul. Amkoullel. O menino fula. São Paulo: Palas ATHENA, 2003.

CÂMARA MUNICIPAL DE CAMPINAS. Verdades históricas: câmara assina convênio para que Comissão da Verdade Sobre a Escravidão Negra tenha acesso ao acervo documental do legislativo, um dos maiores sobre o século XIX. 2018. Disponível em: . Acesso em 16 de setembro de 2020.

CARNEIRO, Sueli. Gênero Raça e Ascensão Social. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 3, n. 2, p. 544, jan. 1995. ISSN 1806-9584. Disponível em: . Acesso em: 21 ago. 2020.

CARNEIRO, Sueli. Racismo, sexismo e desigualdade no Brasil. São Paulo: Selo Negro, 2011.

DELORY-MOMBERGER, Christine. Biografia e Educação: figuras do indivíduo-projeto. Tradução: Maria da Conceição Passegi, João Gomes da Silva Neto e Luis Passegi. Natal, RN: EDUFRN; São Paulo: Paulus, 2008.

ESTADÃO. O material jornalístico produzido pelo Estadão é protegido por lei. As regras têm como objetivo proteger o investimento feito pelo Estadão na qualidade constante de seu jornalismo. 2019. Disponível em . Acesso em 16 de setembro de 2020.

EXAME. Negros são os mais condenados por tráfico e com menos drogas apreendidas. 2019. Disponível em: . Acesso em 21 de agosto de 2020.

FERREIRA, Luciana Haddad; ARAGÃO, Ana Maria Falcão; PREZOTTO, Marissol. Sobre águas e meninos: formação de professores numa perspectiva histórico-cultural. Laplage em Revista (Sorocaba), vol.1, n.3, 2015a, p.20-33.

G1. Brancos são maioria em empregos de elite e negros ocupam vagas sem qualificação. 2018. Disponível em: . Acesso em 21 de agosto de 2020.

HOOKS, bell. Educação democrática. In: CÁSSIO, Fernando (org.). Educação contra a barbárie: por escolas democráticas e pela liberdade de ensinar.1. ed. São Paulo: Boitempo, 2019.

HOOKS, bell. Ensinando a transgredir: a educação como prática da liberdade. Tradução: Marcelo Brandão Cipolla. 2. Ed. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2017.

JUSBRASIL. Estudo sobre violência policial revela racismo institucional na PM de SP. Disponível em: . Acesso em 21 de agosto de 2020.

KILOMBA, Grada. Memórias da Plantação: Episódios de racismo cotidiano. Rio de Janeiro: Ed. Cobogó, 2019.

MARQUESIN, Denise F. B., NACARATO, Adair, M. Narrativas de futuras professoras: paisagens desenhadas sobre os modos de ensinar matemática. In: NARCARATO, Adair (org.) Pesquisa (com) Narrativas: A produção de sentidos para experiências discentes e docentes. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2018.

MOREIRA, Andressa; SILVA, Daniele N. H. Experiência Estética, arte, imaginação e criação na psicologia de Lev Vigotski. In: Educação Estética: a arte como atividade educativa. São Carlos: Pedro & João Editores, 2020.

PRADO, Guilherme do Val T.et al. Formação de professores em narrativas singulares. In:IMBERNÓN, Francisco, NETO, Alexandre S. & FORTUNATO, Ivan (org.). São Paulo: Edições Hipótese, 2019.

RUBTSOV, Vitaly. A atividade de aprendizado e os problemas referentes à formação do pensamento teórico dos escolares. Em Garnier, Catherine, Bednarz, Nadine, & Ulanovskaya, Irina. (1996). Após Vygotsky e Piaget: Perspectivas Social e Construtivista. Escolas russa e ocidental (pp.129-137). Porto Alegre: Artes Médicas.

SILVA, Paulo Vinicius B. da; TRIGO, Rosa Amália. E.; MARÇAL, José Antonio. Movimentos negros e direitos humanos. Rev. Diálogo Educ., Curitiba, v. 13, n. 39, p. 559-581, maio/ago. 2013. Disponível em: . Acesso em 16 de setembro de 2020.

VIGOTSKI, L. S. Psicologia Pedagógica. 3ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2010.




DOI: https://doi.org/10.33052/inter.v6i12.248996

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Elaine da Silveira Ribeiro FERRARESE, Tamires da Silva OLIVEIRA

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.