Variação Longitudinal da Salinidade do Estuário Hipersalino do Rio Apodi/Mossoró (Rio Grande do Norte, Brasil) (Salinity Longitudinal Variation of Hypersaline Estuary of the Apodi/Mossoró River (Rio Grande do Norte, Brazil))

David Hélio Miranda de Medeiros, Andrea Almeida Cavalcante, Lidriana de Souza Pinheiro, Renato de Medeiros Rocha

Resumo


Em regiões semiáridas e áridas a descarga de águas nos estuários é frequentemente temporária com grandes fluxos na estação chuvosa, seguidos de meses (5-10) de descarga insignificante, podendo torná-los hipersalinos. Esta pesquisa analisa a variabilidade espacial e temporal da salinidade da água no estuário do Rio Apodi/Mossoró (RN). Foram obtidos dados diários de salinidade, durante os períodos de preamar (2009 a 2013) em 7 estações distribuídas no canal estuarino principal; e dados de precipitação pluviométrica. Foi gerada uma matriz de dados para aplicação de testes estatísticos de análise multivariada e descritiva. As variações espaciais desse parâmetro foram significativas (p<0.001), marcadas por elevação gradativa das concentrações no sentido à montante. Esse estuário foi classificado por zonas eurihalinas (pontos 1, 2, 3 e 5) e hiperalinas (pontos 4, 6 e 7), caracterizando um perfil inverso de estratificação horizontal da salinidade. A hipersalinidade apresentou-se dominante durante o segundo semestre anual, chegando atingir níveis superiores a 70‰ entre os pontos 4, 5, 6 e 7. Portanto, nesse ambiente estuarino as águas marinhas exercem maior influência em relação a águas dulcícolas, visto que o balanço das águas deriva da interação de superiores níveis de evaporação em relação às taxas de precipitação e descargas fluviais.


Palavras-chave


semiárido; estuário hipersalino; Rio Apodi/Mossoró

Texto completo:

PDF

Referências


Campos, J.N.B., Morais, J.O., 2007. Avaliação do uso potencial de áreas estuarinas a partir da identificação e caracterização do comportamento de variáveis hidro-climáticas, oceanográficas e ambientais – estudos de caso: Rio Pirangi-CE. FUNCEME, Fortaleza.

Costa, D.F.S., Silva, A.A., Medeiros, D.H.M., Lucena Filho, M.A., De Medeiros Rocha, R., 2013. Breve revisão sobre a evolução histórica da atividade salineira no estado do Rio Grande do Norte (Brasil). Sociedade & Natureza 25, 21 – 34.

De Medeiros Rocha, R., Barbora, J.E.L., Watanabe, T., Souto, F.J.B., 2000. Distribuição espaço-temporal da comunidade fitoplanctônica e variáveis hidrológicas em uma salina artesanal do Estado do Rio Grande do Norte, Brasil. Revista Nordestina de Biologia 15, 7-26.

Dias, C.B., 2005. Dinâmica do sistema estuarino Timonha/Ubatuba (Ceará – Brasil): condições ambientais. Dissertação (Mestrado). Fortaleza, UFC.

Esteves, F.A., 1998. Fundamentos de limnologia, 2 ed. Interciência, Rio de Janeiro.

Hardle, W., Simar, L., 2007. Applied Multivariate Statistical Analysis, 2 ed. Springer, Berlin.

IDEMA. Instituto de Desenvolvimento Econômico e Meio ambiente do Rio Grande do Norte, 2008. Perfil do seu município 2008: Areia Branca. Natal.

IDEMA. Instituto de Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente do Rio Grande do Norte, 2012. Perfil do Rio Grande do Norte. Natal.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 1992. Censo demográfico 1991: resultados preliminares. Rio de Janeiro.

Kjerfve, B., 1987. Estuarine Geomorphology and Physical Oceanography, in: Day Jr., Hall, C.H.A.S., Kemp, W.M., Yánez-Aranciba, A. (Org.), Estuarine Ecology. Wiley, New York, pp. 47-78.

Kjerfve, B., Schettini, C.A.F., Knoppers, B., Lessa, G., 1996. Hydrology and salt balance in a large, hypersaline coastal lagoon: Lagoa de Araruama, Brazil. Estuarine, Coastal and Shelf Science 42, 701-725.

Maia, R.P., Bezerra, F.H.R., 2012. Geomorfologia e neotectônica da bacia hidrográfica do Rio Apodi-Mossoró – NE/Brasil. Mercator 11, 209-228.

Medeiros, D.H.M., 2016. Ambientes hipersalinos no litoral semiárido brasileiro: zona estuarina do Rio Apodi – Mossoró (RN). Dissertação (Mestrado). Fortaleza, UECE.

Medeiros, D.H.M., Cavalcante, A.A., Pinheiro, L.S., 2018. Respostas dos padrões de sedimentação e hipersalinidade na cobertura vegetal de planície estuarina sob influência da semiaridez. Geosul 33, 70-84.

Miranda, L.B., Castro, B.M., Kjerfve, B., 2012. Princípios de oceanografia física de estuários, 2 ed. Editora da Universidade de São Paulo, São Paulo.

Morais, J.O., Pinheiro, L.S., 2011. The effect of semi-aridity and damming on sedimentary dynamics in estuaries - Northeastern region of Brazil. Journal of Coastal Research 64, 1540-1544.

Nimer, E., 1989. Climatologia do Brasil, 2 ed. IBGE, Rio de Janeiro.

Paula, D.P., 2006. Elaboração de Paisagens Contíguas ao Estuário do Rio Jaguaribe-CE. Dissertação (Mestrado). Fortaleza, UECE.

Pinheiro, L.S., 2003. Riscos e Impactos Ambientais no Estuário do Rio Malcozinhado, Cascavel-CE. Tese (Doutorado). Recife, UFPE.

Pinheiro, L.S., Morais, J.O., 2010. Interferências de barramentos no regime hidrológico do Estuário do Rio Catú-Ceará-Nordeste do Brasil. Sociedade & Natureza 22, 237-250.

Quintela, T.O.F., 2008. A dinâmica ambiental do estuário do Rio Curu – CE: subsídios para o monitoramento e gerenciamento da área de proteção ambiental. Dissertação (Mestrado). Fortaleza, UECE.

RADAMBRASIL. Projeto RADAMBRASIL, 1981. Levantamento de Recursos Naturais/Geologia/Geomorfologia/Pedologia/Vegetação/Uso Potencial da Terra: Folhas SB. 24/25 – Jaguaribe/Natal. Rio de Janeiro.

Ramos Silva, C.A., 2004. Caracterização física, físico-química e química dos estuários Apodi, Conchas, Cavalos, Açu, Guamaré, Galinhos, Ceará-Mirim, Potengi, Papeba e Guaraíra. IDEMA, Natal.

Ridd, P.V., Stieglitz, T., 2002. Dry season salinity changes in arid estuaries fringed by mangroves and saltflats. Estuarine, Coastal and Shelf Science 54, 1039–1049.

Santiago, M.F., 2004. Ecologia do fitoplâncton de um ambiente tropical hipersalino (Rio Pisa Sal, Galinhos, Rio Grande do Norte, Brasil). 2004. Dissertação (Mestrado). Recife, UFPE.

Savenije, H.H.G., Pagès, J., 1992. Hypersalinity: a dramatic change in the hydrology of Sahelian estuaries. Journal of Hydrology 135, 157-174.

Soares, C.H.C., 2012. Análise hidrodinâmica e morfodinâmica do complexo estuarino do Rio Piranhas-Açu/RN, Nordeste do Brasil. Dissertação (Mestrado). Natal, UFRN.

Valle-Levinson, A., Delgado, J.A., Atkinson, L.P., 2001. Reversing Water Exchange Patterns at the Entrance to a Semiarid Coastal Lagoon. Estuarine, Coastal and Shelf Science 53.

Valle-Levinson, A., 2011. Classification of Estuarine Circulation, in: Wolanski, E.; Mclusky, D.S. (Org.), Treatise on Estuarine and Coastal Science. Academic Press, Waltham, pp. 75–86.

Valle-Levinson, A., Schettini, C.A., 2016. Fortnightly switching of residual flow drivers in a tropical semiarid estuary. Estuarine, Coastal and Shelf Science 169, 46 – 55.




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v11.3.p850-863

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License