Análise de Fragilidade Ambiental a partir de Técnicas de Geoprocessamento: Área de Influência da Hidrelétrica de Mauá - PR (Analysis of Environmental Fragility from Geoprocessing Techniques: Area of Influence of the Mauá Hydroelectric Plant – PR)

Camila Storto, Guilherme Pereira Cocato

Resumo


Transformações cada vez mais rápidas têm ocorrido no meio socioambiental nos últimos três séculos, a partir da era industrial e do estabelecimento de uma sociedade que eleva o consumo e consequentemente intensifica a exploração de recursos naturais. Neste contexto, a construção de usinas hidrelétricas se revela como parte essencial para a sobrevivência de nossas atividades cotidianas, sejam elas econômicas, políticas, sociais ou culturais. Também são inúmeros os impactos desses gigantes de concreto. A Hidrelétrica de Mauá é uma expoente deste grupo, possuidora de grande potencial para a geração de energia instalado. Este trabalho tem o intuito de aferir os níveis de fragilidade ambiental desta área, adaptando-se a metodologia proposta por Ross (1994), em que se consideram informações locais de âmbito natural e social, principalmente dados de declividade, tipos de solo e uso/ocupação da área em questão, delimitada pelos municípios de Ortigueira e Telêmaco Borba – PR. Imprescindível para a realização deste estudo foram as técnicas de geoprocessamento, pelas quais se verificou grande abrangência de atividades como pastagens/campos e o cultivo de Eucalipto e Pinus, promovendo discussões acerca das alternativas para melhores usos do solo de um determinado recorte espacial, de acordo com seus níveis de declividade e diversidade de solos.

 

A B S T R A C T

Increasingly fast transformations have occurred in the social and environmental environment in the last three centuries, from the industrial era and the establishment of a society that raises consumption and consequently intensifies the exploitation of natural resources. In this context, the construction of hydroelectric power plants is an essential part for the survival of our daily activities, be they economic, political, social or cultural. There are also numerous impacts of these concrete giants. The Mauá hydroelectric plant is an exponent of this group, which has great potential for the generation of installed energy. This work intends to assess the environmental fragility levels of this area, adapting the methodology proposed by Ross (1994), which considers local information of natural and social scope, mainly slope data, soil types and use / occupancy of the area in question, delimited by the municipalities of Ortigueira and Telêmaco Borba - PR. Essential for the accomplishment of this study were the geoprocessing techniques, through which a wide range of activities such as pastures / fields and the cultivation of Eucalyptus and Pinus were verified, promoting discussions about the alternatives for better uses of the soil of a certain spatial cut, according to with their levels of slope and diversity of soils.

Keywords: Environmental fragility, Geoprocessing, Mauá-PR hydroelectric plant.

 


Palavras-chave


Fragilidade Ambiental; Geoprocessamento; Hidrelétrica de Mauá-PR

Texto completo:

PDF

Referências


Brasil. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA). Centro Nacional de Pesquisa de Solos. Sistema Brasileiro de Classificação de Solos. Embrapa Solos, 2ª ed. Rio de Janeiro, 2006.

_____. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Bases e referenciais. 2018. Disponível em: . Acesso em: 18 de jan. de 2018.

_______. ___________________________________________. Censo Demográfico. 2010. Disponível em: . Acesso em: 15 de jan. de 2018.

______. __________________________________________. Produção da Pecuária Municipal (PPM). 2016. Disponível em: . Acesso em: 20 de jan. de 2018.

Cabral, J. B. P.; Da Rocha, I. R.; Martins, A. P.; Da Assunção, H. F.; Becegato, V. A. Mapeamento da fragilidade ambiental da bacia hidrográfica do Rio Doce (GO), utilizando técnicas de geoprocessamento. Revista GEOFOCUS (Artículos), nº 11, p. 51-69, 2011.

Consórcio Energético Cruzeiro do Sul (CECS). Usina Hidrelétrica Mauá. 2011. Disponível em: . Acesso em: 17 de jan. de 2018.

Crepani, E.; Medeiros, J. S. de; Hernandez Filho, P.; Florenzano, T. G.; Duarte, V.; Barbosa, C. C. F. Sensoriamento remoto e geoprocessamento aplicados ao zoneamento ecológico-econômico e ao ordenamento territorial. Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), São José dos Campos, 2001.

Guerra, A. J. T.; Botelho, R. G. M. Erosão dos solos. In. CUNHA, S. B.; GUERRA, A. J. T. (orgs.). Geomorfologia do Brasil. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1998.

Jacomine, P. K. T. A Nova Classificação Brasileira de Solos. Anais da Academia Pernambucana de Ciência Agronômica, Recife, vols. 5 e 6, p. 161-179, 2008-2009.

Kawakubo, F. S.; Morato, R. G.; Campos, K. C.; Luchiari, A.; Ross, J. L. S. Caracterização empírica da fragilidade ambiental utilizando geoprocessamento. Anais do XII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, Goiânia, p. 2203-2210, 2005.

Lepsch, I. F. Formação e conservação dos solos. São Paulo: Oficina de Textos, 2002. 178p.

Maack, R. Notas preliminares sobre o clima, solos e vegetação do Estado do Paraná. Arq. Biol. Tecnol., v. 3, n. 8, p. 99-200. Curitiba, 1948.

Massa, E. M.; Ross, J. L. S. Aplicação de um modelo de fragilidade ambiental relevo-solo na Serra da Cantareira, bacia do Córrego do Bispo, São Paulo-SP. Revista do Departamento de Geografia – USP, vol. 24, p. 57-79, 2012.

Messias, C. G.; Ferreira, M. F. M.; Ribeiro, M. B. P.; Menezes, M. D. Análise empírica de fragilidade ambiental utilizando técnicas de geoprocessamento: o caso da área de influência da hidrelétrica do Funil-MG. Revista GEONORTE, Edição Especial, v. 2, nº 4, p. 112-125, 2012.

Ortigueira. Prefeitura Municipal. Disponível em: . Acesso em: 20 de jan. de 2018.

Paraná. Instituto Agronômico do Paraná (IAPAR). Classificação Climática. 2017. Disponível em: . Acesso em: 18 de jan. de 2018.

_______. Instituto de Terras, Cartografia e Geologia do Paraná (ITCG). Cartas topográficas. 2015. Disponível em: . Acesso em: 12 de dez. de 2017.

_______. ________________________________________________. Clima: Estado do Paraná. 2008. Disponível em: . Acesso em: 18 de jan. de 2018.

Reportagem Gazeta do Povo. Vida e Cidadania. 2015. Disponível em: . Acesso em: 20 de jan. de 2018.

ONG Repórter Brasil. Deserto verde: Os impactos do cultivo de eucalipto e pinus no Brasil. Apoio de Fundação Rosa Luxemburgo. Brasil, 2011. Disponível em: . Acesso em: 20 de jan. de 2018.

Ross, J. L. S. Análise empírica da fragilidade dos ambientes naturais e antropizados. Revista do Departamento de Geografia, nº 8, p. 63-74, 1994.

Santos, M. A natureza do espaço: Técnica e tempo, razão e emoção. 4ª ed. São Paulo: EdUSP, 2006.

__________. Metamorfoses do espaço habitado: Fundamentos teóricos e metodológicos da Geografia. 1ª ed. São Paulo: Hucitec, 1988.

Spörl, C.; Ross, J. L. S. Análise comparativa da fragilidade ambiental com aplicação de três modelos. Revista GEOUSP – Espaço e Tempo, São Paulo, nº 15, p. 39-49, 2004.

Telêmaco Borba. Prefeitura Municipal. Disponível em: . Acesso em: 20 de jan. de 2018.

Tricart, J. Ecodinâmica. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Rio de Janeiro, 1977.

Westphalen, L. A. Aplicação de métodos para avaliação da fragilidade ambiental: uma análise comparativa. Trabalho de Conclusão de Curso. Universidade Federal do Paraná, 2005.

Westphalen, L. A.; Santos, L. J. C. Caracterização do meio físico da Bacia Hidrográfica do rio Itaqui/PR: subsídio para o mapeamento da fragilidade potencial. V Simpósio Nacional de Geomorfologia, I Encontro Sul-Americano de Geomorfologia. Universidade Federal de Santa Maria, 2004. Disponível em: . Acesso em: 20 de dez. de 2017.




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v11.5.p1694-1708

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License