Técnicas de geoprocessamento aplicadas ao planejamento urbano: Estudo da interferência da topografia na acessibilidade pedestre dos espaços verdes da cidade de Faro, em Portugal (Geoprocessing techniques applied to urban planning: Study of the topography interference in the pedestrian accessibility of the green spaces of the city of Faro, Portugal)

Paulo Fernando Meliani

Resumo


Este estudo resulta da aplicação de técnicas de geoprocessamento para planejamento urbano, nomeadamente o uso da modelagem de redes para analisar a interferência da topografia na acessibilidade pedestre dos espaços verdes da cidade de Faro, em Portugal. Pelo fato de serem importantes ao ambiente, e à saúde individual e coletiva das populações urbanas, os espaços verdes deveriam estar distribuídos por meio de uma rede de praças, parques e jardins, acessíveis a poucos minutos de caminhada de qualquer ponto da cidade. Nesta nota, apresentamos os resultados de uma análise comparativa das áreas de influência pedestre dos espaços verdes de Faro, ou seja, daquelas áreas da cidade das quais é possível acessar algum dos espaços verdes urbanos através de um deslocamento a pé de no máximo dez minutos. A inclinação das ruas da cidade foi identificada pela incorporação de informações altimétricas advindas de um Modelo Digital de Terreno (MDT), para que pudéssemos incluir a interferência da topografia na velocidade de caminhada e, consequentemente, na acessibilidade pedestre dos espaços verdes. Por meio de análise espacial, foram identificadas e comparadas as áreas de influência pedestre em termos de tamanho, extensão e declive dos caminhos, além da velocidade média de caminhada. Em Faro, constatou-se a concentração de espaços verdes nos bairros centrais mais antigos e a carência destes espaços nos bairros mais novos, situados no norte da cidade. Para além dos resultados encontrados, que servem de subsídio direto ao planejamento urbano de Faro, este estudo reforça a importância do uso de técnicas de geoprocessamento na integração de elementos naturais e humanos, bem como na elaboração de análises aplicadas ao planejamento urbano.

 

A B S T R A C T

 

This study resulted from the application of geoprocessing techniques for urban planning, notably the use of network modeling to analyze the interference of the topography in the pedestrian accessibility of the green spaces of the city of Faro, Portugal. Because they are important to the environment, and to the individual and collective health of urban populations, green spaces should be distributed in cities through a network of squares, parks and gardens, accessible only a few minutes' walk from anywhere in the city. In this note, we present the results of a comparative analysis of the pedestrian influence areas of Faro's green spaces, that is, of those areas of the city from which it is possible to access someone urban green spaces through a walking distance of no more than ten minutes. The slope of the city streets was identified by the incorporation of altimetric information from a Digital Terrain Model (DTM), so that we could include the interference of the topography in the walking speed and, consequently, in the pedestrian accessibility of the green spaces. Through spatial analysis, the pedestrian influence areas were identified and compared in terms of the area size, extension and slope of the paths, in addition to the average walking speed. In Faro, there is a concentration of green spaces in the older central districts and the lack of these spaces in the newer neighborhoods, located in the north of the city. In addition to the results found, which are a direct subsidy to Faro urban planning, this study reinforces the importance of the geoprocessing techniques in the integration of natural and human elements, as well as in the elaboration of analyzes applied to urban planning.

Keywords - Geoprocessing, Accessibility, Topography, Green spaces, Urban planning


Palavras-chave


Geoprocessamento, Acessibilidade, Topografia, Espaços verdes, Planejamento urbano.

Texto completo:

PDF

Referências


Cambra, P. J. M. 2012. Pedestrian Accessibility and Attractivess Indicators for Walkability Assesment. Dissertação de Mestrado em Urbanismo e Ordenamento do Território, Instituto Superior Técnico, Universidade de Lisboa, Portugal.

Figueiredo, R. M. C. N. 2014. Áreas de influência de espaços verdes urbanos de proximidade: uma abordagem exploratória na Freguesia de Arroios. Dissertação de Mestrado em Urbanismo e Ordenamento do Território, Instituto Superior Técnico, Universidade de Lisboa, Portugal.

Herzele, A., Wiedemann, T. 2003, A monitoring tool for provision of accessible and attractive urban green spaces. Landscape and Urban Planning 63, p. 109-126

Jorgensen, A. 2011. Evaluating the benefits of urban green space-progressing the research agenda. Department of Landscape, University of Sheffield, England.

La Rosa, D.; Privitera, R. 2013. Characterization of non-urbanized areas for landuse planning of agricultural and green infrastructure in urban context. Landscape and Urban Planning. 109: 94-106.

Londe, P. R.; Mendes, P. C. 2014. A influência das áreas verdes na qualidade de vida urbana. HYGEIA - Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde. Volume 10, n. 18. Uberlândia: Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

Magalhães, Manuela R. 1992, Espaços Verdes Urbanos, MPAT - DGOT, nº 25, Lisboa,

Moraes, P. M. B. 2013. Os SIG no processo de criação de instrumentos de apoio à decisão – Mapa do Potencial Pedonal de Lisboa. Dissertação para a Obtenção do Grau de Mestre em Urbanismo e Ordenamento do Território, Instituto Superior Técnico, Universidade de Lisboa, Portugal.

Município de Faro. 2017. Caracterização e diagnóstico sócio-territorial. Revisão do Plano Diretor Municipal de Faro. Volume V – Urbanismo. Aveiro (PT): Lugar do plano, gestão do território e cultura Lda.

Pafi M., Siragusa A., Ferri S., Halkia M. 2016. Measuring the Accessibility of Urban Green Areas: a comparison of the Green ESM with other datasets in four European cities. Luxembourg: European Commission, DG Joint Research Centre (JRC), Publications Office of the European Union.

Szeremeta, B. ; Zannin, P. H. T. 2013. A importância dos parques urbanos e áreas verdes na promoção da qualidade de vida em cidades. Revista Ra’ega. v.29, p.177-193. Curitiba: Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Wendel, H., Zarger, R., Mihelcic, J. 2012, Accessibility and usability: Green space preferences, perceptions, and barriers in a rapidly urbanizing city in Latin America, Landscape and Urban Planning 107, p. 272-282

World Health Organization. 2010. Global Recommendations on Physical Activity for Health. Geneva, Switzerland: WHO Library Cataloguing-in-Publication Data.




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v12.4.p1660-1669

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License