Calcário, Caieira e Cal: Análise da Paisagem no Alto Coreaú (Ceará)

Francisco Nataniel Batista de Albuquerque

Resumo


Durante séculos, a cal foi um produto essencial em muitos aspectos da vida e do trabalho, especialmente nas áreas de ocorrência de calcário, fato comprovado por ruínas e representações artísticas de fornos de cal nas(das) paisagens de diferentes lugares do mundo. Essas paisagens e suas representações, configuram-se, na Geografia, um importante objeto de estudo, tendo o conceito de paisagem como principal recurso teórico-meteodológico. Diante desse contexto, o presente artigo tem como finalidade analisar as paisagens condicionantes e resultantes da atividade da produção da cal na região do Alto Coreaú, porção noroeste do Estado do Ceará, e, principalmente, utilizá-la como campo empírico para discussão dos principais aspectos que estruturam o referido conceito. A análise partirá da tríade de elementos da paisagem: calcário, caieira e cal identificando a relação entre sociedade e natureza e suas dimensões espaciais e temporais a partir da apropriação da rocha calcária como recurso natural, tanto do ponto de vista econômico como cultural. Entre os resultados podemos constatar a forte ligação entre os sistemas naturais e sociais em diferentes escalas de unidade de paisagem (depressão, campos calcários e afloramentos) e temporais (variação anual das chuvas à décadas de trasnsformações econômicas, ambentais e culturais), constitundo diferentes circuitos econômicos (cal e cimento) marcados pela decadência da produção da cal tanto do ponto de vista econômico, quanto cultural e o surgimento de novos elementos na paisagem regional, as fábricas de confecção de roupas.


Palavras-chave


Geografia; Paisagem; Calcário; Caieira; Cal

Referências


ALBUQUERQUE, Francisco Nataniel Batista de. Recurso natural, organização espacial e ordenamento territorial: mineração e degradação de terras na Depressão Interplanáltica Semiárida do Alto Coreaú (CE). Tese (Doutorado em Geografia). UNESP. 2015.

AMARAL FILHO, Jair et al. Núcleos e arranjos produtivos locais: casos do Ceará. Disponível em: www.ipece.ce.gov.br/publicacoes/artigos/ART_4.pdf. Acesso em: 15 ago 2014.

ANDRADE, John Kennedy Candeira. Diagnóstico sócioambiental da atividade de fabricação da cal em fornos artesanais no município de Frecheirinha/CE. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente). PRODEMA/ UFC. 2005. 167 f.

AUGUSTIN, Cristina H. R. Rocha. Sistemas naturais e sociedade na Geografia Física. In: OLIVEIRA, M. P; COELHO, M. C. N; CORRÊA, A. M. (org.). O Brasil, a América Latina e o Mundo: Espacialidades Contemporâneas (I). Rio de Janeiro: Lamparina, 2008, v. 1, p. 373-384.

BANCO DO NORDESTE DO BRASIL. A indústria de calcários e dolomitos no Nordeste. Fortaleza: BNB/ETENE. 1987. (Série: Estudos econômicos e sociais, 34).

BERTALANFFY, Ludwig von. Teoria geral dos sistemas – fundamentos, desenvolvimento e aplicações. 5. Ed. Petrópolis: Vozes. 2010.

BERTRAND, Georges. Paisagem e Geografia Física global: esboço metodológico. São Paulo, Instituto de Geografia. USP. 27 p. 1972. (Cadernos de Ciências da Terra, 13).

BOLÓS i CAPDEVILLA, Maria de. Problemática actual de los estudios de paisaje integrado. Revista de Geografía. n. 15. 1981. p. 45-68.

BRASIL. Projeto RadamBrasil. Mapa metalogenético previsional. 1981. Escala 1:1.000.000.

CALIFORNIA DEPARTMENT OF PARKS AND RECREATION. Limekiln State Park. Disponível em: https://www.parks.ca.gov/. Acesso em: 20 mar 2020.

CAPRA, Fritjof. O ponto de mutação. 1996. 25. ed. São Paulo: Cultrix. 1996.

GÓMEZ ORTIZ, Antônio. El paisaje como tema transversal en el diseño curricular base de la educación obligatoria. Revista Bibliográfica de Geografía y Ciencias Sociales, Barcelona, n. 267, 2001. Disponível em: . Acesso em: 15 jan. 2008.

HOLANDA, Virgínia Célia Cavalcante. Modernizações e espaços seletivos no Nordeste brasileiro – Sobral: conexão lugar/mundo. São Paulo: USP. Tese (Doutorado em Geografia Humana). 2007.

JOHNSON, Davis. Lime kilns: history and heritage. London: Amberley Publishing. 2018

MEIRA, Suedio Alves et al. Geoconservação no Geossítio Trilha Ubajara-Araticum, Parque Nacional de Ubajara, Ceará, Brasil. In: Revista do Departamento de Geografia da Universidade de São Paulo. vol. 38. 2019.

MONTEIRO, Carlos Augusto Figueiredo. Geossistema – a história de uma procura. São Paulo: Contexto. 2003. (Coleção Novas Abordagens, Geousp 3).

OLIVEIRA, Vládia P. Vidal. A problemática da degradação dos recursos naturais no domínio dos sertões secos do Estado do Ceará – Brasil. In: SILVA, J. B. et al. Litoral e sertão – natureza e sociedade no nordeste brasileiro. Fortaleza: Expressão Gráfica. 2006. p. 209-222.

PARENTE, Analine Maria Martins; SANTANA, Antônia Neide. Feira do Aprazível: mudanças e perspectivas no espaço urbano. p. 29-43. In: HOLANDA, V. C. C; CARACRISTI, I. (orgs.). Sociedade e natureza no semiárido: desafios e olhares geográficos. Sobral: EGUS. 2013.

SILVA, Cheila Portela et al. Percepção de caieiros quanto às conseqüências do trabalho no processo saúde-doença. In: Revista de Saúde Pública. v. 41 n.5. São Paulo. out. 2007.

SOCHAVA, Viktor Borisovich. O estudo do geossistema. Trad. MONTEIRO, C. A. F.; ROMARIZ, D. A. São Paulo: IG-USP. 1977.

TOFFOLO, Michael B. et al. A 10,400-year-old sunken lime kiln from the Early Pre-Pottery Neolithic B at the Nesher-Ramla quarry (el-Khirbe), Israel. In: Journal of Archaeological Science: Reports. Volume 14, August 2017, Pages 353-364.

TROPPMAIR, Helmut; GALINA, Márcia Helena. Geossistemas. In: Mercator – Revista de Geografia da UFC, ano 05, número 10, 2006.

VASCONCELOS, Milvane R. E. Gomes. Novos espaços da produção da moda íntima: um estudo de Frecheirinha-CE. Dissertação (Mestrado em Geografia). UVA. 2017.

VENTURI, Luís Antônio Bittar. Recurso natural: a construção de um conceito. Revista GEOUSP – Espaço e Tempo. São Paulo. n. 20. 2006. pp. 09-17.




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v13.6.p%25p

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License