GESTÃO ESCOLAR E JUVENTUDES: uma relação a partir do Grafite

Alice Happ BOTLER, Renata Paula dos Santos MOURA

Resumo


Este estudo apresenta recorte de pesquisa[1] em que se analisou como a gestão escolar dialoga com as ações de um jovem grafiteiro. A pesquisa qualitativa e de inspiração etnográfica realizou um estudo de caso em uma escola pública que introduziu oficinas de grafite, utilizando este espaço como relação de produção e de transmissão de saberes. Apresenta-se a possibilidade de “outras” relações construídas entre as juventudes e a gestão escolar, o que contribui para um melhor entrosamento entre escola e sociedade.

 


[1] Pesquisa financiada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) no âmbito do mestrado acadêmico em Educação na UFPE.


Palavras-chave


juventudes; gestão escolar; grafiti; hip hop

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAMOVAY, Miriam. Coord. Juventudes na escola, sentidos e buscas: Por que frequentam? / Miriam ABRAMOVAY, Mary Garcia Castro, Júlio Jacobo Waiselfisz. Brasília-DF: Flacso - Brasil, OEI, MEC, 2015.

AGUIAR, Maria da Conceição Carrilho de. Dilemas da gestão democrática escolar no contexto atual. In: BOTLER, Alice Happ (Org.). Organização, Financiamento e Gestão Escolar: Subsídios para a Formação do Professor. Recife: Ed. Universitária da UFPE, 2009.

ARROYO, Miguel G. Outros Sujeitos, Outras Pedagogias. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

BÁRCENA, Fernando. La diferencia (de los idiotas). Pro-Posições. v. 26, n. 1 (76), p. 49-67. jan./abr. 2015.

BOGHOSSIAN, Cynthia Ozon; MINAYO, Maria Cecília de Souza. Revisão sistemática sobre Juventude e Participação nos Últimos 10 anos. Saúde Sociedade. São Paulo, v.18, n.3, p.411-423, 2009.

BOTLER. Alice Happ (Org.). Organização, Financiamento e Gestão Escolar: Subsídios para a Formação do Professor. Recife: Ed. Universitária da UFPE, 2009.

CASTRO, Lucia Rabello de; CORREA, Jane. (colab.). Mostrando a real: um relato da juventude pobre no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: NAU Editora: FAPERJ, 2005.

DAYRELL, Juarez. A escola como espaço sócio-cultural. In: DAYRELL, Juarez Tarcísio. (Org.). Múltiplos Olhares sobre a Educação e Cultura. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1996.

_____. O rap e o funk na socialização da juventude. Educação e Pesquisa. São Paulo, v.28, n.1, p. 117-136, jan./jun., 2002.

_____. O projeto de vida é a ação do indivíduo de escolher um dentre os futuros possíveis, transformando os desejos e as fantasias em objetivos a serem perseguidos. Revista Onda Jovem. São Paulo, ano 1, número 1, março/junho, 2005.

_____. A escola faz juventudes? Reflexões sobre a socialização juvenil. Revista Educação & Sociedade. Campinas, v. 28, n. 100, p. 1105-1111, out. 2007.

FRANCO, Maria Laura. Análise de Conteúdo. Brasília, Liber, 2008.

FREITAS, Alexandre Simão de. Gestão Social da Educação: para além dos paradigmas da administração. In: GOMES, Alfredo M. (Org.). Políticas públicas e gestão da educação. Campinas, SP: Mercado das Letras, 2011.

GOHN, Maria da Glória. Teorias dos movimentos sociais: paradigmas clássicos e contemporâneos. São Paulo: Loyola, 1997.

MARTINS, Francisco André Silva; DAYRELL, Juarez Tarcísio. Juventude e Participação: o grêmio estudantil como espaço educativo. Educação & Realidade. Porto Alegre, v. 38, n. 4, p. 1267-1282, out./dez. 2013.

MATSUNAGA, Priscila Saemi. As representações sociais da mulher no movimento hip hop. Psicologia & Sociedade. 20 (1), p. 108-116, 2008.

MEC. Educação integral: texto referência para o debate nacional. Brasília: MEC/Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, 2009.

PARO, Vitor Henrique. Gestão democrática da escola pública. 3ed. São Paulo: Ática, 2003.

ROLIM, Marcos. Mais educação, menos violência: caminhos inovadores do programa de abertura das escolas públicas nos fins de semana. Brasília: UNESCO, Fundação Vale, 2008.

RUSSO, Miguel Henrique. Problemas centrais da gestão na escola pública e sua incidência na prática cotidiana segundo os gestores. RBPAE, v.25, n.3, p. 455-471, set./dez. 2009.

UNESCO. Revertendo violências, semeando futuros: avaliação de impacto do Programa Abrindo Espaços no Rio de Janeiro e em Pernambuco. Brasília: UNESCO, 2003.




DOI: https://doi.org/10.51359/2359-1382.2020.248276

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 

INDEXADORES E BASES BIBLIOGRÁFICAS: