Use of Animals for Communities of Small Farmers in the Réfugio de Vida Silvestre Matas do Sistema Gurjaú Northeast of Brazil

Marília Lacerda Barbosa Fragoso, Millena Vieira Barbosa-Neto, Ivo Raposo Gonçalves Cidreira-Neto, Gilberto Gonçalves Rodrigues

Resumo


The Atlantic Forest is one of the largest tropical rainforests in the world and has a high degree of endemism, being one of the main targets of conservation actions in Brazil.The creation of protection areas (UC) is one of the strategies used to guarantee the conservation of this Biome. Ethnobiological and ethnoecological studies are important for understanding the relationships established between populations and ecosystems. Due to the ecological importance of the Atlantic Forest and the rich occurrence of wild fauna in its remnants, the present study aimed to characterize the use and knowledge of the farmers inserted inside and surrounds the Refugio de Vida Silvestre Matas do Sistemas Gurjaú (RVS Gurjaú) on local fauna. For this, semi-structured interviews were applied and the data obtained through the qualitative-quantitative analysis, using Local Value Index (IVL) and Value of Use (VU) indexes for men and women. The results obtained showed that the animals most used by RVS Gurjaú farmers' communities were mammals, being the Tatu (Dasypus novemcinctus) the species with the highest VU and higher IVL for men, followed by the Teju lizard (Salvator merianae), and for women the Teju lizard (Salvator merianae) presented the highest IVL followed by the Tatu (Dasypus novemcinctus) and reveals guiding strategies for the conservation of species by local populations. Most of the species mentioned are according to the IUCN in the category of Least Concern species, with only the Gato Maracajá (Leopardus wiedii) being Near Threatened species.


Palavras-chave


Conservation; Ethnozoology; Farmers; Fauna;

Texto completo:

PDF (English)

Referências


Albuquerque, U.P., Lucena, R.F.P., Cunha, L.V.F.C., 2010. Métodos e técnicas na pesquisa etnobotânica e etnoecológica. Recife: NULCEA.

Albuquerque, U.P., Lucena, R.F.P., Monteiro, J., Florentino, A.T.N., Almeida, C.F.C.B.R., 2006. Evaluating two quantitative ethnobotanical techniques. Ethnobotany Research & Applications 4:51-60.

Almeida, V.S., Bandeira, F.P.S.F., 2010. O significado cultural do uso de plantas da caatinga pelos quilombolas do Raso da Catarina, município de Jeremoabo, Bahia, Brasil. Rodriguésia [online] 61(2): Available: http://rodriguesia.jbrj.gov.br/ Access: 4 nov, 2017.

Almeida, C.F.C.B.R., Albuquerque, U.P., 2002. Uso e conservação de plantas medicinais no estado de Pernambuco (Nordeste do Brasil): um estudo de caso. Interciência [online] 27. Available: http://www.redalyc.org/html/339/33906902/ Access: 10 ago, 2017

Alves, R.R.N., Albuquerque, U.P., 2017. Ethnozoology: Animals in Our Lives. 1 ed. Academic Press.

Alves, R.R.N., Gonçalves, M.B.R., Vieira, W.L.S., 2012. Caça, uso e conservação de vertebrados no semiárido Brasileiro. Tropical Conservation Science [online] 5(3). Available: http://journals.sagepub.com/articles/trc Access: 15 nov, 2017

Alves, R.R.N., Mendonça, L.E.T., Confessor, M.V.A.,Vieira, W.L.S.,Vieira, K.S., Alves, F.N., 2010. Caça no semi-árido paraibano: Uma Abordagem etnozoológica. In Alves, R.R.N., Souto, W.M.S., Mourão, J.S., A Etnozoologia no Brasil: importância, status atual e perspectivas. NUPEEA, Recife.

Alves, R.R.N., Rosa, I.L., 2007. Zootherapy goes to town: The use of animal-based remedies in urban áreas of NE and N Brazil. Journal of Ethnopharmacology 113: 541-555.

Romulo, R.N.A., Pereira-Filho, G.A., Vieira, K.S., Santana, G.G., Vieira, W.L.S., Almeida, W.O., 2010. Répteis e as populações humanas no Brasil: uma abordagem etnoherpetológica. In Alves, R.R.N., Souto, W.M.S., Mourão, J.S., A Etnozoologia no Brasil: importância, status atual e perspectivas. Recife: NUPEEA.

Arruda, R., 1999. "Populações tradicionais" e a proteção dos recursos naturais em unidades de conservação. Ambient. soc. (5): 79-92.

Biernarc, P., Waldorf, D., 1981. Snowball sampling problems and techniques of chain referral sampling. Sociological Methods and Research [online] 10. Available: http://journals.sagepub.com/home/smr Access: 10 ago 2017.

BRASIL. 1988, Constituição da República Federativa do Brasil.

BRASIL, 2000. Lei nº 9.985, de julho.

BRASIL, 1967. Lei n° 5.197, de 3 de janeiro.

BRASIL, 2007. Decreto nº 6.040, de 7 de fevereiro de 2007.

BRASIL, 2006. Lei nº 11.326, 24 de julho.

BRASIL, 2014. Atlas da situação atual da Mata Atlântica. Disponível em: . Acesso em nov. 2017.

CPRH, Agência Estadual do Meio Ambiente. Unidades de Conservação. Disponível em . Acesso em nov. 2017.

Diegues, A.C.S., 2008. O mito moderno da natureza intocada. 6 ed.ampl ed. Hucitec: Nupaub-USP/CEC, São Paulo.

Diegues, A.C., Arruda, R.S.V., 2001. Os saberes tradicionais e a biodiversidade no Brasil. Ministério do Meio Ambiente, São Paulo: USP.

Fernandes-Ferreira, H., Mendonça, S.V., Albano, C., Alves, R.R.N., 2010. Comércio e criação de aves silvestres (Psittaciformes, Piciformes e Passeriformes) no Estado do Ceará. In, Alves, R.R.N., Souto, W.M.S., Mourão, J.S. (Org.), A etnozoologia no Brasil: importância, status atual e perspectivas. NUPEA, Recife, pp. 379-402

Fidem, 1987. Região Metropolitana do Recife: Reservas Ecológicas. Recife, Governo do Estado de Pernambuco, Secretaria de Planejamento do Estado de Pernambuco, Fundação de Desenvolvimento da Região Metropolitana do Recife.

Gonçalves, N.M., 2012. Percepção ambiental sobre unidades de conservação: os conflitos em torno do parque estadual de itapetinga – SP. Revista VITAS – Visões Transdisciplinares sobre Ambiente e Sociedade [online] (3). Available: http://www.uff.br/revistavitas/index.php Access: 13 ago, 2017

Huntington, H.P., 2000. Using Traditional Ecological Knowledge in Scienc: Methods and applications. Ecol. Appl.[online] 10. Available: http://www.jstor.org/stable/2641282?origin=JSTOR-pdf Access: 10 ago, 2017

IUCN, 2012. IUCN Red List Categories and Criteria: Version 3.1. Second edition. Gland, Switzerlandand Cambridge, UK: IUCN. Iv.

Disponivel em: < http://www.iucnredlist.org/>. Acesso em: nov 2017.

IUCN, 2017. The Iucn Red List Of Threatened Species. Version -3.

Kellert, S.R., Berry, J.K., 1987. Attitudes, knowlegde, and behaviors toward wildlife as affected by gender. Wild life Society Bulletin [online] 15. Available:

http://onlinelibrary.wiley.com/journal/10.1002/(ISSN)1938-5463a Access: 15 nov, 2017

Marques, J.G.W., 1991. Aspectos ecológicos na etnoictologia dos pescadores do complexo estuarino-lagunar Mundaú-Manguaba, Alagoas. Tese (Programa de Pós-Graduação em Ecologia), Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP.

Marques, J.G.W., 2002. O olhar (des) multiplicado. O papel do interdisciplinar e do qualitativo na pesquisa etnobiológica e etnoecológica. In Amorozo, M.C.M., Ming, L.C., Silva, S.M.P. Métodos de coleta e análise de dados em etnobiologia, etnoecologia e disciplinas correlatas (ed.). UNESP, Rio Claro.

Medeiros, R., Irving, M., Garay, I., 2004. A proteção da natureza no Brasil: evolução e conflitos de um modelo em construção. Revista de Desenvolvimento Econômico [online] 6(9). Available: http://www.revistas.unifacs.br/index.php/rde Acess: 15 nov, 2017.

MMA, 2017. Unidades de Conservação por Bioma. Fonte: CNUC/MMA.

Nascimento, C.H.V., Santos, I.G.A., Laurindo-Silva, F., Rodrigues, G.G., 2016. Checklist De Chironomidae (Insecta, Diptera) Em Áreas De Conservação De Pernambuco, Brasil. Revista Nordestina de Zoologia [online]10(2). Available: http://revistanordestinadezoologia.net/ Access: 14 nov, 2017

Oliveira, J.C.C., 2010. Roteiro para criação de unidades de conservação municipais / João Carlos Costa Oliveira, José Henrique Cerqueira Barbosa. Ministério do Meio Ambiente, Brasília, DF.

Pereira, J.P.R., Schiavetti, A., 2010. Conhecimentos e usos da fauna cinegética pelos caçadores indígenas, “Tupinambá de Olivença” (Bahia). Biota Neotropica [online] 10(1). Available: http://www.biotaneotropica.org.br/v17n4/pt/ Access: 19 nov, 2017.

Pereira, G.A., Brito, M.T., 2005. Diversidade de Aves Silvestres Comercializadas nas Feiras Livres da Região Metropolitana de Recife, Pernambuco. Atualidades ornitológicas [online] 126: 14. Available: http://www.ao.com.br/ao124.htm Access: 15 nov, 2017.

Pinto, L.C.L., 2011. Etnozoologia e conservação da biodiversidade em comunidades rurais da Serra do Ouro Branco, Minas Gerais. Dissertação (Mestrado em Ecologia de Biomas Tropicais). Ouro Preto, Universidade Federal de Ouro Preto.

Pires, M., Pinto, L., Mateus, M., 2017. Etnozoologia como instrumento para a conservação da fauna da Serra do Ouro Branco, Minas Gerais. In, Alves, R.R.N., Souto, W.M.S., Mourão, J.S. (Org.), A etnozoologia no Brasil: importância, status atual e perspectivas. NUPEA, Recife, pp. 473-493.

Barboza, R.R.D., 2009. A etnoecologia dos tatus-peba (Euphractus sexcinctus) (Linnaeus, 1758) e tatu verdadeiro (Dasypus novemcinctus) (Linnaeus, 1758) na perspectiva dos povos do semi-árido paraibano. Dissertação (Mestrado em Ciência e Tecnologia Ambiental), Universidade Estadual da Paraíba.

Razera, J.C.C., Boccardo. L., Pereira, J.P.R., 2006. Percepções sobre a fauna em estudantes indígenas de uma tribo tupinambá no Brasil: um caso de Etnozoologia. Revista Electrónica de Enseñanza de lãs Ciencias [Online] 5 (3). available: http://reec.uvigo.es/volumenes/volumen5/ART5_Vol5_N3.pdf Access: 15 nov. 2017.

Redford, K., H., 1997. A floresta vazia. In: Valladares-Padua, C., Bodmer, R.E., Cullen, Jr. L. (Eds.) Manejo e Conservação de Vida Silvestre no Brasil. Brasília: MCT-Cnpq/Sociedade Civil Mamirauá. pp. 1-22.

Ribeiro, A.S., Souto, A.C.G., Rodrigues, G.G. 2015. Fauna e Flora nas Áreas de Nascentes do Alto Trecho do Rio Pajeú, Pernambuco. In: Ana, L. C. (Org.). Algumas Práticas de Tecnologias Sociais na Região do Alto Pajeú, Pernambuco. 1ed. Editora Universitária UFPE - Edufpe, Recife. pp. 45-66.

Rocha, M.S.P., Cavalcanti, P.C.M., Sousa, R.L., Alves, R.R.N., 2006. Aspectos da comercialização ilegal de aves nas feiras livres de Campina Grande, Paraíba, Brasil. Revista de Biologia e Ciências da Terra [online] 6. Available: http://revistabioterra.blogspot.com.br Access:14 nov, 2017.

Souto, A.C.G., 2014. Das folhas às vassouras: o extrativismo do catolé (Syagrus cearensis Noblick) pela população tradicional de Monte Alegre, Pernambuco, Brasil. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente), Recife, Universidade Federal de Pernambuco.

Sodhi, N.S., Lee, T.M., Sekercioglu, C.H., Webb, E.L., Prawiradilaga, D.M., Lohman, D.J., Pierce, N.E., Diesmos, A.C., Rao, M, Ehrlich, P.R., 2010. Local people value environmental services provided by forested parks. Biodiversity Conservation, 19 (4): 1175–1188.

Silva, J.M.C., Casteleti, C.H.M., 2005. Estado da biodiversidade da Mata Atlântica brasileira em Mata Atlântica: biodiversidade, ameaças e perspectivas / edt por Carlos Galindo-Leal, Ibsen de Gusmão Câmara; traduzido por Edma Reis Lamas. – São Paulo: Fundação SOS Mata Atlântica - Belo Horizonte: Conservação Internacional.

Silva, A.L., 2008. Animais medicinais: conhecimento e uso entre as populações ribeirinhas do rio Negro, Amazonas, Brasil. Bol. Mus. Para. Emílio Goeldi. Ciênc. Hum, 3 (3): 343-357. Available: http://www.museu-goeldi.br/editora/humanas/index.html# Access: 18 nov, 2017.

Tabarelli, M., Pinto, L.P., Silva, J.M.C., Hirota, M.M., Bedê, L.C., 2005. Desafios e oportunidades para a conservação da biodiversidade na Mata Atlântica brasileira. MEGADIVERSIDADE [online] 1(1). Available:

https://www.conservation.org/global/brasil/publicacoes/Pages/revista-megadiversidade.aspx Access: 18 Nov, 2017.

Tortato, M.A., Oliveira, T.G., Almeida L.B., Beisiegel, B.M. 2013. Avaliação do risco de extinção do Gato-maracajá (Leopardus wiedii) (Schinz, 1821) no Brasil. Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade-Avaliação do Estado de Conservação dos Carnívoros. Biodiversidade Brasileira [online] 3. available: www.icmbio.gov.br Access: 17 nov, 2017.

Tuan, Y., 1980. Topofilia. Um Estudo da Percepção, Atitudes e Valores do Meio Ambiente.1. ed. Difel, São Paulo.

Vianna, L.P., 2008. De invisíveis a protagonistas: populações tradicionais e unidades de conservação. Annablume; FAPESP, São Paulo.




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v11.2.p477-489

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License