Estudo da erosão no Seridó paraibano como indicador do processo de desertificação: Juazeirinho, Paraíba (Study of erosion in Seridó paraibano as an indicator of desertification: Juazeirinho, Paraíba)

Edinete Maria de Oliveira Maria de Oliveira, Vanice Selva

Resumo


O estudo da erosão em regiões semiáridas, principalmente quando o solo e a vegetação tornam-se vulneráveis por meio de atividades antrópicas, sem que haja conservação do ambiente explorado, indica que além do processo erosivo natural, o ambiente erodido pode sofrer um processo de desertificação. Diante desse contexto foi possível observar e analisar a erosão, a vulnerabilidade e os riscos na região do Seridó paraibano, especialmente no município de Juazeirinho, por apresentar uma fisiografia de Caatinga, solo arenoso e baixa pluviosidade, além de apresentar econômica e socialmente, explorações de minérios, sobretudo, da rocha caulim. As proposições metodológicas colocadas no trabalho, às coletas feitas in loco e a ferramenta do SIG contribuiu para apontar indicadores de riscos à erosão tanto do processo natural quanto o antropogênico. Os resultados apontaram uma vulnerabilidade natural média e alta para a região estudada, devido às instabilidades pluviométricas e a condições geomorfológicas da área. O processo erosivo pela ação antrópica mostrou um alto e severo risco à erosão, consequentemente deixando o ambiente propicio à desertificação em que se constatou um valor de 217.686,12km², (46,56%) da área do município, praticamente a metade do mesmo, gerando, portanto, uma preocupação grave pelo empobrecimento do solo e da cobertura vegetal nativa.

 

 

 

 

A B S T R A C T

The study of erosion in semiarid regions, especially when the soil and vegetation become vulnerable through anthropogenic activities without environmental conservation explored, indicates that besides the natural erosive process, the eroded environment can suffer a process of desertification. In this context it was possible to observe and analyses the erosion, the vulnerability and risks in the Northeast region of Brazil, especially in the municipality of Juazeirinho by presenting a physiography of Caatinga, sandy soil and low rainfall, as well as present economic and socially, holdings of ores, especially, caulim rock. The methodological propositions placed on the work, the collections made on the spot and the GIS tool contributed to point indicators of risks erosion of both the natural process as anthropogenic. The results showed a natural medium and high vulnerability to the region studied, due to rainfall and geomorphologic conditions instability of the area. The erosive process by anthropic action showed a high and severe erosion risk, consequently leaving the environment propitious to desertification in which if found in a value of 217,686.12 Km ², (46.56%) the area of the city, practically half of the same, generating thus a serious concern by the impoverishment of soil and vegetation cover.

Keywords: Erosion, vulnerability, Risks, Process of desertification, Mapping.

 

 


Palavras-chave


Palavras – chave: Erosão, Vulnerabilidade, Riscos, Processo de Desertificação, Mapeamento.

Texto completo:

PDF

Referências


AESA - Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba, 2018. Disponível em: http://www.aesa.pb.gov.br Acesso em: 29 Nov . 2018.

AESA. Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba, 2006. Disponível: http://www.aesa.pb.gov.br. Acesso: 25 jun. 2017.

Araújo, J. A.; Souza, R. F, de., 2017. Abordagens sobre o processo de desertificação: uma revisão das evidências no Rio Grande do Norte. Revista GeoSul, Florianópolis. 32, 122-143.

BRASIL, 2007. Ministério do Meio Ambiente. Secretaria de Recursos Hídricos. Atlas das áreas suscetíveis à desertificação do Brasil. Brasília.

Cordeiro, A.M.N.; Bastos, F.H.de; Maia, R.P., 2017. Caracterização geoambiental e compartimentação geomorfológica da Serra do Quincucá e Entorno. Nordeste, Brasil. RDG. 34, 106-121.

Costa, G. J. A.; Vieira, C. I. de P., 2018. Geotecnologias para análise da vulnerabilidade ambiental do núcleo de desertificação do Piauí. Caderno Prudentino de Geografia, ISSN: 2176-5774. Presidente Prudente. 2, 59-76.

Cumbane, L. B.; Madeira, M. A. V.; Abrantes, M. G.,2015. Aplicação de Sistemas de Informação Geográfica para a determinação do Potencial Natural de Erosão dos solos no Distrito de Sussundenga – Moçambique. Anais... XXXV Congresso Brasileiro de ciência do solo. Natal.

Chaves, I.B.; Francisco, P.R.M.; Lima, E.R.V.; de Chaves, L.H.G., 2015. Modelagem e mapeamento da degradação da caatinga. Revista Caatinga, Mossoró. 1, 183-195.

CPRM - Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais, 2005. Programa Levantamentos Geológicos Básicos do Brasil. Subprograma Mapas Estaduais. Recife.

Crepani, E.; Medeiros, J. S. de Filho, P.H.; Florenzano, T. G.; Duarte, V.; Barbosa, C.C.F., 2001. Sensoriamento remoto e geoprocessamento aplicados ao zoneamento ecológico – econômico e ao ordenamento territorial. São José dos Campos. 8454.

Ferreira, P. dos, S.; Santos, A. M. dos; Ferreira, J. M. S; Ferreira, H. dos, S.; Galvíncio, J. D., 2017. Análise da suscetibilidade a desertificação na bacia hidrográfica do rio pontal – Pernambuco – Brasil. Investigaciones Geográficas, Chile. 53, 37-50.

Henriques, I.G.N.; Silva, R.M. da; Silva, L.P., 2017. Analise espacial de processos hidrosedimentológicos na bacia do rio Taperoá-PB. In: XVII Simpósio Brasileiro de geografia física aplicada e I Congresso Nacional de geografia física na fronteira do conhecimento. UNICAMP-Campinas-SP. ISBN: 97885853693, 5158-5169.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2010. Disponível:. Acesso: 26 Ago. 2018

Jatobá, L., 2006. O papel da estrutura geológica na definição do relevo terrestre. Disponível: http:// br.monografias.com/trabalhos2/geomorfologia/.shtml. Acesso: 09 Ago. 2018.

Jatobá, L.; Silva, A. F., 2017. Estruturação e Dinâmica Atual de Paisagens. Apostila, Doutorado em Desenvolvimento e Meio Ambiente- UFPE, Recife-PE, p.102.

Krynine, P. D.,1935. The megascopic stud and field classification of sedimentar rocks. The Journal of Geology. 1, 125 – 138.

Lamchin, M. et al., 2016. Assessment of land cover change and desertification using remote sensing technology in a local region of Mongolia. Advances in Space Research. 57, 64–77.

Lima, R.C.C.; Cavalcante, M.B.A. de; Filho, J. F., 2011. Avaliação do processo de desertificação no semiárido paraibano utilizando geotecnologias. In: INPE. Anais... XV Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto – SBSR. Curitiba. 6875, 6875 – 6879.

Lima, R. da, C. C., 2010. Evaluating the process of desertification in semi-arid region of Paraiba using geotechnology. Tese (Mestrado em Tecnologia Ambiental). Universidade Estadual da Paraíba, Campina Grande.

MMA. Ministério do Meio Ambiente. Secretaria de Recursos Hídricos, 2004. Atlas das áreas suscetíveis à desertificação do Brasil. Brasília.

Mariano, I.P. A construção da barragem Mucutú, no município de Juazeirinho –PB. Tese (Graduação em Geografia), Universidade Estadual da Paraíba. Centro de Educação, 2011.

Matallo Jr. H., 2001. Indicadores de Desertificação : histórico e perspectivas. Brasília. 2, 38 - 42.

Maciel, J. dos S; Xavier, R.A., 2016. Spatial dynamics of rainfall erosivity in the Taperoá river basin, semiarid region of Paraíba. Journal of Hyperspectral Remote Sensing. 6, 22 – 30.

Maciel, J. dos S., 2014. Potencial erosivo das chuvas na sub-bacia hidrográfica do rio Taperoá-PB. Tese (Graduação em Geografia). Universidade Estadual da Paraíba, Campina Grande.

PAEPB - Programa de ação estadual de combate à desertificação e mitigação dos efeitos da seca no estado da Paraíba. 2011. Secretaria de Estado dos Recursos Hídricos, do Meio Ambiente e da Ciência e Tecnologia. Superintendência de Administração do Meio Ambiente.

Pachêco, A. da P; Freire, N. C. F.; Borges, U. da N., 2006. A transdisciplinalidade da desertificação. Departamento de Geociências, Universidade Estadual de Londrina. 15, 23 -25.

Pettijohn, F. L., 1957. Sedimentary Rocks. Ney York, Harper and Row Publishers. 1, 57 – 63.

Rêgo, A. H., 2012. Os sertões e os desertos: o combate à desertificação. Brasília: FUNAG. 1, 33 -35.

Ribeiro, G. de, N. R.; Francisco, P. R. M; Araújo, J. S. O. de.; Sales, J. C. R. de, 2016. Geotecnologias para o mapeamento temático dos índices de aridez e classes de desertificação na microrregião de umbuzeiro-PB. Revista Técnico-Científica do CREA-PR - ISSN 2358-5420. Edição especial. 1 -15.

Ribeiro, M. R.; Barros, M. F. C.; Freire, M. B. G. S., 2009. Química dos solos salinos e sódicos. In: MELO, V. F.; ALLEONI, L. R. F. In: Química e mineralogia do solo. Parte II – Aplicações. Viçosa: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo, p.449-484.

Santos, I. M. dos., 2017. Perdas de solo e água em diferentes tipos de cultivo no município de Juazeirinho-PB. Trabalho de conclusão de curso (Graduação em Geografia). Universidade Estadual da Paraíba.

Santos, F. de A. dos; Aquino, C. M. S. de., 2017. Diagnóstico físico conservacionista aplicado ao estudo da desertificação nos municípios de Castelo do Piauí e Juazeiro do Piauí, Nordeste, Brasil. Revista de Geografia (Recife) 34, 145- 162.

Santos, J. S. dos.,2005. A problemática da desertificação no município de Seridó-PB. Tese (Mestrado). Programa de pós-graduação em Desenvolvimento e meio ambiente, Prodema-UFPB, João Pessoa.

Silva, E.G.B. da; Oliveira, V. P. V. de., 2017. Identificação das áreas susceptíveis à desertificação no estado do Ceará: antecedentes cartográficos. Revista Brasileira de Geografia Física, Recife. 10, 1270-1275.

Souza, B. I. 2008. CARIRI PARAIBANO: Do silêncio do lugar à desertificação. Tese (Doutorado). Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS/PPGEO, Porto Alegre.

Tinoco, L.B.M.de; Souza, E, de., 2012. Ocupação de APPs urbanas no núcleo de desertificação do Seridó-RN/PB. In: Política ambiental e política urbana e APPs nas cidades brasileiras. Anais... Seminário nacional sobre áreas de preservação Permanente em meio urbano. Natal. 1, 1-17.

Travassos, I. S.; Souza, B. I. de; Silva, A. B. da.,2013. Secas, desertificação e políticas públicas no semiárido nordestino brasileiro. Revista Revista OKARA: Geografia em debate. ISSN: 1982-3878. João Pessoa, PB, DGEOC/CCEN/UFPB. 7, 147 -164.

Tricart, J. 1977. Ecodinâmica. Diretoria Técnica, IBGE. 91p. Rio de Janeiro: Secretaria de Planejamento da Presidência da República. 1, 7 -97.

UNCCD - United nations convention to combat desertification. 1992. United Nations Convention to combat desertification in countries experiencing serious drought and/or desertification, particularly in Africa. 50p.

Vieira, R. M. S. P., Tomasella, J., Alvalá, R. C. S., Sestini, M. F., Affonso, A. G., Rodriguez, D. A., & Santana, M. O., 2015. Identifying areas

susceptible to desertification in the Brazilian northeast. Solid Earth. 6, 347-360.

Xavier, R. A.; Santos, I. M. dos ; Damasceno, J.; Dornellas, P. C.; Neto, I. de O. B., 2016. Processos erosivos superficiais no município de Juazeirinho, Região Semiárida da Paraíba. Revista de Geociências do Nordeste. 2, 113-122.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Revista Brasileira de Geografia Física - eISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License