Por que o pensamento lógico (razão) está desabando em nossas cabeças? As catarses ambientais em forma de barragens

Alceu Raposo Junior

Resumo


Com o advento do racionalismo, tendo como um dos principais precursores René Descartes, surge um novo modelo de pensar o mundo, colocando o pensamento lógico acima de qualquer questão. As ideias de Descartes influenciaram diversos pensadores, entre os quais se destacam o holandês Spinoza e o alemão Leibniz. Leibniz era filósofo, matemático e político. Dada esta inegável contribuição social e filosófica para o mundo moderno é fato que os desdobramentos contemporâneos do método e da racionalidade trouxeram consequências negativas para a sociedade pós-moderna, não pela teoria em si, mas pelo fato de que a sociedade sempre se apega aos modelos prontos, sem questionar ou contextualizar historicamente sua funcionalidade. Desta forma, com efeito, no qual carrega todo sistema sem distinção, na medida em que consistia em uma verdadeira exacerbação do racionalismo, ao mesmo tempo, se deu o seu ponto de partida para o “declínio”. É então a partir do início do século XX que começam a tornarem-se visíveis as consequências destrutivas da exacerbação do pensamento racionalista. As intervenções ambientais indistintamente por este Ser que acredita ser Deus, vão acumulando, na forma de riscos naturais por meio de suas consequências deletérias e ao mesmo tempo ele vai se distanciando do contato intimista e subjetivo (sinais) com a natureza, culminando assim nos desastres ambientais de grandes proporções no mundo Pós-Modernos, que aqui chamamos de catarses ambientais em forma de barragens.


Palavras-chave


racionalismo; René Descartes; desastres ambientais; barragens

Referências


BAUMAN, Zygmunt. O mal-estar da pós-modernidade. Tradução Mauro Gama e Cláudia Martinelli Gama. Rio de Janeiro: Ed. Zahar, 1998a.

______. Modernidade e holocausto. Tradução Marcus Penchel. Rio de Janeiro: Ed. Zahar,

b.

______. Globalização: as consequências humanas. Tradução Marcus Penchel. Rio de Janeiro:

Ed. Zahar, 1999a.

______. Modernidade e ambivalência. Tradução Marcus Penchel. Rio de Janeiro: Ed. Zahar, 1999b.

______. Em busca da política. Tradução Marcus Penchel. Rio de Janeiro: Ed. Zahar, 2000.

______. Modernidade líquida. Tradução Plínio Dentzien. Rio de Janeiro: Ed. Zahar, 2001.

______. Comunidade: a busca por segurança no mundo atual. Tradução Plínio Dentzien. Rio

de Janeiro: Ed. Zahar, 2003.

______. Identidade. Tradução Carlos Alberto Medeiros. 1. ed. Rio de Janeiro: Ed. Zahar,

______. BROEK, Jan O.M.. Iniciação ao estudo da Geografia. Rio de Janeiro: Zahar, 1972.

CAPEL, H. (1983). Positivismo y antipositivismo en la ciência geográfica - el ejemplo de la Geomorfologia. Geocrítica. Barcelona, n° 43 (jan).

CASTORIADIS, C. (1982). A instituição imaginária da sociedade. Rio de Janeiro, Paz e Terra.

CORRÊA, R. L (1986). Região e organização espacial. S. Paulo, Ática.

COSTA, R. H. (1988). RS: Latifúndio e identidade regional. Porto Alegre, Mercado Aberto.

DUARTE, A. (1980). Regionalização: considerações metodológicas. Bol. de Geografia Teorética. Rio Claro, 10 (20).

FERRATER MORA, J. (1982). Dicionário de Filosofia. Lisboa, Dom Quixote.

FOUCAULT, M. (1979). Microfisica do Poder. Rio de Janeiro, Graal.

GOMES, P. C . (1988). AS razões da região. Dissertação de mestrado (inédita). Rio de Janeiro, UFRJ.

GOMES, P. C. e COSTA R. I I . (1988) O espaço na modernidade. Terra Livre. São Paulo, AGB/Marco Zero.

GUATTARI, F. (1986). Paradigma de todas as submissões ao sistema. Leia. Juruês. São Paulo. Junho, p. 18.

GUATTARI, F. e ROLNIK, S. (1986). Micropolítica - cartografias do desejo. Petrópolis, Vozes.

CAPRA, Fritjof. O ponto de mutação; a ciência, a sociedade e a cultura emergente. São Paulo: Cultrix, 1987.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 1999, (A era da informação:economia, sociedade e cultura; v. 1).

CASSETI, Valter. Contra a correnteza. Goiânia: Kelps, 1999.

CENCI, Daniel Rubens; BEDIN, Gilmar Antonio. (Orgs.). Direitos Humanos, Relações Internacionais e Meio Ambiente. Curitiba: Multideia, 2013.

CIDADE, Lúcia Cony Faria. Acumulação flexível e gestão do território no Distrito Federal. In

PAVIANI, Aldo (org.) Brasília - gestão urbana: conflitos e cidadania. Brasília: Editora UnB, 1999, p. 223-251.

CIDADE, Lúcia Cony Faria. Modernidade, visões de mundo, natureza e geografia no século dezenove. Espaço e Geografia, Brasília, v. 4, n. 1, 2001. No prelo.

CRUZ, Daniel Nery da. A discussão filosófica da Modernidade e da Pós-modernidade. . Msıávoıa: Primeiros escritos em Filosofia. São João Del-Rei, n. 13, 2011. Disponível em: . Acesso em: 20 jan. 2019.

DESCARTES, René. De l‟homme in Oeuvres et Lettres. Paris: Éditions Gallimard, 1953.

______. Discours de la Méthode (avec introduction et notes par Etienne Gilson). Paris: Vrin, 1954.

______. Le monde in Oeuvres et Lettres. Paris: Èditions Gallimard, 1953.

______. Règles pour la direction de l‟esprit in Oeuvres et Lettres. Paris: Èditions Gallimard, 1953.

______. São Paulo: Abril, 1973. (Coleção Os Pensadores).

HANSEN, Fábio DESCARTES, René. Discurso do Método: para bem conduzir a própria razão e procurar a verdade nas ciências. In:. Descartes. 3. ed. Trad. J. Guinsburg; Bento Prado Júnior. São Paulo: Abril Cultural, . 5-10, 18-19, 25-71. (Col. Os Pensadores).1983. p

EVES, H. Introdução à história da matemática. Trad. Hygino H. Domingues. Campinas: Unicamp, 2004.

GRANGER, Gilles-Gaston. Introdução. In: DESCARTES, René. Descartes. 3. ed. Trad. J. Guinsburg; Bento Prado Júnior. São Paulo: Abril Cultural, 1983. p. 5 - 24. (Col. Os Pensadores).

HOBBES, Thomas. Leviatã (1651). Tradução Eunice Ostrenky. São Paulo: Ed. Martins.

KELLNER, Douglas. Zygmunt Bauman’s Postmodern Turn. SAGE journals - Theory, Culture & Society. First Published February, ISSUE 1, vol. 1, London, England, 1998. Disponível em: . Acesso em: 10 fev. 2018.

KOSIK, K. (1976). A dialética do concreto. Rio de Janeiro, Paz e Terra.

LACOSTE, Y. (1988). A Geografia, isso serve, em primeiro lugar, para fazer a guerra. Campinas, Papirus.

LEFEBVRE, H. (1979). Lógica formal, lógica dialética. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

LOPARIC, Z. (1989). Heidegger e a questão da culpa moral. Folhetim. Folha de São Paulo, São Paulo, 25.03.1989.

OLIVEIRA, Larissa Pascutti de. Zygmunt Bauman: a sociedade contemporânea e a sociologia na modernidade líquida. Revista sem Aspas, v. 1, n. 1, jan./jun. 2012. Disponível em: . Acesso em: 6 fev. 2018. Fontes, 2003. PADOVANI, Umberto & CASTAGNOLA, Luís. História da filosofia. São Paulo: Melhoramentos, 1995 (c. 1954).

OMNÈS, R. Filosofia da ciência contemporânea. São Paulo: Ed. UNESP, 1996.

PEET, Richard. Modern geographical thought. Oxford, UK e Malden, Blackwell, 1999 (c. 1998).

RAMOS, C . A. (1981). História e reificação temporal. Historia: questões e debates, 2 (2). Curitiba, APH.

RAISZ, Erwin. Cartografia geral. Rio de Janeiro: Editora Científica, 1969.

REZENDE, A. org. (1986) Curso de Filosofia. Rio de Janeiro, Zahar/SIiAF.

ROUANET, S. P. (1987). As razões do Iluminismo. São Paulo, Companhia das Letras.

SAGAN, Carl. Cosmos. New York: Random House Inc., 1980.

SMITH, Neil. Desenvolvimento desigual; natureza, capital e a produção do espaço. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1988 (c. 1984).

SODRÉ, Nelson Werneck. Introdução à geografia; geografia e ideologia. Petrópolis: Vozes, 1986.

SAHTOURIS, Elisabet. Gaia: do caos ao cosmos. São Paulo: Interação, 1991.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. São Paulo: Hucitec, 1996.

SANTOS, Milton. Metamorfoses do espaço habitado; fundamentos teóricos e metodológicos da geografia, São Paulo: HUCITEC, 1988. SANTOS, C. (1986). O conceito de extenso (ou a construção ideológica do espaço geográfico). In: Barrios, S. et al. A construção do espaço. São Paulo, Nobel.

SANTOS, J. E (1986). O que é pós-moderno. São Paulo, Brasiliense.

SANTOS, M. (1982). Pensando o espaço do homem. São Paulo, Hucitec.

PORTILHO, Fátima. Sustentabilidade Ambiental, Consumo e Cidadania. São Paulo: Cortez, 2010.

SAAVEDRA, Fernando Estenssoro. História do debate ambiental na política mundial 1945- 1992: a perspectiva latino-americana. Trad. Daniel Rubens Cenci. Ijuí: UNIJUÍ, 2014.

SANTOS, Milton. Técnica, espaço e tempo: globalização e meio técnico-científico. São Paulo: HUCITEC, 1997.

SANTOS JUNIOR, Raimundo Batista dos; FREITAS, John dos Santos. Globalização e os Direitos Humanos de Solidariedade ou de Desenvolvimento: human rights approach. In.

SILVA, Franklin Leopoldo e. Bergson - Intuição e discurso filosófico. São Paulo: Brasiliense, 1994. (Coleção Filosofia, 31)

SPAREMBERGER, Raquel Fabiana Lopes; PAZZINI, Bianca. O Ambiente na Sociedade do Risco: possibilidades e limites do surgimento de uma nova cultura ecológica. In: Veredas do Direito. Jul./Dez. v.8, n.16, p.147-168. Minas Gerais: Belo Horizonte, 2011. Disponível em: < http://www.domhelder.edu.br/revista/index.php/veredas/article/view/214/189>. Acesso em: 20 set. 2019.

VILELA, Augusto Nilo de Oliveira et al. Os fundamentos da verdade no pensamento de René Descartes: uma relação à sua época, uma proposta à nossa época. CES-JF. Disponível em https://seer.cesjf.br/index.php/ cesRevista/article/view/309. Acesso em: 22 jan. 2019.

Sítios eletrônicos:

Figura 1 - Disponível em: https:// pt. wikipedia.org/wiki/Indulg %C3%AAncia

Figura 2. - https://commons.wikimedia. org/ wiki/File: Descartes-s-w.JPG

Figura 4. - Disponível em: https://pt.wikipedia. org/wiki/Filosofia

Figura 5 - https://commons.wikimedia.org/ wiki/ File: Zygmunt_Bauman,_ fot._M._Oliva_ Soto_ (6144135392).jpg

Figura 6 - Disponível em: https://pt.m. wikipedia. org/ wiki/ Ficheiro:Jan_ Matejko-Astronomer_ Copernicus- Conversation_ with_ God.jpg

Figura 7- Disponível em: http://www.cbdb.org.br/informe/img/60editorial.pdf

Figura 9- Disponível em: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Buffalo_Creek_Trestle_Wreckage.jpg

Figura 8 - Disponível em: https:// commons. wikimedia.org/wiki/File:Bundesarchiv_Bild_183-C0212-0043-012,_Edertalsperre,_Zerst%C3% B6 rung.jpg

Figura 10 - Disponível em:https: //pt.m. wikipedia. org/ wiki/ Ficheiro: Rovine_del_ Gleno.jpg

Figura 11 - Disponível em: https:// www. Site de curiosidades.com/ curiosidade/ quais-os-piores-acidentes-envolvendo-barragens-na-historia-do-brasil-e-do-mundo.html.

Figura 12 - Disponível em: https:// www. flickr.com/ photos/ agenciasenado/ 22526418164

Figura 13 - Disponível em: https:// pt. wikipedia. org/wiki/Ficheiro:Brumadinho,_Minas_Gerais_(32132221927).jpg

Figura 14 - Disponível em: https:// pixabay.com/ es/photos/terremoto-desastres-naturales-67699/

Figura 15 - Disponível em: https:// www. flickr.com/ photos/acnurlasamericas/6883520220

Figura 16 - Disponível em: https://pixabay.com/ pt/photos/eritreia-paisagem-tendas-cabanas-105081/

VILELA, Augusto Nilo de Oliveira et al. Os fundamentos da verdade no pensamento de René Descartes: uma relação à sua época, uma proposta à nossa época. CES-JF. Disponível em https://seer.cesjf.br/index.php/cesRevista/article/view/309. Acesso em: 22 jan. 2019.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Revista Brasileira de Geografia Física - eISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License