Fitossociologia e aspectos ecológicos da comunidade arbórea do Bosque Rodrigues Alves - Jardim Botânico Amazônia, Belém, Pará, Brasil

Arthur Viana Lau, Gracialda Costa Ferreira, Mário Augusto Jardim

Resumo


Este estudo teve como objetivo analisar a fitossociologia e os aspectos ecológicos da comunidade arbórea do Bosque Rodrigues Alves localizado no município de Belém, Pará. Foram amostradas todas as espécies arbóreas com DAP ≥ 5 cm e estimada a altura. O material botânico foi identificado em nível de família, gênero e espécie no Herbário Felizberto Camargo (FC) da UFRA e calculado os parâmetros fitossociológicos, estratificadas as classes de diâmetro e da altura e determinado os grupos ecológicos e a síndrome de dispersão para cada espécie. Os resultados registraram 9.683 indivíduos em 54 famílias, 191 gêneros e 336 espécies. Fabaceae (66 spp.), Sapotaceae (22 spp.), Malvaceae (16 spp.) e Burseraceae (15 spp.) obtiveram o maior número de espéies e Nectandra cuspidata Nees o maior número de indivíduos (474). Aproximadamente 77% dos indivíduos ocuparam as três primeiras classes de altura e a distribuição diamétrica em J-invertido características de florestas tropicais.

 

Phytosociology and ecological aspects of forest tree community of Bosque Rodrigues Alves - Amazon Botanical Garden, Belém, Pará, Brazil

 

A B S T R A C T

This study aimed to analyze the phytosociology and ecological aspects of the tree community of Bosque Rodrigues Alves located in the municipality of Belém, Pará. All tree species with DBH ≥ 5 cm were sampled and the height estimated. The botanical material was identified at family, genus and species level in UFRA Herbarium Felizberto Camargo (FC) and calculated the phytosociological parameters, stratified the diameter and height classes and determined the ecological groups and dispersion syndrome for each species. Results recorded 9,683 individuals in 54 families, 191 genera and 336 species. Fabaceae (66 spp.), Sapotaceae (22 spp.), Malvaceae (16 spp.) and Burseraceae (15 spp.) obtained the largest number of species and Nectandra cuspidata Nees the largest number of individuals (474). Approximately 77% of individuals occupied the first three classes of height and diameter distribution in J-inverted rainforest characteristics.Keywords: Fitogeografy, urban forest, forest fragmentation.

Palavras-chave


Fitogeografia, Floresta urbana, Fragmentação florestal

Texto completo:

PDF

Referências


Abreu, M.M.O.; Mehlig, U.; Nascimento, R.E.S.A.; Menezes, M.P.M. 2006. Análise de composição florística e estrutura de um fragmento de bosque de terra firme e de um manguezal vizinhos na península de Ajuruteua, Bragança, Pará. Boletim Museu Paraense Emílio Goeldi Ciências Naturais 1, 27-34.

Almeida, A.F.; Jardim, M.A.G. 2011. Florística e estrutura da comunidade arbórea de uma floresta de várzea na Ilha de Sororoca, Ananindeua, Pará, Brasil. Scientia Forestalis 39, 191-198.

Amaral, D.D.; Vieira, I.C.G.; Almeira, S.S. 2016. Características ecológicas e estrutura da comunidade arbórea de um remanescente florestal na área de endemismo de Belém. Revista Brasileira de Biociências 14, 225-232.

Amaral, D.D.; Vieira, I.C.G.; Almeira, S.S.; Salomão, R.P.; Silva, A.S.L.; Jardim, M.A.G. 2009. Checklist da flora arbórea de remanescentes florestais da região metropolitana de Belém e valor histórico dos fragmentos, Pará, Brasil. Boletim Museu Paraense Emílio Goeldi Ciências Naturais 4, 231-289.

Amaral, D.D.; Vieira, I.C.G.; Salomão, R.P.; Almeida, S.S.; Jardim, M.A.G. 2012. The status of conservation of urban forest in eastern Amazônia. Brazilian Journol of Biology 72, 257-265.

APG. Angiosperm Phylogeny Group IV. 2016. An update of the Angiosperm Phylogeny Group classification for the orders and families of flowering plants: APG IV. Botanical Journal of the Linnean Society 181, 1-20.

Barbosa, J.M.; Eisenlohr, P.V.; Rodrigues, M.A.; Barbosa, K.C. 2012. Ecologia da dispersão de sementes em florestas tropicais. In: Martins, S.V (Ed). Ecologia de florestas tropicais do Brasil, 2º Ed, Viçosa-MG, Universidade Federal de Viçosa, p.85-101.

Batista, F.J.; Jardim, M.A.G.; Medeiros, T.D.S.; Lopes, I.L.M. 2011. Comparação florística e estrutural de duas florestas de várzea no estuário amazônico, Pará, Brasil. Revista Árvore 35, 289-298.

Carvalho, F.A.; Nascimento, M.T. 2009. Estrutura diamétrica da comunidade e das principais populações arbóreas de um remanescente de floresta atlântica submontana. Revista Árvore 33, 327-337.

Correa, H.V. 2007. A representação social de áreas verdes em cidades: O caso Bosque Rodrigues Alves – Jardim Botânico da Amazônia. 141 f. Dissertação (Mesttrado em Ciências Ambientais) – Universidade Federal do Pará.

Eisenlohr, P.V.; Melo, M.M.R.F.; Nascimento, M.T.; Santos, A.C.L.; Rodrigues, P.J.P. 2015. Estrutura de comunidades vegetais em áreas sucetíveis a efeitos de borda: conceitos, métodos e estudos de caso. In: Eisenlohr, P.V (Ed.) Fitossociologia no Brasil – métodos e estudos de casos (volume II), editora Viçosa, 119-138.

Farias, D.C.; Duarte, J.M.A.; Pinto, D.M.; Almeida, F.S. 2013. Arborização urbana no município de Três Rios-RJ: Espécies utilizadas e a percepção de seus benefícios para a população. Revista da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana 8, 58-67.

Gandolfi, S.; Leitão-Filho, F.H.; Bezerra, C.L. 1995. Levantamento florístico e caráter sucessional das espécies arbustivo arbóreas de uma floresta mesófila semidecídua no município de Guarulhos, SP. Revista Brasileira de Biologia 4, 753-767.

Gastauer, M.; Meira-Neto, J.A.A. 2015. A multifacetada diversidade biológica e suas medições. In: Eisenlohr, P.V. et al. (ed.). Fitossociologia no Brasil - métodos e estudos de caso (volume II), editora Viçosa, p.31-67.

Gonçalves, F.G.; Santos, J.R. 2008. Composição florística e estrutura de uma unidade de manejo florestal sustentável na Floresta Nacional do Tapajós, Pará. Acta Amazonica 38, 229-244.

IBAMA. 2014. Lista das espécies da flora brasileira ameaçadas de extinção. Disponível em .

Jardim, M.A.G.; Cunha, A.C.C. 1998. Caracterização estrutural de populações nativas de palmeiras do estuário amazônico. Boletim Museu Paraense Emílio Goeldi Ciências Naturais 14, 33-41.

Jesus, J.B.; Junior, R.R.V.; Mello, A.A.; Ferreira, R.A. 2015. Análise da arborização de praças do município de Nossa Senhora do Socorro – SE. Revista da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana 10, 61-77.

Lau, A.V.; Jardim, M.A.G. 2013. Florística e estrutura da comunidade arbórea em uma floresta de várzea na Área de Proteção Ambiental, Ilha do Combu, Belém, Pará. Biota Amazônia 3, 88-93.

Maciel, S.; Souza, M.G.C.; Pietrobom, M.R. 2007. Licófitas e monilóftas do Bosque Rodrigues Alves Jardim Botânico da Amazônia, município de Belém, estado do Pará, Brasil. Boletim Museu Paraense Emílio Goeldi Ciências Naturais 2, 69-93.

Martins, S.V.; Rodrigues, R.R.; Gandolfi, S.; Calegari, L. 2012. Sucessão ecológica: Fundamentos e aplicações na restauração de ecossistemas florestais. In: Martins, S.V. (Org). Ecologia de florestas tropicais do Brasil. 2ºed. Viçosa-MG: Universidade Federal de Viçosa, 21-42.

Maués, B.A.R.; Jardim, M.A.G.; Batista, F.J.; Medeiros, T.D.S.; Quaresma, A.C. 2011. Composição florística e estrutura do estrato inferior da floresta de várzea na Área de Proteção Ambiental Ilha do Combu, município de Belém, estado do Pará. Revista Árvore 35, 669-677.

Moro, M.F.; Martins, F.R. 2013. Métodos de levantamento do componente arbóreo-arbustivo. In: Felfili, J.M. (Ed.). Fitossociologia no Brasil – Métodos e estudos de casos (volume 1). 1ºed. Viçosa-MG: Universidade Federal de Viçosa, 174-212.

Oliveira, A.N.; Amaral, I.L. 2004. Florística e fitossociologia de uma floresta de vertente na Amazônia Central, Amazônas, Brasil. Acta amazônica 34, 21-34.

Salomão, R.P.; Matos, A.H.; Rosa, N.A. 2002. Dinâmica do subbosque e do estado arbóreo de floreta tropical primaria fragmentada na Amazônia Oriental. Acta amazônica 32, 387-419.

Serrano, D.G.; Agassi, J.D.; Barbosa, L.C.; Oliveira, V.H.M, Simões, F.A. 2010. Gestão pública dos espaços vazios do município de Sarandi/PR. Revista de Engenharia e Tecnologia 2, 114-124.

Silva, L.R.; Meunier, I.M.J.; Freitas, A.M.M. 2007. Riqueza e densidade de árvores, arvorestas e palmeiras em parques urbanos de Recife, Pernambuco, Brasil. Revista da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana 2, 34-49.

Soukup, C.V.B.; Mele, J.L. 2015. Arborização urbana: Fundamentos da criação das normas para o município de Guarujá. Revista Unisanta Bioscience 4, 254-260.

Souza, V.C.; Lorenzi, H. 2012. Botânica Sistemática – guia ilustrado para identificação das famílias de Fanerógamas nativas e exóticas no Brasi, Baseado em APG III, 3ºed., Instituto Plantarum.

Toledo, F.S.; Santos, D.G. 2008. Espaços livres de construção. Revista da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana 3, 73-91.

Van Der Pijl, L. 1982. Principles of dispersal in higher plants. Berlin: Springer-Verlag. 162 p.




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v13.2.p510-526

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License