Análise Montante-Jusante da Granulometria dos Sedimentos de Fundo e Suspenso do Rio Negro e Tributários (Bacia Amazônica, Brasil)

Rogério Ribeiro Marinho, Antonio Fábio Sabbá Guimarães Vieira, Feliciano de Souza Maciel

Resumo


O conhecimento das características físicas de sedimentos transportados por grandes sistemas fluviais possui significativa importância para o entendimento de processos geomorfológicos e hidrológicos. O nível de conhecimento dos grandes sistemas fluviais da Amazônia e sua relação com o transporte de sedimentos ainda é limitado, resultando em lacunas de conhecimento sobre a dinâmica da paisagem nesta complexa região. Este trabalho teve como objetivo avaliar a distribuição espacial da granulometria de sedimentos de fundo e suspenso do Rio Negro e tributários. Realizou-se análise da distribuição do tamanho dos sedimentos em seções amostrais localizadas no alto, médio e baixo curso do Rio Negro. Os resultados da análise granulométrica da carga de fundo indicam a predominância de sedimentos com tamanho variando de 0,25 a 1,0 mm (principalmente areia fina, areia média e areia grossa) enquanto no baixo curso as amostram oscilaram de areia fina a partículas lamosas (< 0,50 mm). No Rio Negro os sedimentos suspensos são compostos principalmente de partículas finas de silte (90% menor que 80 µm) com diâmetro mediano (D50) de 25 µm. As características granulométricas apresentadas neste trabalho fornecem subsídios para o entendimento de processos hidrodinâmicos de transporte e deposição dos sedimentos de fundo e suspenso neste gigante sistema fluvial.


Palavras-chave


transporte de sedimentos, planície amazônica, rio multicanal

Referências


Alves, N. de S., 2013. Mapeamento hidromorfodinâmico do Complexo Fluvial de Anavilhanas: contribuição aos estudos de Geomorfologia Fluvial de rios Amazônicos. Tese (Doutorado). São Paulo, Universidade de São Paulo.

Barbosa, R. O., 2015. Estudos sedimentológicos e estratigráficos dos depósitos sedimentares quartenários do arquipélago de Anavilhanas, município de Novo Airão (Amazônia Central). Dissertação (Mestrado). Manaus, Universidade Federal do Amazonas.

Brandão, C. J., Botelho, M. J. C., Sato, M. I. Z., Lamparelli, M. C., 2011. Guia nacional de coleta e preservação de amostras: água, sedimento, comunidades aquáticas e efluentes líquidos. ANA, 1 ed, Brasília/DF.

Cunha, D. F., 2017. Evolução sedimentar do arquipélago de Anavilhanas no baixo rio Negro, Amazônia Central. Dissertação (Mestrado), São Paulo, Universidade de São Paulo.

Cunha, S. B., 2013. Geomorfologia fluvial, in: Cunha, S. B.; Guerra, A. J. T. (Eds.), Geomorfologia: exercícios, técnicas e aplicações. Bertrand Brasil, Rio de Janeiro, pp. 157-190.

Degrande, E. J. S., Firmino, G. V., Torres, M. A. N., 2020. Dinâmica Fluvial e Caracterização Limnológica do Córrego do Cedro, Presidente Prudente -São Paulo/ Brasil. Revista Brasileira de Geografia Física [online] 13(4), 1851. Disponível: https://doi.org/10.26848/rbgf.v13.4.p1851-1869. Acesso: 20 dez. 2020.

Dos Santos, H. G., Jacomine, P. K. T., Dos Anjos, L. H. C., De Oliveira, V. A., Lumbreras, J. F., Coelho, M. R., De Almeida, J. A., de Araujo Filho, J. C., De Oliveira, J. B., Cunha, T. J. F., 2018. Sistema brasileiro de classificação de solos, 5 ed. Embrapa, Rio de Janeiro. Disponível: https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/bitstream/doc/1094003/2/SiBCS2018ISBN9788570358004.pdf. Acesso 15 jul. 2016

Dos Santos, V. C., Stevaux, J. C., Assine, M. L., 2017. Fluvial Processes in Attachment Bars in The Upper Paraná River, Brazil. Revista Brasileira de Geomorfologia, [online] 18(3). Diposnível: https://doi.org/10.20502/rbg.v18i3.1135. Acesso: 14 dez. 2020

Drago, E. C., Amsler, M. L., 1988. Suspended sediment at a cross section of the Middle Parana River: concentration, granulometry and influence of the main tributaries, in: Bordas, P., Walling, D. E. (Eds.), Sediment Budgets. IAHS, Paris, pp. 381-396.

EPE. Empresa de Pesquisa Energética, 2018. Usina Hidrelétrica (UHE) Bem Querer. Disponível: http://www.uhebemquerer.com.br/. Acesso: 15 out. 2019

Filizola, N., Guyot, J.-L., Wittmann, H., Martinez, J.-M., Oliveira, E., 2011. The Significance of Suspended Sediment Transport Determination on the Amazonian Hydrological Scenario, in: Manning, A. J. (Eds.), Sediment Transport in Aquatic Environments. InTech, Croacia, pp. 45–64. Disponível: https://doi.org/10.5772/19948. Acesso: 07 abr. 2017

Filizola, N., Guyot, J. L., 2009. Suspended sediment yields in the Amazon basin: an assessment using the Brazilian national data set. Hydrological Processes, [online] 23(22), pp. 3207-3215. Disponível: https://doi.org/10.1002/hyp.7394. Acesso: 22 mai. 2019

Filizola, N., Guyot, J. L., 2011. Fluxo de sedimentos em suspensão nos rios da Amazônia. Revista Brasileira de Geociências, [online] 41(4), pp. 566-576. Disponível: https://doi.org/10.25249/0375-7536.2011414566576. Acesso: 22 mai. 2019

Filizola, N. P., 2003. Transfert sédimentaire actuel par les fleuves amazoniens. Tese (Doutorado) Toulouse, Universite Toulouse III Paul Sabatier.

Flemming, B., 2000. A revised textural classification of gravel-free muddy sediments on the basis of ternary diagrams. Continental Shelf Research, 20(10–11), [online] pp. 1125-1137. Disponível: https://doi.org/10.1016/S0278-4343(00)00015-7. Acesso: 08 mai. 2020

Forsberg, B. R., Melack, J. M., Dunne, T., Barthem, R. B., Goulding, M., Paiva, R. C. D., Sorribas, M. V., Silva, U. L., Weisser, S., 2017. The potential impact of new Andean dams on Amazon fluvial ecosystems. PLOS ONE, [online] 12(8), e0182254. Disponível: https://doi.org/10.1371/journal.pone.0182254. Acesso: 30 mai. 2019

Franzinelli, E., Igreja, H., 2002. Modern sedimentation in the Lower Negro River, Amazonas State, Brazil. Geomorphology, [online] 44(3–4), pp. 259-271. Disponível: https://doi.org/10.1016/S0169-555X(01)00178-7. Acesso: 23 mai. 2017

Goulding, M., Leal Carvalho, M., Ferreira, E, 1989. Río Negro, rich life in poor water: Amazonian diversity and foodchain ecology as seen through fish communities. SPB Academic Publishing, The Hague.

Guyot, J. L., Jouanneau, J. M., Wasson, J. G., 1999. Characterisation of river bed and suspended sediments in the Rio Madeira drainage basin (Bolivian Amazonia). Journal of South American Earth Sciences, [online] 12(4), pp. 401-410. Disponível: https://doi.org/10.1016/S0895-9811(99)00030-9. Acesso: 08 mai. 2020

Hinderer, M., 2012. From gullies to mountain belts: A review of sediment budgets at various scales. Sedimentary Geology, [online] 280, pp. 21-59. Disponível: https://doi.org/10.1016/j.sedgeo.2012.03.009. Acesso: 25 nov. 2019

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2009. Mapa de Geomorfologia da Amazônia Legal - Escala 1:250.000. Rio de Janeiro.

Jouanneau, J.-M., Lapaquellerie, Y., Latouche, C., Tastet, J.-P., 1990. Résultats préliminaires de la campagne Oubangui-Congo de novembre 1988. Microgranulométrie, minéralogie, analyses chimiques des matières en suspension / Preliminary results of the Oubangui-Congo cruise (November 1988). Microgranulometry, mineralogy , chem. Sciences Géologiques. Bulletin, [online] 43(1), pp. 3-14. Disponível: https://doi.org/10.3406/sgeol.1990.1841. Acesso: 10 mai. 2020

Latrubesse, E. M., Stevaux, J. C., Sinha, R., 2005. Tropical rivers. Geomorphology, [online] 70(3–4), pp. 187-206. Disponível: https://doi.org/10.1016/j.geomorph.2005.02.005. Acesso: 23 mai. 2019

Latrubesse, Edgardo M., Arima, E. Y., Dunne, T., Park, E., Baker, V. R., D’Horta, F. M., Wight, C., Wittmann, F., Zuanon, J., Baker, P. A., Ribas, C. C., Norgaard, R. B., Filizola, N., Ansar, A., Flyvbjerg, B., Stevaux, J. C., 2017. Damming the rivers of the Amazon basin. Nature, [online] 546(7658), pp. 363-369. Disponível: https://doi.org/10.1038/nature22333. Acesso: 30 mai. 2019

Latrubesse, E. M., Franzinelli, E., 2005. The late Quaternary evolution of the Negro River, Amazon, Brazil: Implications for island and floodplain formation in large anabranching tropical systems. Geomorphology, [online] 70(3–4), pp. 372-397. Disponível: https://doi.org/10.1016/j.geomorph.2005.02.014. Acesso: 30 mai 2018

Marinho, R. R., 2019. Integração de dados de campo e sensoriamento remoto no estudo do fluxo de água e matéria no Arquipélago de Anavilhanas, Rio Negro – Amazonas, Brasil. Tese (Doutorado) Manaus, Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia.

Marinho, R. R., Filizola, N. P., Cremon, É. H., 2020. Analysis of Suspended Sediment in the Anavilhanas Archipelago, Rio Negro, Amazon Basin. Water, [online] 12(4), pp. 1073. Disponível: https://doi.org/10.3390/w12041073. Acesso: 14 abr. 2020

Meurer, M., Bravard, J.-P., Stevaux, S. C., 2011. Granulometria dos sedimentos marginais do rio Ivaí com vistas à compreensão da dinâmica hidrossedimentar montante-jusante. Revista Brasileira de Geomorfologia, [online] 12(1), pp. 39–44. Disponível: http://dx.doi.org/10.20502/rbg.v12i1.217. Acesso: 08 mai 2020

Nordin, C. F., Meade, R. H., Curtis, W. F., Bósio, N. J., Landim, P. M. B., 1980. Size distribution of Amazon River bed sediment. Nature, [online] 286(5768), pp. 52–53. Disponível: https://doi.org/10.1038/286052a0. Acesso: 10 mai 2020

Oliveira, D., Santos, A. L. M. R., Marmos, J. L., 2014. Recursos Hídricos Superficiais. in: Holanda J. L. R., Marmos, J. L., Maia, M. A. M. (Eds.), Geodiversidade do estado de Roraima. CPRM, Manaus, pp. 49-63.

Oliveira, M. A. T., Lima, G. L., 2004. Classificação de sedimentos quaternários em cabeceiras de vale através da aplicação do diagrama de Flemming: município de Campo Alegre, norte de Santa Catarina. Geociências, 23(1/2), pp. 67–78.

Quesada, C. A., Lloyd, J., Anderson, L. O., Fyllas, N. M., Schwarz, M., Czimczik, C. I., 2011. Soils of Amazonia with particular reference to the RAINFOR sites. Biogeosciences, [online] 8(6), 1415–1440. Disponível: https://doi.org/10.5194/bg-8-1415-2011. Acesso: 24 jun. 2019

RSIS. Ramsar Information Sheet, 2018. Rio Negro, Brazil. Disponível: https://rsis.ramsar.org/ris/2335. Acesso: 31 dez. 2019

Sander, C., Gasparetto, N. V. L., Santos, M. L., 2015. Variações da carga sedimentar de fundo e morfologia dos perfis transversais batimétricos no trecho inferior da bacia do alto Rio Branco, Rraima. Rev. Geogr. Acadêmica, 9(1), pp. 130–145.

Sioli, H., 1984. The Amazon and its main affluents: Hydrography, morphology of the river courses, and river types. in: Sioli (Ed.), Amazon Limnology and landscape ecology of mighty tropical river and its basins. Springer, Netherlands, pp. 127-165. Disponível: https://doi.org/10.1007/978-94-009-6542-3_5. Acesso: 02 mar 2015

Souza Filho, E. E., 2016. Barragem de Porto Primavera e o transporte fluvial na seção de Porto São José, Rio Paraná. Mercator, [online] 15(4), pp. 65–81. Disponível: https://doi.org/10.4215/RM2016.1504.0005. Acesso: 17 dez. 2020

Stevaux, J. C., Latrubesse, E. M., 2017. Geomorfologia fluvial, Oficina de Textos, São Paulo.

Suguio, K., 1973. Introdução à Sedimentologia, Edgard Blücher, São Paulo.

Suguio, K., 2003. Geologia Sedimentar, Edgard Blücher, São Paulo.

Zanin, P. R., Satyamurty, P., 2020. Hydrological processes interconnecting the two largest watersheds of South America from seasonal to intra‐monthly time scales: A critical review. International Journal of Climatology, [online] 40(9), pp. 3971-4005. Disponível: https://doi.org/10.1002/joc.6443. Acesso: 02 ago. 2020




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v14.2.p%25p

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License