Dinâmica de ocupação e passivos ambientais nos assentamentos rurais do município de Goiás-GO

Leovigildo Aparecido Costa Santos, Iara Jaime de Pina, Thyago Rodrigues do Carmo Brito, Murilo Mendonça Oliveira de Souza, Manuel Eduardo Ferreira, Carlos de Melo e Silva Neto

Resumo


Estudos sobre a influência de assentamentos rurais no processo de desmatamento são normalmente controversos. Alguns apontam uma aceleração desse processo, enquanto outros demonstram que nesses locais a dinâmica de uso do solo segue uma tendência regional. No Cerrado (a savana brasileira) esse é um fenômeno ainda pouco conhecido. Nosso objetivo foi analisar o uso e a cobertura do solo em assentamentos rurais do município de Goiás – região com grande destaque nacional –, com foco nas áreas de preservação permanente (APPs) de cursos d’água. Foram empregadas técnicas de geoprocessamento e classificação de imagens de satélites para quatro anos (1985, 1991, 1995 e 2018), com abrangência temporal de 33 anos. Para verificar o padrão do uso do solo em áreas dentro e fora de APPs, nos assentamentos rurais e no restante do município, foram empregadas análises de componentes principais. Os resultados indicam que as áreas com vegetação nativa reduziram em 33% e 34%, para os assentamentos e o restante do município, respectivamente. As classes ligadas às atividades agropecuárias tiveram aumento entre o ano inicial e final do estudo. A ocupação do solo por atividades agropecuárias, dentro das áreas de preservação permanente, teve uma maior redução nos assentamentos. Concluímos que as dinâmicas do uso e ocupação do solo nos assentamentos e no restante do município seguem uma tendência parecida, porém com um atendimento ao código florestal ligeiramente maior nos assentamentos, representando uma maior conservação relativa de áreas nativas do Cerrado.


Palavras-chave


Desmatamento; Cerrado; Geoprocessamento; Uso do solo

Referências


Almeida, R.P., Frazão, L.A., Leite, M.E., Fernandes, L.A., 2017. Uso e ocupação do solo em áreas de assentamentos rurais no norte de Minas Gerais. Caminhos de Geografia 18, 1-19. Disponível: http://www.seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/34053/20537. Acesso: 20 ago. 2018.

Amorim, I.A., Mello, A.H., Homma, A.K.O., Pontes, A.N., 2020. Dinâmica do desmatamento em área de assentamento de reforma agrária no sudeste paraense. Caminhos de Geografia 21, 21-35. Disponível: http://dx.doi.org/10.14393/rcg217851483. Acesso: 20 abr. 2021.

Araújo, F.M., Ferreira, L.G., Arantes, A.E., 2012. Distribution patterns of burned areas in the brazilian biomes: an analysis based on satellite data for the 2002–2010 period. Remote Sensing 4, 1929-1946. Disponível: https://doi.org/10.3390/rs4071929. Acesso: 22 ago. 2018.

Avila, S.R.S.A., Avila, M.L., Bernardi, J.V.E., Couto Junior, A.F., 2020. Correlação entre assentamentos e desmatamento: um estudo das dependências entre variáveis em 32 projetos de assentamentos atendidos no projeto radis. Revista em Agronegócio e Meio Ambiente 13, 883-896. Disponível: http://dx.doi.org/10.17765/2176-9168.2020v13n3p883-896. Acesso: 20 abr. 2021.

Becker, T., Biudes, M., Machado, N., Ivo, I., Pedreira Junior, A., dos Santos, L., 2020. Efeito da implantação e dinâmica do uso do solo sobre parâmetros biofísicos da superfície no assentamento rural Roseli Nunes em Mato Grosso. Raega - O Espaço Geográfico em Análise 48, 153-166. Disponível: http://dx.doi.org/10.5380/raega.v48i0.69615. Acesso: 20 abr. 2021.

Brandão Junior, A., Souza Junior, C., 2006. Mapping unofficial roads with Landsat images: a new tool to improve the monitoring of the Brazilian Amazon rainforest. International Journal of Remote Sensing 27, 177-189. Disponível: https://doi.org/10.1080/01431160500353841. Acesso: 24 ago. 2018.

BRASIL, 2012. Lei nº 12.651, de 25 de maio.

Butt, A., Shabbir, R., Ahmad, S.S., Aziz, N., 2015. Land use change mapping and analysis using remote sensing and GIS: a case study of Simly watershed, Islamabad, Pakistan. Egyptian Journal of Remote Sensing and Space Science 18, 251-259. Disponível: https://doi.org/10.1016/j.ejrs.2015.07.003. Acesso: 22 ago. 2018.

Câmara, G., Davis, C., 2001. Introdução à Ciência da Geoinformação. Disponível: http://www.dpi.inpe.br/gilberto/livro/introd/. Acesso: 01 nov. 2018.

Carneiro, V.A., Tsujii, P.K., Ribeiro, A.C.C., Silva Neto, C.M., Gonçalves, B.B., 2014. Uso e ocupação das áreas de preservação permanentes no sudoeste goiano. Revista de Geografia (UFPE) 31, 43-60. Disponível: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistageografia/article/view/229071/23476. Acesso: 05 nov. 2018.

Duarte, G.S., Costa, G.E., de Oliveira, A.P., Barros, R.S., Cruz, C.B.M., 2015. O uso da geometria do Landsat 8 como base para georreferenciamento semiautomático visando estudos espaço-temporais. In: Anais do XVII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, João Pessoa, 5216-5223.

Farias, M.H.C.S., Beltrao, N.E.S., Santos, C.A., Cordeiro, Y.E.M., 2018. Impacto dos assentamentos rurais no desmatamento da Amazônia. Mercator 17, e17009. Disponível: https://doi.org/10.4215/rm2018.e17009. Acesso: 22 nov. 2018.

Gosch, M.S., Ferreira, M.E., Medina, G.S., 2016. The role of the rural settlements in the Brazilian savanna deforesting process, Journal of Land Use Science 12, 55-70. Disponível: https://doi.org/10.1080/1747423X.2016.1254687. Acesso: 22 nov. 2018.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 1996. Censo agropecuário 1996. Rio de Janeiro: IBGE.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2012. Censo agropecuário 2006: Brasil, grandes regiões e unidades da federação – segunda apuração. Rio de Janeiro: IBGE.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2017. Censo agropecuário 2017: resultados preliminares. Rio de Janeiro: IBGE.

INCRA. Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária, 2015. Ocupação da fazenda Mosquito marca início da Reforma Agrária no estado. Disponível: https://incragoias.wordpress.com/ocupacao-da-fazenda-mosquito-marca-inicio-da-reforma-agraria-no-estado/. Acesso em: 01 nov., 2018.

INPE. Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, 2018. Portal do Monitoramento de Queimadas e Incêndios. Disponível: http://www.inpe.br/queimadas. Acesso em: 18 nov. 2018.

Le Tourneau, F., Bursztyn, M., 2010. Assentamentos rurais na Amazônia: contradições entre a política agrária e a política ambiental. Ambiente & Sociedade 13, 111-130. Disponível: https://doi.org/10.1590/S1414-753X2010000100008. Acesso: 01 nov. 2018.

Leal, M.L.M., 2020. Monitoramento do desflorestamento em assentamentos rurais amazônicos com uso de geoprocessamento. Revista Brasileira de Sensoriamento Remoto 3, 40–49. Disponível: http://doi.org/10.5281/zenodo.4584435. Acesso: 20 abr. 2021.

Leite, S., Heredia, B., Medeiros, L., Palmeira, M., Cintrao, R., 2004. Impacto dos assentamentos: um estudo sobre o meio rural brasileiro, 1 ed. Instituto Interamericano de Cooperação Para a Agricultura/Núcleo de Estudos Agrários e Desenvolvimento Rural, São Paulo.

Liu, T., Yang, X., 2015. Monitoring land changes in an urban area using satellite imagery, GIS and landscape metrics. Applied Geography 56, 42-54. Disponível: https://doi.org/10.1016/j.apgeog.2014.10.002. Acesso: 20 nov. 2018.

Magalhães, C.S., Ferreira, R.M., 2000. Áreas de preservação permanente em uma microbacia. Informe Agropecuário 21, 33-39.

Meneses, P.R., Sano, E.E., 2012. Classificação pixel a pixel de imagens, in: Meneses, P.R., Almeida, T. (Org.), Introdução ao Processamento de Imagens de Sensoriamento Remoto. UNB, Brasília, pp. 191-208.

Oliveira, V.T., 2013. Conflito de usos em áreas de preservação permanente de assentamentos rurais e demais áreas em bacias hidrográficas de Goiás. Dissertação (Mestrado). Goiânia, UFG.

Pina, I.J., Silva-Neto, C.M., Andersson, F.S., Pulido, C.D.R., Souza, J.D., 2018. Transição agroecológica na região de Goiás/GO: um estudo sobre os aspectos produtivos e socioambientais em assentamentos rurais de reforma agrária. III Seminário de Agroecologia na América do Sul, in: Anais do Agroecol. Campo Grande: UFMS.

Santos, J.P., Veronese, E.S.M., Machado, O.D.B., 2009. Análise multitemporal do desmatamento no assentamento Vale Verde, Gurupi, TO através do uso de imagens do sensor CCD do satélite CBERS2. In: Anais do XIV Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto – SBSR, Natal, 2163-2168.

Santos, L.A.C., 2018. Utilização dos dados do Cadastro Ambiental Rural na análise de conflitos de uso do solo em Áreas de Preservação Permanente. Tecnia 3, 174 - 196. Disponível: https://revistas.ifg.edu.br/tecnia/article/view/221. Acesso: 01 nov. 2018.

Santos, L.A.C., Lima, P.E.M., 2018. Comparação entre diferentes algoritmos de classificação supervisionada no mapeamento temático de uma bacia hidrográfica. Treedimensional 3, 27-41. Disponível: http://www.treedimensional.org/revista/2018a/comparacao.pdf. Acesso: 01 nov. 2018.

Santos, L.A.C., Vieira, L.M.F., Martins, P.T. de A., Ferreira, A.A., 2019. Conflitos de uso e cobertura do solo para o período de 1985 a 2017 na bacia hidrográfica do Rio Caldas-GO. Fronteiras: Journal of Social, Technological and Environmental Science 8, 189-211. Disponível: https://doi.org/10.21664/2238-8869.2019v8i2.p189-211. Acesso: 04 nov. 2018.

Silva Junior, C.H., Anderson, L., Aragão, L.E., Rodrigues, B., 2018. Dinâmica das queimadas no Cerrado do estado do Maranhão, Nordeste do Brasil. Revista do Departamento de Geografia 35, 1-14. Disponível: https://doi.org/10.11606/rdg.v35i0.142407. Acesso: 04 jan. 2019.

Silva, L.G., Martins, A.K.E., 2007. Identificação da composição colorida de imagem CBERS-2 na dinâmica de ocupação territorial em sub-bacia hidrográfica. In: Anais do XIII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, Florianópolis, 1141-1145.

Silva, S.S., Clemente, E.C., 2021. Efeitos territoriais da implantação dos assentamentos rurais pelo Incra na dinâmica socioeconômica local do município de Caiapônia-GO. Revista Formação 28, 413-439. Disponível: http://dx.doi.org/10.33081/formacao.v28i53.7995. Acesso: 20 abr. 2021.

Sonda, C., 2010. Reforma Agrária, desmatamento e conservação da biodiversidade do estado do Paraná, in: Sonda, C., Trauczynski, S.C (Org.), Reforma agrária e meio ambiente: teoria e prática no estado do Paraná. ITCG, Curitiba, pp. 83-100.

Sousa, D., Mincato, R., Kawakubo, F., 2015. Análise multitemporal do uso da terra utilizando imagens Landsat-5 TM da região de Alfenas, Sul de Minas Gerais, visando a conservação de fragmentos florestais. Revista Brasileira de Geografia Física 8, 1482-1492. Disponível: https://doi.org/10.26848/rbgf.v8.5.p1482-1492. Acesso: 04 nov. 2018.

Souza, J.D., 2016. Atlas da luta pela terra: Município de Goiás/GO. Monografia (Graduação). Goiás, UEG.

Yang, X., Lo, C.P., 2002. Using a time series of satellite imagery to detect land use and land cover changes in the Atlanta, Georgia metropolitan area. International Journal of Remote Sensing 23, 1775-1798. Disponível: https://doi.org/10.1080/01431160110075802. Acesso: 22 nov. 2018.




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v14.3.p%25p

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License