Os mal-amados, de Lourdes Ramalho: tragédia moderna, regionalidade e cultura da honra

Diógenes André Vieira Maciel, Monalisa Barboza Santos Colaço

Resumo


Propõe-se a análise-interpretação da peça Os mal-amados, de Lourdes Ramalho, na qual as representações estéticas carregam resíduos do patriarcado postos em tensão com as tentativas de subverter o domínio masculino, justamente, pelas ações das personagens femininas em vista de novas estruturas emergentes, em meio a uma “cultura da honra”. Assim, interpretam-se as contradições no plano da forma/conteúdo que enformam esta tragédia moderna, evidenciando, portanto, suas vinculações com a regionalidade nordestina e apresentando este texto a uma nova comunidade de leitores.  


Texto completo:

PDF

Referências


AGUIAR, Neuma. Patriarcado, sociedade e patrimonialismo. Sociedade e Estado, Brasília, v. 15, n. 2, p. 303-330, dez. 2000.

BRANDÃO, Tania. Uma empresa e seus segredos: Companhia Maria Della Costa. São Paulo: Perspectiva: Rio de Janeiro: Petrobrás, 2009.

CHIAPPINI, Ligia. Velha praga? Regionalismo literário brasileiro. In: PIZARRO, Ana (org.). América Latina: palavra, literatura e cultura. São Paulo: Memorial da América Latina; Campina, SP: Editora da UNICAMP, 1994. p. 665-702. v.2.

FERNANDES, Nanci. Os grupos amadores. In: FARIA, João Roberto (dir.). História do teatro brasileiro, volume 2: do modernismo às tendências contemporâneas. São Paulo: Perspectiva: Edições SESCSP, 2013. p. 56-80.

GOUVEIA, Valdiney V. et al. Preocupação com a honra no Nordeste brasileiro: correlatos demográficos. Psicologia & Sociedade, Belo Horizonte, v. 25, n. 3, p. 581-591, 2013.

HAESBAERT, Rogério. Região, regionalização e regionalidade: questões contemporâneas. Antares: Letras e Humanidades, Caxias do Sul, n. 03, p. 01-23, jan. - jun. 2010.

NARVAZ, Martha Giudice; KOLLER, Sílvia Helena. Famílias e patriarcado: da prescrição normativa à subversão criativa. Psicologia & Sociedade, Porto Alegre, v. 18, n. 1, p. 49-55, abr. 2006.

PITT-RIVERS, John. Honra e posição social. In: PERISTIANY, John G. Honra e vergonha: Valores das sociedades mediterrânicas. 2. ed. Lisboa: Fundação Caloute Gulbenkian, 1988, p. 11-59.

RAMALHO, Maria de Lourdes Nunes. Os Mal-Amados. In: CORRÊA NETO, Alarico et. al. Teatro paraibano, hoje. João Pessoa: A União, 1980. p. 81-150.

RIBEIRO, Lucas Mello Carvalho; LUCERO, Ariana; GONTIJO, Eduardo Dias. O ethos homérico, a cultura da vergonha e a cultura da culpa. Psychê, São Paulo , v. 12, n. 22, p. 125-138, jun. 2008.

ROHDEN, Fabíola. Para que serve o conceito de Honra, ainda hoje?. Ensaio Bibliográfico, Campos, v.2, n.7, p.101-120, ago. 2006.

SARRAZAC, Jean-Pierre. Sete observações sobre a possibilidade de um trágico moderno – que poderia ser um trágico (do) quotidiano. Pitágoras 500, Campinas, v.4, p. 3-15, abr. 2013.

SZONDI, Peter. Teoria do drama moderno (1880-1950). Trad. Luiz Sérgio Repa. São Paulo: Cosac & Naify Edições, 2001.

WILLIAMS, Raymond. Tragédia Moderna. Trad. Betina Bischof. São Paulo: Cosac & Naify, 2002.

______. Drama from Ibsen to Brecht. Londres: Pelican Books, 1983.

______. Marxismo e Literatura. Rio de Janeiro: Zahar, 1979.






Revista Investigações - Linguística e Teoria Literária. Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Federal de Pernambuco.

ISSN Edição Digital 2175-294X - ISSN Edições Impressas 0104-1320

www.ufpe.br/pgletras - www.pgletras.com.br 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.