Otelo, a tragédia da alteridade

Murilo Cavalcante Alves

Resumo


O artigo aborda a tragédia shakespeariana Otelo sob o ponto de vista da alteridade, e não do ciúme, como está sendo tradicionalmente analisada pela fortuna crítica do dramaturgo inglês. Nessa perspectiva, problematiza o papel relevante, mas usualmente ignorado, do epíteto "o mouro de Veneza", adicionado ao título da tragédia.

Texto completo:

PDF

Referências


ALCORÃO SAGRADO. Trad. Prof. Samir el – Hayek. 13. ed. São Paulo: MarsaM, 2004.

AFRICANUS, Leo. The History and Description of Africa (1600). Disponível em:< http://www.universalteacher.org.uk/shakespeare/othello1.htm>. Acesso em: dez. 2006.

AZEVEDO, Antonio C. do Amaral. Dicionário de nomes, termos e conceitos históricos (com a colaboração de Rodrigo Lacerda). Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1990.

BANDEIRA, Manuel. Elisabete censurada II. In: ______. Andorinha, Andorinha. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1990.

______. A linguagem shakespeariana de Onestaldo de Pennafort. In: Rio de Janeiro: Jornal do Brasil, 10 mar. 1956.

BLOOM, Harold. Shakespeare: a invenção do humano. Trad. José Roberto O’Shea. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001.

CAMPOS, Sirlei Santos. O trágico como a experiência de alteridade em Otelo, de Shakespeare. Revista GT dramaturgia e teatro, n. 0, 2000.

CAVENDISH, Sueli. Conversa franca. Revista Continente Multicultural, Recife, ano II, n. 17, maio 2002.

CELI, Adolfo. Otelo: Shakespeare/Pennafort. In: PENNAFORT, Onestaldo de. Otelo. 3. ed. rev. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1968.

FORGET, Danielle; OLIVEIRA, Humberto Luís L. de. (orgs.) Imagens do outro: leituras divergentes da alteridade. Feira de Santana, BA: UEFS-ABECAN, 2001.

GRANDE ENCICLOPÉDIA LAROUSSE CULTURAL. Rio de Janeiro: Nova Cultural, 1998.

JELIN, Elizabeth. Cidadania e alteridade: o reconhecimento da pluralidade. s.n.t.

LELLO. Dicionário prático ilustrado. ed. atual. e aum. Porto: Lello & Irmãos, 1960.

LEVI-STRAUSS, Claude. Raça e história. In: Seleção de textos. Os Pensadores. 1. ed. São Paulo: Abril Cultural, 1976.

LONG, Bill. Othello’s manner of speaking and Othello. Disponível em: . Acesso em: dez. 2006.

______. The tragedy of Othello: the moor of Venice. Disponível em: . Acesso em: dez. 2006.

MEDEIROS, F. C. de Almeida. Sinopse, dados históricos e notas de rodapé a cada obra. In: SHAKESPEARE, William. Obra completa. Volume I. Tragédias. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1969.

MOISÉS, Massaud. Dicionário de termos literários. 11. ed. São Paulo: Cultrix, 2002..

ONESTALDO DE PENNAFORT (1902-1987). Disponível em: < Itaú Cultural – panorama poesia e crônica >. Acesso em: dez. 2006.

Othello’s Predecessors: moors in renaissance popular literature. Disponível em: . Acesso em: dez. 2006.

PENNAFORT, Onestaldo de. Alguns aspectos de Otelo. In: SHAKESPEARE, William. Otelo. Trad. de Onestaldo de Pennafort. 3. ed. rev. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1968.

REBOUL, Olivier. Introdução à retórica. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

ROCHA, Everardo P. Guimarães. O que é etnocentrismo. 1. ed. 18. reimp. São Paulo: Brasiliense, 2003.

SAÏD, Edward. Orientalismo: o oriente como invenção do ocidente. Trad. Tomás Rosa Bueno. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

SHAKESPEARE, William. Otelo. 3. ed. rev. Trad. de Onestaldo de Pennafort. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1968.

______. Obra completa. Volume I. Tragédias. Sinopse, dados históricos e notas de rodapé a cada obra, de F. Carlos Almeida de Cunha Medeiros. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1969.

THE AMERICAN HERITAGE DICTIONARY OF THE ENGLISH LANGUAGE. Fourth edition. : Houghton Mifflin Company, 2000.

The tragedy of Othello, moor of Venice by William Shakespeare. Disponível em: . Acesso em: dez. 2006.

The literature network. Disponível em: . Acesso em: dez. 2006.






Revista Investigações - Linguística e Teoria Literária. Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Federal de Pernambuco.

ISSN Edição Digital 2175-294X - ISSN Edições Impressas 0104-1320

www.ufpe.br/pgletras - www.pgletras.com.br 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.