Artigos acadêmicos da área de história: heterovocalidade, diversidade composicional e estilística

Dóris de Arruda C. da Cunha

Resumo


Este artigo apresenta os resultados de um estudo sobre o modo como artigos acadêmicos da área de História se constituem e se fundamentam no discurso do outro. Parte da reflexão epistemológica de Bakhtin (2003), mas se apoia em outros autores do campo da abordagem dialógica. A análise  mostra a heterovocalidade inerente ao gênero; a bivocalidade específica do discurso acadêmico; a diversidade composicional – os artigos são pontos de vista, seguidos de movimentos que alternam explicações, narrativas, comentários avaliativos; e, consequentemente, a diversidade estilística – os diferentes modos de dizer e de representar a alteridade “desenham” um estilo do autor.


Texto completo:

PDF

Referências


ADAM Jean-Michel. Genres, textes, discours: pour une reconception linguistique du concept de genre. In: Revue belge de philologie et d'histoire, tome 75, fasc. 3. Langues et littératures modernes - Moderne taal- en letterkunde. pp. 665-681,1997.

_____. Les textes: types et prototypes. Paris, Nathan, 1992.

AUTHIER-REVUZ, Jacqueline. La représentation du discours autre. Principes pour une description. Paris, De Gruyter, 2020.

_____. A representação do discurso outro: um campo multiplamente heterogêneo. Tradução de Heber O. Costa e Silva e Dóris de Arruda C. da Cunha. Investigações, Linguística e Teoria da literatura. Vol. 28, Número especial, p. 1-39, 2015.

_____. Heterogeneidade mostrada e heterogeneidade constitutiva, elementos para uma abordagem do outro no discurso. In: Entre a transparência e a opacidade: um estudo enunciativo do sentido. Porto Alegre: EDIPUCRS, p. 11-80, 2004.

BAKHTIN, Mikhail. Os gêneros do discurso. Organização, tradução, posfácio e notas de Paulo Bezerra. São Paulo, Editora 34, 2016.

_____. Teoria do romance I. A estilística. Tradução de Paulo Bezerra. São Paulo: Editora 34, 2015.

Para uma filosofia do ato responsável. Tradução de Valdemir Miotelo e Carlos Alberto Faraco. São Carlos: Pedro e João Editores.

_____. 2003. Estética da criação verbal. Tradução de Paulo Bezerra. 4 ed. São Paulo: Martins Fontes.

_____. Problemas da poética de Dostoïevski. 2 ed. Tradução de Paulo Bezerra. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1997.

BENVENISTE, Emile.1966. Problèmes de linguistique générale, Paris, Gallimard.

Autor. 2019.

_____. 2012.

_____. 2011.

_____. 2008.

_____. 1992.

FARACO, Carlos Alberto. Bakhtin e filosofia. Bakhtiniana, Revista de Estudos do Discurso. Vol. 12 (2), p. 45-56, 2017.

_____. A ideologia no/do Círculo de Bakhtin. In : Círculo de Bakhtin: pensamento interacional. Série Bakhtin – Inclassificável, vol. 3. Organizado por Luciane de Paula e Grenissa Stafuzza. Campinas: Mercado de Letras, p. 167-182, 2013.

FRANÇOIS, Frédéric. Introduction. Quelques points de vue sur point de vue. In Marie Carcassonne et al. Points de vue sur point de vue. Un essai de réflexion collective. Limoges: Lambert-Lucas, p. 7-75, 2015a.

_____. Autour de deux dialogue: genres, mouvements, styles et arrière-fonds. Quelques points de vue sur l’hétérogénéité des textes et de leurs lectures. Texto de uma conferência, enviado pelo autor por e-mail, 2015b.

_____. Communautés et divergences dans l’interprétation. Introduction langagière à un projet de «psychologie concrète». Limoges: Lambert-Lucas, 2014.

GINGRAS, Yves. Sociologie des sciences. Paris, PUF, 2013.

LATOUR, Bruno; FABRI, Paolo. La rhétorique de la Science. Actes de la recherche en sciences sociales. Volume 13, Numéro 1, p. 81 – 95, 1977.

LÖWY, Michael. As aventuras de Karl Marx contra o Barão de Münchhausen. Marxismo e positivismo na sociologia do conhecimento. 7. ed. São Paulo: Cortez, 2000.

POLLET Marie-Christine. Discours universitaires ou genre académique : l'explicatif comme zone de (dis)continuité. In: Revue belge de philologie et d'histoire, tome 75, fasc. 3, p. 771-787, 1997.

VALOIS, Michelle; AUTOR. La bivocalité dans un récit autobiographique. Le discours et la langue. Vol. 2, p. 37-48, 2012.

VOLÓCHINOV, Valentin. (Círculo de Bakhtin). Marxismo e filosofia da linguagem. Problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. Tradução Sheila Griollo e Ekaterina Vólkova Américo. São Paulo: Editora 34, 2017.

Referências dos textos analisados

AARÃO REIS, Daniel. 2017. As revoluções russas e a emergência do socialismo autoritário. Estudos Avançados, vol. 31 (91), p. 67-79.

AARÃO REIS, Daniel. 2010. Ditadura, anistia e reconciliação. Estudos Históricos, vol. 23, nº 45, p. 171-186.

CAPELATO, Maria Helena. 2016. História do Brasil e revisões historiográficas. Anos 90, v. 23, n. 43, p. 21-37.

CARVALHO, J. M. República, democracia e federalismo. Brasil, 1870-1891. VARIA HISTÓRIA, vol. 27, nº 45: p.141-157, jan/jun 2011.






Revista Investigações - Linguística e Teoria Literária. Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Federal de Pernambuco.

ISSN Edição Digital 2175-294X - ISSN Edições Impressas 0104-1320

www.ufpe.br/pgletras - www.pgletras.com.br 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.