MST e reforma agrária na Bahia: O caso do assentamento Che Guevara em Boa Vista do Tupim, Bahia

Ythana de Oliveira Santos, Janaina Paixão Pereira

Resumo


Este artigo tem como objetivo apresentar as diferentes responsabilidades atribuídas ao Movimento Sem Terra (MST) no que se refere a dinâmica espacial de uma área, como é o caso do município de Boa Vista do Tupim, e o papel social do Movimento, além dos desafios enfrentados e os meios encontrados para a permanência dos trabalhadores rurais dessa localidade. Apesar de procurarem enxergar o mundo, no que diz respeito aos seus conceitos ideológicos, da forma mais comunitária possível, nem só da ajuda mútua consegue viver o MST, por isso o Movimento recorre a formação de associações e depende também da comercialização dos seus produtos para sua permanência em determinados locais. O presente artigo procura também mostrar a importância do Movimento na formação política e social dos indivíduos que fazem parte dos assentamentos e acampamentos. E apresentar as pautas e as transformações positivas que o Movimento promove no espaço geográfico, já que essa é uma responsabilidade para com a sociedade em que vivemos. Além do apoio bibliográfico, esse trabalho foi realizado devido a uma viagem de campo de uma turma de Geografia do terceiro ano do ensino médio e foi escrita através de relatos de assentados, acampados e dirigentes do MST da região.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES E BASE DE DADOS

 
 
 LATINDEX
 
Thumbnail
 
 
Sumários.org