A duplicação do complemento indireto em Espanhol

Paula Rosinski Gonçales

Resumo


O presente artigo se propõe a analisar as características da dupla marcação do objeto indireto em espanhol e tentar compreender de maneira mais precisa tal fenômeno, uma vez que este apresenta uso vacilante tanto por parte do falante de espanhol como língua materna como por aprendizes brasileiros de espanhol como língua estrangeira. Fundamentando-se nos conceitos de competência comunicativa e norma real/norma ideal, a análise parte de uma revisão do tratamento do objeto indireto na tradição linguística hispânica à coleta de dados de falantes nativos (com base no Corpus del Español del Siglo XXI) e de aprendizes brasileiros de espanhol (por meio do Corpus de Aprendices del Español). Os primeiros resultados apontam à existência de um continuum no qual estariam dispostas distintas interpretações do complemento indireto segundo tenham uma maior ou menor tendência à explicitação da estrutura duplicada, além da evidente falta de uma orientação sistemática e eficiente que conduza o falante de maneira autônoma frente a suas próprias dúvidas.

Palavras-chave


Objeto indireto; Duplicação; Língua Espanhola.

Referências


ALARCOS LLORACH, Emilio. Gramática de la lengua española. Madrid: Espasa-Calpe, 1999.

ALCINA, Juan; BLECUA, José Manuel. Gramática Española. Madrid: Ariel, 2001.

BAGNO, Marcos. Gramática pedagógica do português brasileiro. São Paulo: Parábola Editorial, 2012.

BECHARA, Evanildo. Moderna Gramática Portuguesa. 38ª ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2015.

BENVENISTE, Émile. Estrutura das relações de pessoa no verbo. In: _____ Problemas de linguística geral I. Tradução de Maria da Glória Novak e Maria Luiz Neri. Campinas: Pontes, 1988.

BUGUEÑO MIRANDA, Félix. O Dicionário bilíngue como problema linguístico e lexicográfico. In: HWANG, A.; NADIN, O. (Org.). Linguagens em Interação III: Estudos do Léxico. Maringá: Clichetec, 2010. p. 65-70.

CASTILHO, Ataliba Teixeira de. Nova Gramática do Português Brasileiro. São Paulo: Contexto, 2010.

CORPUS DE APRENDICES DE ESPAÑOL. Disponível em: http://galvan.usc.es/caes/search. Acesso em: 05 set. 2018.

CORPUS DEL ESPAÑOL DEL SIGLO XXI. Disponível em: http://web.frl.es/CORPES/view/inicioExterno.view. Acesso em: 05 set. 2018.

DAppL. RICHARDS, Jack C.; SCHMIDT, Richard. Dictionary of Language Teaching and Applied Linguistics. Great Britain: Pearson Education Limited, 2010.

DiClavELE. Instituto Cervantes. Diccionario de términos clave de ELE. Disponível em: http://cvc.cervantes.es/ensenanza/biblioteca_ele/diccio_ele/indice.htm.

DPDe. REAL ACADEMIA ESPAÑOLA; ASOCIACIÓN DE ACADEMIAS LA LENGUA ESPAÑOLA. Diccionario Panhispánico de Dudas. Madrid: Santillana, 2005. Disponível em: http://www.rae.es/recursos/diccionarios/dpd. Acesso em: 05 set. 2018.

DRAEe. REAL ACADEMIA ESPAÑOLA. Diccionario de la Real Academia Española. 23ª edición. Disponível em: http://dle.rae.es/?w=diccionario. Acesso em: 05 set. 2018.

GramLE. REAL ACADEMIA ESPAÑOLA. ASOCIACIÓN DE ACADEMIAS DE LA LENGUA ESPAÑOLA. Nueva Gramática de la Lengua Española. Madrid: Espasa, 2009. Disponível em: http://www.rae.es/recursos/gramatica/nueva-gramatica. Acesso em: 05 set. 2018.

JAPIASSÚ, Hilton; MARCONDES, Danilo. Dicionário básico de Filosofia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2001.

PCIC. Plan Curricular del Instituto Cervantes. Madrid: Biblioteca Nueva, 2006. Disponível em https://cvc.cervantes.es/ENSENANZA/biblioteca_ele/plan_curricular/default.htm. Acesso em: 05 jan. 2019.

PONTES, Eunice Souza Lima. O tópico no português do Brasil. Campinas: Pontes, 1987.

QECR. CONSELHO DA EUROPA. Quadro Europeu Comum de Referência para as línguas: aprendizagem, ensino, avaliação. Portugal: Edições Asa, 2001. Disponível em: http://area.dge.mec.pt/gramatica/Quadro_Europeu_total.pdf. Acesso em: 05 set. 2018.

SÁNCHEZ RUFAT, Anna; JIMÉNEZ CALDERÓN, Francisco. Apreciaciones sobre la cuestión de la norma en el análisis de la interlengua. In: Normas: Revista de estudios linguísticos hispánicos, n.º 3, p. 183-204, 2013.

SECO, Manuel. Gramática esencial del español. Madrid: Espasa-Calpe, 1995.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Autor, concedendo à revista o direito à primeira publicação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

ISSN:1984-7408

 

Licença Creative Commons
Esta revista possui trabalhos licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.