Espacialização da pesca artesanal de camboas com subsídio de imagem do Google Earth Pro: estudo de caso na zona costeira estuarina do Baixo Sul da Bahia, Brasil

IVONICE SENA DE SOUZA, ANA PAULA SENA DE SOUZA, GEORGE OLAVO MATTOS E SILVA, JOSELISA MARIA CHAVES

Resumo


A pesca com camboas (currais) é uma atividade artesanal tradicional, comum nos estuários da Zona Costeira brasileira. A camboa é uma arte de pesca fixa de grande porte, construída artesanalmente por estaqueamento para sustentação de esteiras feitas com taliscas de cana brava ou telas sintéticas, e tem como finalidade capturar peixes por meio de armadilhamento no seu interior. Esse estudo objetivou caracterizar a pesca com camboas e os diferentes tipos encontrados no rio dos Patos na região do Baixo Sul da Bahia. A metodologia foi realizada em quatro etapas. A primeira etapa constou da identificação e espacialização de diferentes formatos de camboas, através das imagens de sensoriamento remoto de alta resolução, disponíveis gratuitamente, no Google Earth. Na segunda etapa foram realizadas entrevistas semi-estruturadas com pescadores e donos de camboas para a caracterização de pesca e dos diferentes tipos de camboas.Com as análises realizadas foi possível mapear na área de estudo a partir das imagens de satélite e do campo 27 camboas, dessas 21 estavam fixadas e três desativadas para manutenção das estacas e telas. Os resultados demonstraram a potencialidade das imagens de alta resolução disponíveis no Google Earth como uma excelente ferramenta no estudo e monitoramento das camboas de pesca.

                                                                                                               


Palavras-chave


pesca estuarina, artes fixas, sensoriamento remoto, territórios tradicionais

Referências


Al-Abdulrazzak, D., e Pauly, D., 2015. Managing fisheries from space: Google Earth improves estimates of distant fish catches. Journal of Marine Science [online]. Disponível em: http://icesjms.oxfordjournals.org/. Acesso em: jul. 2015.

Anônimo, 1969. Relatório preliminar sobre a situação da captura de camarões em camboas de pau ao largo de Maragogipe – Bahia. Fundação Atlântica de Cultura, São Félix.

Araújo, A.G.P. de; Pereira, B.G., 2015. “Mar de Vaqueiros”: conhecimentos tradicionais da pesca de curral e os direitos territoriais dos pescadores artesanais da praia de Bitupitá, Ceará. Tessituras, Pelotas, v. 3, n. 1, p. 231-269.

Brabo, M.F., 2006. Caracterização dos currais de pesca do município de São Caetano de Odivelas, Pará. In: Reunião Anual da SBPC, 2006. Anais eletrônicos... Florianópolis, SBPC. Disponível em. Acesso em: Fev. 2012.

BRASIL, 2009. Lei n. 11.959 de 29 de julho. Disponível em: ˂http://www.mpa.gov.br˃Acesso em: 10 jan.2017.

BRASIL, 2012. Ministério da Saúde. Resolução Nº 466, de 12 de dezembro - Diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. 2012b

Diegues, A.C.A., 1999. Sócio-antropologia das comunidades de pescadores marítimos no Brasil. Etnográfica, Vol. III (2), p. 361-375.

Fidellis, C.N.A., 2013. A pesca de curral no município de São Caetano de Odivelas-PA. Belém- Pará. Dissertação (Mestrado). Belém, UFPA.

Kuhn, E.R., 2009. Terra e água: territórios dos Pescadores artesanais de São Francisco do Paraguaçu- Bahia. Dissertação (Mestrado). Salvador. UFBA.

Krumme, U., Giarrizzo, T., Pereira, R., Jesus, A.J.S., Schaub, C., 2015. Airborne synthetic-aperture radar (SAR) imaging to help assess impacts of stationary fishing gear on the north Brazilian mangrove coast. Journal of Marine Science [online]. Disponível em: http://icesjms.oxfordjournals.org/. Acesso em: jul. 2015.

Lima, W.C.R., 2010. Reflexões acerca da potencialidade cênica do Cacuri. Ensaio geral, 123- 132.

Lins, P.M.O., 2011. Tecnologia Pesqueira. IFBA. Pará.

Lucena, F.P., Cabral, E. Santos, M.C.F. Oliveira, V.S. Bezerra, T.R.Q., 2013. A pesca de currais para peixes no litoral de Pernambuco. Boletim. Técnico. Cientifico, 93-102.

Maneschy, M.C., 1993. Pescadores Curralistas no Litoral do Estado do Pará: Evolução e Continuidade de uma Pesca Tradicional. Revista da SBHC, 53-74.

Nascimento, G.C.C. Córdula, E.B.L., Lucena, R.F.P., ROSA, R.S., MOURÃO, J.S., 2016. Caracterização da pesca artesanal em “Currais” no litoral norte da Paraíba, Brasil. Arquivos de Ciências do Mar, 92 – 103. 2016.

Piorski, N.M.; SERPA, S.S.; NUNES, J.L.S., 2009. Análise comparativa da pesca de curral da Ilha do Maranhão – Brasil. Arquivos de Ciências do Mar, 65-71.

Silva, C.N., Sadeck, L.W., 2011. Geoinformação na atividade pesqueira: uso de imagens de sensores remotos no monitoramento de recursos pesqueiros no litoral paraense In: Silva, J.M.P e Silva, C.N. Pesca e territorialidades: contribuições para análise espacial da atividade pesqueira. GAPTA/UFPA, Belém, p. 221-239.

Silva, C.N., 2008. Cartografia das percepções ambientais-territoriais dos pescadores do estuário amazônico com utilização de instrumentos de geoinformação. Revista Formação [online]. Presidente Prudente: UNESP, 2008, p.118 – 128.

Souza, I.S., 2018. Geotecnologia aplicada ao estudo das artes fixas da pesca artesanal na zona costeira do Baixo Sul da Bahia e Recôncavo Baiano. Feira de Santana-BA, 2018. Dissertação (Mestrado). Feira de Santana, UEFS.

Souza, I.S.; Souza, A.P.S.; Olavo, G., 2017. Uso das geotecnologias no estudo das camboas (currais) de pesca na região do Baixo Sul da Bahia, Brasil. Salvador, Geonordeste.

Tavares, M.C.S., 2005. A pesca de curral no estado do Pará. Dissertação (Mestrado), Belém, UFRAM, 2005.

Toledo. V.M., 2001. Comunidades tradicionais e a biodiversidade. Tradução: Prof. Antônio Diegues. Instituto de Ecologia, UNAM, México. In: Levin, S. el al., (eds.) Encyclopedia of Biodiversity. Academic Press.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Revista Brasileira de Geografia Física - eISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License