Integração de parâmetros geomorfológicos e biológicos no desenvolvimento do Índice Integrado de Sensibilidade do Litoral (IISL) (Integration of geomorphological and biological parameters to develop a Coastal Integrated Sensitivity Index (CISI))

Chayonn Marinho, João Luiz Nicolodi

Resumo


No contexto da indústria petrolífera e suas relações com os ecossistemas enquadram-se os instrumentos de políticas públicas, desenvolvidos a fim de prevenir e minimizar os efeitos de acidentes com óleo e derivados, como as Cartas de Sensibilidade Ambiental ao Derramamento de Óleo (Cartas SAO). Dentre as principais informações contidas nas Cartas SAO está o Índice de Sensibilidade do Litoral (ISL). Este índice mede a sensibilidade dos diferentes ambientes costeiros ao contato com óleo de acordo com as características geomorfológicas da região: exposição às forçantes hidrodinâmicas, tipo de substrato e declividade do litoral. Nesse estudo foi desenvolvida uma metodologia específica que integrou dados geomorfológicos e biológicos no desenvolvimento de um Índice Integrado de Sensibilidade do Litoral (IISL). Tal metodologia desenvolveu previamente dois índices distintos, o Índice Geomorfológico de Sensibilidade (IG) e o Índice Biológico de Sensibilidade (IB), os quais tiveram suas variáveis bem definidas permitindo a integração para desenvolvimento do IISL. Três regiões da Bacia de Pelotas, sul do Brasil, foram escolhidas para a aplicação dessa metodologia. Os resultados indicaram alteração nos valores de sensibilidade ao óleo em seis trechos de linha de costa analisados, apurando o mapeamento destas áreas. Assim, o presente estudo buscou apresentar elementos que venham subsidiar o aprimoramento metodológico de mapeamento de sensibilidade ao óleo no país, contribuindo na gestão de incidentes e no gerenciamento costeiro.

 

 

 

A B S T R A C T

In the context of oil industry and its relations with ecosystems the instruments of public policy are framed, which are developed to prevent and minimize the effects accidents involving oil and its derivatives, such as the Environmental Sensibility to Oil (ESO charts). The main information in the ESO charts is the Coastal Integrated Sensitivity Index (CISI), which measures the sensitivity of different coastal environments to contact with oil according to geomorphological characteristics, such as exposure to hydrodynamic forces, substrate type and coastal slope. The concept of sensibility used for the characterization of the coastline does not include in its methodological scope biological information, therefore, a new specific methodology was developed, which integrated geomorphological and biological data to develop a Coastal Integrated Sensitivity Index (CISI). This methodology previously developed two different indexes, the Geomorphological Sensitivity Index (GSI) and Biological Sensitivity Index (BSI), which had their well-defined variables allowing the integration of CISI. Three regions of the Pelotas Basin, south of Brazil, were chosen to test this methodology. The results indicated a change in sensibility values in six coastline segments analyzed, improving the mapping of these áreas. This way, the present study effectively contributed to upgrade the methodology for mapping the sensibility to oil spills, also contributing on the management of accidents involving oil and on coastal management.

Keyword: Oil spill, ESO charts, coastal sensitivity, biological and geomorphological data.


Palavras-chave


Derramamento de óleo; Cartas SAO; sensibilidade costeira; dados biológicos e geomorfológicos.

Texto completo:

PDF

Referências


Alencar, T.S., Oliveira, V.P.S., Oliveira, M.M., Saraiva, V.V., 2016. Contaminação por metais pesados e hidrocarbonetos de petróleo: uma ameaça para os manguezais. Boletim do Observatório Ambiental Alberto Ribeiro Lamego, Campo dos Goytacazes/RJ 10(2), 7-24.

Araujo, S.I., Silva, G.H., Muehe, D.C.E.H., 2002. Manual básico para elaboração de mapas de sensibilidade ambiental a derrames de óleo no sistema Petrobras: ambientes costeiros e estuarinos. CENPES/Petrobrás, Rio de Janeiro.

Beneditti, C.A., 2015. Vulnerabilidade ambiental ao óleo em ambiente fluvial: estudo de caso rio Tietê/Reservatório de Barra Bonita-SP. Tese (Doutorado em Geociências e Meio Ambiente). Rio Claro, Universidade Estadual Paulista – UNESP.

Bencke, G.A., Maurício, G.N., 2006. Áreas Importantes para a Conservação das Aves nos Estados do Domínio da Mata Atlântica – Síntese dos Resultados, in: Bencke, G.A., Maurício, G.N., Develey, P.F., Goerck, J.M, Áreas Importantes para a Conservação das Aves no Brasil. Parte I: Estados do Domínio da Mata Atlântica, Editora SAVE Brasil, São Paulo, pp. 91-99.

BRASIL, 2000. Lei Federal nº 9.966 de 28 de abril de 2000.

BRASIL, 2013. Decreto nº 8.127, de 22 de outubro de 2013.

Bulhões, M.R.B., Fernandez, G.B., 2016. Aspectos morfodinâmicos em praias de enseada: estudo de caso em Armação dos Búzios, RJ. Revista Brasileira de Geomorfologia 2(16), 253-271.

Cai, L., Yan, L., Ni, J., Wang, C., 2015. Assessment of Ecological Vulnerability under oil spill stress. Sustainnability. (7), 13073-13084.

Campo, A.G., 2017. Mapping environmental sensitivity: A systematic online approach to support environmental assessment and planning. Environmental Impact Assessment Review (66), 86-98.

Casagrande, A.I., Aguiar, D.F., Nicolodi, J.L., Damião, A.A., 2018. Tendências de variação da linha de costa de Cidreira (RS) e suas relações com parâmetros oceanográficos e meteorológicos. Boletim Geográfico do Rio Grande do Sul. (31), 35-62.

Castanedo, S., Juanes, J.A., Medina, R., Puente, A., Fernandez, F., Olabarrieta, M., Pombo, C., 2009. Oil spill vulnerability assessment integration physical, biological and socio-economical aspects: Application to the Cantabrian coast (Bay of Biscay, Spain). Journal of Environmental Management. 91(1), 149-159.

CETESB. Companhia Ambiental do Estado de São Paulo, 2007. Ambientes costeiros contaminados por oleo: procedimentos de limpeza. São Paulo.

Fattal, P., Maanan, M., Tillier, I., Rollo, N., Robin, M., Pottier, P., 2010. Coastal Vulnerability to Oil Spill Pollution: the Case of Noirmoutier Island (France). Journal of Coastal Research. 26(5), 879-887.

FZB. Fundação Zoobotânica Do Rio Grande Do Sul, 2014. Lista Final de Avaliação do Estado de Conservação de Espécies da Fauna e Flora. Porto Alegre.

Giacomitti, R.B., Isaguirre-torres, K.R., 2015. Instrumentos Públicos e Privados para a reparação do dano ambiental causado por derramamento de óleo no mar sem origem definida: as manchas órfãs. Revista de Direito Internacional, Brasília, 12 (1), 200-215.

Giacomo, A.B., Ott, P.H., 2016. Long-term site fidelity and residency patterns of bottlenose dolphins (Tursiops truncatus) in the Tramandaí Estuary, Southern Brazil. Latin American Journal of Aquatic Mammals. 11(1-2), 155-161.

Guimarães, P.S., 2015. Tapetes Microbianos da Lagoa dos Patos (RS-Brasil): Ocorrência, Fatores Meteorológicos relacionados e Fixação de Nitrogênio. Tese (Doutorado em Oceanografia Física, Química e Geológica). Rio Grande, Universidade Federal do Rio Grande – FURG.

Ihaksi, T., Kokkoken, T., Helle, I., Jolma, A., Lecklin, T., Kuikka, S., 2011. Combinating Conservation Value, Vulnerability and Effectiveness of Mitigation Actions in Spatial Conservation Decisions: An application to coastal oil spill combating. Environmental Management. 47(5), 802 – 813.

IPIECA-IMO-OGP. The global oil and gas industry Association for environmental and social issues - International Maritime Organization - International Association of Oil & Gás Producers, 2016. Sensitivity mapping for oil spill response. IOGP Report Number 477. Londres.

Lawal, O., Oyegun, C.U., 2017. Geographic information systems-based expert system modelling for shoreline sensitivity to oil spill disaster in Rivers State, Nigeria.

Kankara, R. S., Arockiaraj, S., Prabhu, K., 2016. Environmental sensitivity mapping and risk assessment for oil spill along the Chennai Coast in India. Marine Pollution Bulletin. 106(1-2), 95-103.

Marques, V.C., Nicolodi, J.L., 2015. Análise sedimentológica na definição de sensibilidade ao óleo na Lagoa dos Patos e Lago Guaíba, RS.

Martins, S.S.S., Silva, M.P., Azevedo, M.O., Silva, V.P., 2015. Produção de petróleo e impactos ambientais: algumas considerações. Holos 31(6), 54-76.

MMA. Ministério do Meio Ambiente, 2016. Atlas de Sensibilidade Ambiental ao Óleo da Bacia Marítima de Pelotas. Brasília.

MMA. Ministério do Meio Ambiente, 2007. Especificações e Normas Técnicas para a Elaboração de Cartas de Sensibilidade Ambiental para Derramamentos de Óleo. Brasília.

Nelson, J.R., Grubesic, T.H., Sim, L., Rose, K., Graham, J., 2015. Approach for Assessing Coastal Vulnerability to Oil Spills for Prevention and Readiness Using GIS and the Blowout and Spill Occurrence Model. Ocean and Coastal Management. (11), 1-11.

Nicolodi, J.L., Toldo, E.E., 2003. Beach morphodynamics: a tool for coastal habitat managers. A case study: Praia de Fora, Itapuã State Park, RS. Natureza & Conservação, 1(2), 66-75.

Petró, S.M., 2018. Dissolução de foraminíferos quartenários do Atlântico Sul: da perda de CaCO3 ao ganho de informação paleoceanográfica Tese (Doutorado em Geociências). Porto Alegre. Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS.

Hernawan, U., Risdianto, R.K., 2017. Coastal protection of southern part of The Bintuni Bay from oil spill: -An Environmental Sensitivity Index Approach. Bulletin of Marine Geology, 32(2), 77-88.

Sobral, H.T.A.S., Barreto, T.M.R.R., Carminatto, A.A., Silva, F.S.P., 2018. Estado morfodinâmico de praias arenosas do litoral aracajuano, Sergipe, Brasil. Encontro Nacional de Pós-Graduação, Santos.

Souza, T.A.S., Bulhões, E., Amorim, I.B.S., 2015. Ondas de tempestade na costa Norte Fluminense. Quaternary and Environmental Geosciences 6(2), 10-17.

Vasconcelos, T.L., Barbosa, C.C.A., Valdevino, D.S., Sá, L.A.C.M., 2010. Cartas de Sensibilidade Ambiental ao Derramamento de Óleo e sua distribuição no Brasil. In: Simpósio Brasileiro de Ciências Geodésicas e Tecnologia da Geoinformação, Recife.




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v12.4.p1509-1524

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License