v. 29, n. 2 (2011)

Jul-Dez. Dossiê: História Colonial. Parte 2.


Capa da revista
As duas últimas décadas foram testemunhas de uma grande ampliação – tanto em termos quantitativos, como em termos qualitativos – dos trabalhos de investigação dedicados ao estudo da América portuguesa. Várias são as razões que impulsionam o surgimento de trabalhos com este perfil e que têm permitido que esta importante fase de nossa história se torne cada vez mais conhecida. A abertura de novas frentes de pesquisa e a disponibilização maciça de fontes primárias estão entre estas razões. O acesso à documentação colonial já não está limitado apenas a um pequeno número de investigadores capazes de se deslocar até os arquivos europeus ou aos grandes fundos depositados em território nacional. A tecnologia permitiu que estes velhos papéis saíssem das gavetas e estantes, onde estiveram dormitando por séculos, para ganhar o espaço digital por intermédio da grande rede mundial.